Patrimônio ameaçado

Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

terça-feira, 17 de setembro de 2019

Para pensar:

“Nos campos da observação, o acaso favorece apenas as mentes preparadas.”

Louis Pasteur

Para refletir:

“O que você sabe não tem valor; o valor está no que você faz com o que sabe.”

Bruce Lee

Patrimônio ameaçado

No mês passado um antigo morador de Nova Friburgo, que atualmente vive fora do Brasil, passou uns dias por aqui, e diversas vezes comentou com este colunista o quanto tem sentido falta da qualidade do ar que temos aqui, em nossa cidade.

De fato, para quem reside aqui, pareceu um pouco engraçado ver uma pessoa fechando os olhos e abrindo os braços para respirar como quem saboreia uma trufa, ou um vinho de uma safra especial.

Bom, se nosso personagem ainda estivesse por aqui na noite de sábado, 14, certamente não teria feito isso.

Educar e reprimir

A coluna não vai aqui reprisar um assunto tão doloroso e tão bem documentado por nossos canais de notícias, mas apenas chamar atenção para a importância de se reforçar a prevenção a repressão as queimadas, que, de maneira absolutamente evitável, destroem e ferem muito mais do que nossa compreensão alcança.

Ensinar

A experiência de muitos anos entrevistando especialistas sempre indica que a imensa maioria desses incêndios - se não todos - começa a partir de interferências humanas.

E, a partir desse apontamento, o colunista deduz que as causas estejam relacionadas a ignorância ou acidentes, por um lado; e a alienação e falta de empatia, por outro.

O primeiro grupo pode (e precisa) ser minimizado através de um esforço sério e contínuo de educação.

Investigar

Já o segundo grupo só será afetado pela repressão e o combate à impunidade.

É preciso que estejamos um passo à frente, e invistamos o que for necessário a fim de aumentar a rede de segurança e vigilância em torno de nosso preciosíssimo patrimônio natural.

É urgente que estes criminosos sejam identificados e punidos, para que se possa começar a desconstruir essa cultura de descaso, apatia, naturalização e inevitabilidade, que permeia e afeta quase todos nós.

CEA

A experiência igualmente ensina que só se consegue amar aquilo que se conhece.

Apresentar à sociedade - e, em especial, aos mais jovens - a riqueza de nossa natureza, que na Mata Atlântica encontra uma biodiversidade sem paralelo, deve ser visto, portanto, como um ato de proteção.

E tal constatação nos leva a questionar, mais uma vez, o que vem sendo feito a partir dos recursos do Centro de Educação Ambiental (CEA).

Cadê?

Os extratos de tais movimentações financeiras são devidos à sociedade, e diz muito mal do governo que não venha sendo dada a máxima transparência a isso.

Tanto mais quando lembramos das tais 200 mil mudas colhidas nas vilas marginais, ou os episódios das outorgas onerosas, entre outros ocorridos na Secretaria de Meio Ambiente, que não deixam dúvidas a respeito do quanto estamos carentes de uma verdadeira educação ambiental.

Espelho

Em resumo, cada vez que o mato arde à nossa volta, cada vez que animais inocentes e cuja existência nem ao menos conhecemos são envolvidos pelo horror, cada vez que abnegados enfrentam as chamas que outros iniciaram, tudo isso reflete um pouco do mal que fazemos, ou o bem que deixamos para depois.

E este talvez seja o aspecto mais triste nesse cenário desolador.

O outro lado

Felizmente, em meio a tudo isso, ainda tem gente especial fazendo muito mais que a própria parte.

O geógrafo Pedro de Paulo divide com a coluna relato e imagens do combate a incêndio florestal ocorrido nesta sexta-feira, 13, no qual tomou parte voluntariamente.

Aspas

“Sexta-feira vi de perto um incêndio florestal no bairro Nova Suíça que chegou a ameaçar duas casas. Ele ocorreu numa área de fazenda, em meio a uma floresta de eucaliptos. Moradores se empenharam a fazer aceiros (valas improvisadas que evitam a propagação do fogo), e jogaram toda a água que conseguiram para conter as chamas. Eu mesmo cheguei a fazer um aceiro de uns 30 metros. Os bombeiros também chegaram e trabalharam para evitar que o fogo atingisse as casas.”

Nova direção

O cirurgião geral e plástico José Cláudio Alonso, concursado de longa data da Secretaria Municipal de Saúde, é o novo diretor médico do Hospital Municipal Raul Sertã.

A este colunista, ao longo dos anos o doutor José Cláudio só deu motivos para que confiemos em sua boa disposição e em sua seriedade.

A coluna torce para que suas virtudes sejam devidamente aproveitadas, e possam resultar em avanços práticos a quem tanto tem sofrido.

Na foto, o novo diretor junto ao secretário de Saúde e vice-prefeito, Marcelo Braune.

Celebrando a amizade

Qual o valor de amizades verdadeiras?

Para as educadoras aposentadas do Colégio Estadual Augusto Spinelli, a resposta a essa pergunta pode ser medida pelo empenho de Marilda Izabel Pereira na organização do encontro realizado no último sábado, 14, ou do esforço de Doroteia Saldanha, 96 anos, que veio de Juiz de Fora-MG para participar.

Com alegria a coluna divide mais uma aula dada por estas meninas, desejando que a vida lhes permita saborear essa amizade por muitos e muitos anos.

Ansiosos

A festejada ciclovia ligando Duas Pedras ao Paissandu ainda nem foi inaugurada e vejam só: teve gente que não aguentou esperar e já começou a dar suas pedaladas por aí.

A esses, vale o aviso: pedalar onde não se deve é coisa perigosa.

Até no Palácio do Planalto já teve gente que caiu por causa disso...

UPA

O Conselho Municipal de Saúde de Nova Friburgo enviou comunicado relatando que na reunião ordinária realizada no último dia 2, que o tema “UPA de Olaria”, proposto pelo gestor de saúde para ser discutido acabou não sendo abordado no encontro devido a ausência do gestor e seus representantes para a apresentação do projeto.

Condolências

O cantor e compositor friburguense Benito Di Paula perdeu um filho na última sexta-feira, 13. A causa da morte de André Vancellote Vellozo, de 36 anos, não foi divulgada.

Milhares de fãs e amigos de todo o Brasil enviaram condolências a Benito, através das redes sociais. Um comunicado sobre o falecimento do filho do cantor e compositor foi enviado aos fãs e amigos. André faleceu no Rio de Janeiro.

  • Foto da galeria

  • Foto da galeria

  • Foto da galeria

Publicidade
TAGS:

Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

A Direção do Jornal A Voz da Serra não é solidária, não se responsabiliza e nem endossa os conceitos e opiniões emitidas por seus colunistas em seções ou artigos assinados.