Promessas

Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

quinta-feira, 12 de setembro de 2019

Para pensar:

“O começo é sempre hoje.”

Mary Shelley

Para refletir:

“Viver nos corações que ficam é não morrer.”

Harold Robbins

Promessas

O leitor certamente há de se lembrar das muitas vezes, no passado recente, em que novas unidades de saúde foram prometidas à população friburguense por políticos focados em eleição ou reeleição.

O que o Palácio Guanabara, em sua gestão passada, fez em relação ao hospital de oncologia, por exemplo, foi escandaloso.

Da mesma forma, o silêncio do Palácio Barão de Nova Friburgo a respeito das tantas vezes prometidas UPAs de Olaria e São Geraldo tem sido vergonhoso, para não usar termo pior.

Oncologia

Na semana passada, um esforço coletivo capitaneado pelo grupo S.O.S Hospital do Câncer conseguiu, junto ao governador Wilson Witzel, o compromisso de retomada das obras de construção do Hospital Francisco Faria, na Ponte da Saudade, quando foram entregues mais de 105 mil assinaturas em favor da unidade.

O governador disse que o hospital também fará atendimentos de natureza cardiovascular e deverá ser inaugurado antes do fim do atual mandato.

Diferenças

Nos bastidores da política, no entanto, o colunista se depara constantemente com discursos menos otimistas, sobretudo em relação ao custeio do funcionamento do hospital.

É evidente que existiriam recursos mais do que suficientes caso o interesse coletivo fosse tratado com o devido respeito, mas no cenário atual são grandes as forças empenhadas em reduzir expectativas e preparar o espírito para mais uma promessa não cumprida.

E não podemos concordar com isso, não é?

UPA de Olaria

Situação muito semelhante se dá em relação à prometida UPA de Olaria.

Os leitores devem se lembrar que o gabinete do deputado federal Luiz Lima (PSL-RJ) conseguiu R$ 3,1 milhões através de uma anormal liberação extraorçamentária do Ministério da Saúde, justamente direcionada a financiar a obra.

Ora, num contexto normal e sério, esta deveria ser uma medida a ser comemorada e agarrada com unhas e dentes pela gestão municipal.

Mas uma consulta ao Sistema de Monitoramento de Obras (Sismob) sugere que a empolgação não está assim tão grande.

Risco

Até a manhã desta quarta-feira, 11, o sistema acusava o não cumprimento de algumas fases para que o valor possa ser liberado para a construção da UPA.

Entre as sete diligências listadas estava, por exemplo, obter a aprovação do Conselho Municipal de Saúde.

Pois bem, uma manifestação informal por parte do Ministério da Saúde indicou, também nesta quarta-feira, que se o procedimento demorar muito a se concretizar pode haver o remanejamento desse valor para outra finalidade.

Quem mandou?

Ora, o colunista sabe bem que uma segunda UPA - e o que dizer de uma terceira? - não cabe no atual orçamento municipal, muito menos quando se observa o enorme volume de desperdícios e “custos” atrelados ao modelo político aqui praticado.

Mas todos os candidatos a prefeito em 2016 também tinham a obrigação de saber disso.

E se alguém prometeu, e a população votou por isso, então agora que se vire para cumprir.

Afinal, o que faltava não era só a devida “vontade política”?

Utilidade pública

O plenário da Câmara Municipal aprovou por unanimidade, na sessão do último dia 5, a proposta para que a Associação de Amigos da Preservação e Memória do Patrimônio Ferroviário Barão de Nova Friburgo, também conhecida como nosso querido Clube do Trem, seja considerada de Utilidade Pública Municipal.

Além do atestado de credibilidade que o reconhecimento agrega, ele também pode ser revertido em benefícios pontuais, como subvenções e a isenção de taxas cobradas por cartórios, entre outros, a depender de cada contexto. 

Aspas

A coluna convidou a consultora empresarial Deborah Gomes da Cunha, que desde o dia 22 de agosto exerce a presidência do Clube do Trem, para comentar a aprovação.

“Acompanhar a sessão que indicou o Clube do Trem de Nova Friburgo para receber o título de utilidade pública municipal, foi um momento único. Ouvir diversos vereadores, independentemente de partidos, falarem com emoção e convicção sobre o trem, bem como reconhecerem a importância dele no desenvolvimento de nossa região e ao trabalho do CT, já teria sido bom. Mas ver o reconhecimento do Clube do Trem como instituição que defende o patrimônio histórico do Centro-Norte Fluminense e, em dimensão máxima, obter o título de utilidade pública municipal, por unanimidade e em votação única, foi espetacular. Agradeço a todos que lutaram bravamente por esta conquista.”

Fala, leitor!

“Li com bastante satisfação a desapropriação definitiva, por parte do poder público,do terreno localizado à Rua General Osório, 11. Minha satisfação será maior se os projetistas da ampliação da Praça do Suspiro mantiverem o muro e as grades que circundam o referido terreno, preservando um ícone da Praça do Suspiro, além da segurança, principalmente, das  crianças que ali vierem se divertir com seus pais.”

Assina a mensagem o engenheiro  Antônio José de Araújo Fernandes.

Inversão

A coluna recebeu diversos relatos de moradores de localidades próximas à Avenida Governador Roberto Silveira, reclamando que as passarelas antigas foram retiradas antes que as novas estivessem prontas.

“Algumas passarelas ainda não estão com piso, ainda não foram concretadas e estão sem os degraus. Ou seja, ainda não estão prontas para uso, mas mesmo assim as antigas já estão sendo retiradas. Estou tendo que caminhar mais de um quilômetro para atravessar o Rio Bengalas.”

Ruim para quem caminha, ruim também para quem trafega.

O nó causado no trânsito ontem, 11, com as obras na Avenida Roberto Silveira comprometeu toda a mobilidade no distrito de Conselheiro Paulino.

“Teria ajudado se, excepcionalmente, tivesse sido proibido o estacionamento em vias alternativas, ou se elas tivessem operado em mão única.”

A coluna consultou a empresa de ônibus Faol e confirmou que muitas das viagens programadas para Conselheiro Paulino, Riograndina, Maria Teresa e outras localidades próximas não foram realizadas nesta quarta-feira.

Parabéns

No dia em que será realizado o concerto de despedida da Filarmónica Boa Vontade Lorvanense, no Country Clube, a coluna agradece aos músicos da linda Penacova pelas ações realizadas por aqui, torcendo para que outras visitas aconteçam no futuro.

Da mesma forma, este espaço parabeniza a nossa Campesina Friburguense pelos esforços realizados, que incluíram levar arte de muita qualidade a alunos da rede pública e a arrecadação de alimentos para doação.

A cidade agradece.

Publicidade
TAGS:

Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

A Direção do Jornal A Voz da Serra não é solidária, não se responsabiliza e nem endossa os conceitos e opiniões emitidas por seus colunistas em seções ou artigos assinados.