Recuou

Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

sábado, 17 de agosto de 2019

Para pensar:

“Quem quer passar além do Bojador tem que passar além da dor.“

Fernando Pessoa

Para refletir:

“A maior lição da vida é a de que, às vezes, até os tolos têm razão.“

Winston Churchill

Recuou

Conforme a coluna havia apostado, o governador Wilson Witzel recuou em relação à medida de eliminar o quinquênio dos professores da rede estadual de Educação.

E o fez, claro, em meio a um discurso de apoio ao magistério completamente incompatível com os estudos que vinha encomendando havia algum tempo, e com a atitude que tanto chocou a classe apenas algumas horas antes.

Coerência?

Coisa mais arcaica...

Que sirva de exemplo

Cá entre nós, era evidente que, após tantos anos sem qualquer reajuste, a medida encontraria resistência gigantesca por parte da sociedade.

É até difícil falar sobre esses governos que logo pensam na Educação quando querem aliviar o orçamento, ignorando o tanto de gordura que possuem para cortar, ou o custo, no longo prazo, do enfraquecimento da pasta.

Ao menos, que o episódio sirva de exemplo para que atentados futuros sejam combatidos com a mesma convicção.

Bicudos

Ao que parece, muita gente em nossa cidade tem feito a leitura de que o eleitorado deve migrar em grande parte para uma direita um pouco mais moderada nas próximas eleições.

O colunista faz esta interpretação a partir do interesse recente que alguns de nossos políticos têm demonstrado em dialogar com o governador de São Paulo, João Doria, em busca de uma vaga no PSDB.

Uma vidente, inclusive, chegou a escrever para a coluna relatando ter visto a sombra de um grande tucano sobrevoando o Palácio Barão de Nova Friburgo...

Som distante

A este colunista não surpreende tanto a peregrinação partidária de quem olha para as siglas muito mais pelas perspectivas eleitorais do que propriamente por qualquer fumaça ideológica que eventualmente resguardem.

O que surpreende é imaginar que tais movimentações sejam reflexo de ambições políticas, nessa altura do campeonato.

Será que o som das ruas ficou assim, tão distante?

Esquentou

O clima esquentou na sessão da Câmara Municipal da última quinta-feira, 15.

Naturalmente, diante do anúncio de que a tarifa subiria para R$ 4,20, acrescidos de subsídio mensal de R$ 300 mil, vereadores começaram a ser procurados por representantes da população para que buscassem maneiras de reduzir este valor.

Por sua vez, funcionários da empresa Faol, certamente convencidos de que o valor da tarifa do transporte coletivo está relacionado à continuidade de seus empregos e suas possibilidades de rendimentos, foram ao plenário dar voz ao outro lado.

Bom debate
Apesar da tensão que se estabeleceu em alguns momentos, resta a impressão de que a visão geral a respeito de tudo que envolve o aumento da tarifa está agora mais ampla e justa, na medida em que todos os lados foram ouvidos.

De modo inevitável a precariedade do vínculo atual entre a empresa e o município abre margem para questionamentos, e o assunto ainda deve render durante algum tempo.

A perspectiva, no entanto, é de que o debate suba de nível e se concentre em torno de questões jurídicas daqui para a frente.

Primeiras sementes

Sabe quando você revira a casa procurando algo específico, e ao longo do processo vai encontrando coisas que não estava procurando e te deixam igualmente feliz?

Pois é, o amigo Girlan Guilland passou por algo semelhante recentemente ao se deparar com informações interessantes e pouco lembradas de nossa história, em meio a pesquisas que originalmente tinham outro enfoque.

Dois séculos

O leitor já deve ter ouvido muitas vezes que Nova Friburgo foi a porta de entrada do protestantismo no Brasil, especialmente a partir da chegada dos imigrantes alemães em 1824.

No entanto, obras de estudiosos como Martin Nicoulin; Armindo Müller e Henrique Bon fazem breves referências a uma congregação anterior, uma igreja protestante suíça que estaria aqui representada desde 1819.

Origens

Pois bem, em seus estudos Girlan se deparou com um artigo assinado pelo historiador, professor, teólogo e pastor luterano Marlon Ronald Fluck, publicado na edição de 27 de junho de 2013 da Via Teológica (revista da Faculdade Teológica Batista do Paraná), que não apenas confirma, como amplia consideravelmente essa informação.

A partir daí Girlan entrou em contato com o autor, que confirmou os dados e ainda defendeu "que a primeira igreja protestante de Nova Friburgo foi fundada em 1819", na Holanda.

Ué, como assim?

Resquícios

Pois é, de acordo com as pesquisas que embasaram um capítulo da tese de doutorado de Marlon, defendida junto à Universidade de Basiléia, entre os colonos suíços que aguardavam o embarque, 190 protestantes receberam assistência de um pastor de Dordrecht, que cuidou de integrar o grupo e mantê-los unidos para professar a religião quando chegassem ao Brasil.

E mais: ainda de acordo com o professor Marlon, existe até uma ata em francês da constituição dessa igreja, nos arquivos públicos da Holanda.

Marco histórico

Em resumo, os estudos de Marlon Ronald apontam que na próxima terça-feira, 20, o protestantismo em terras brasileiras estará completando dois séculos de história, paralelos à própria trajetória friburguense.

Cinco anos, portanto, antes do que se tornou costume celebrar.

A coluna aproveita a ocasião, portanto, para congratular a comunidade protestante friburguense (e brasileira) pelo marco histórico.

Continuando

Dando continuidade à série de conversas que vem promovendo com pré-candidatos à prefeitura em 2020, a Frente Democrática Municipalista ouviu nesta sexta-feira, 16, o presidente da Câmara Municipal, vereador Alexandre Cruz.

O grupo também elaborou ideias para um plano de governo, e dialoga com grupos políticos em busca de algum que se disponha a incorporar tais diretrizes.

O encontro aconteceu na sede do Nova Friburgo Futebol Clube.

Reconhecimento

Na última quinta-feira, 15, a Alerj aprovou em 2ª discussão um projeto de lei apresentado pelo ex-deputado Wanderson Nogueira, e que integrava o conjunto de propostas relacionadas ao bicentenário de nossa cidade.

Em essência a nova legislação, que agora segue para sanção do governador, reconhece Nova Friburgo como cidade das trovas, e atendeu a um pedido da saudosa Dilva Maria de Moraes, que desejava um reconhecimento estadual e nacional às trovas nascidas aqui.

UPA

No fim da tarde desta sexta-feira, 16, a Prefeitura de Nova Friburgo divulgou nota rebatendo informações publicadas por outro veículo de comunicação, a respeito da qualificação de institutos que disputam a licitação para gerir a UPA de Conselheiro Paulino.

O tema será abordado em detalhes na próxima semana, mas a coluna antecipa alguns trechos abaixo.

Aspas

"O Município de Nova Friburgo vem esclarecer que (...) no momento, o Chamamento Público encontra-se na fase de habilitação e julgamento dos recursos apresentados. (...) Após os trâmites, as razões recursais do INDS foram analisadas pela Procuradoria Geral em 16/07/2019, que decidiu pelo desprovimento do recurso, decisão ratificada pelo secretário de Saúde em 17/07/2019. (...) O parecer da Procuradoria citado, evidencia que a desqualificação dos Institutos Unir e Viva Rio são objeto de medida judicial que, à época, da emissão do parecer, não havia o 'trânsito em julgado'."

Segue

"Superada a fase de credenciamento passou-se à fase de habilitação, onde restaram-se habilitadas a Unir, Viva Rio e INDS. Vencida esta etapa, terá início a abertura de proposta de preço e plano de trabalho, o que não significa dizer que, exauridas as etapas o Município poderá declarar as instituições Viva Rio e Unir vencedoras e qualificadas no Município de Nova Friburgo. Por todo o exposto, os atos administrativos emitidos naquele momento, em 16/07/2019 e em 17/07/2019 não continham qualquer vício ou ilegalidade que resultasse em imoralidade e ineficiência que desabonassem a conduta do secretário de Saúde, Marcelo Braune e maculasse o Chamamento Público."

Respostas

Até o fechamento desta edição os leitores Stênio de Oliveira Soares, Raquel Souza, Gilberto Éboli, Manoel Corrêa, José Carlos Reis e Rose Mary Aguiar Borges haviam mandado mensagem reconhecendo corretamente a porta da secretaria do Instituto de Educação de Nova Friburgo, o Ienf.

Parabéns a todos!

Publicidade
TAGS:

Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

A Direção do Jornal A Voz da Serra não é solidária, não se responsabiliza e nem endossa os conceitos e opiniões emitidas por seus colunistas em seções ou artigos assinados.