Noite longa

Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

terça-feira, 21 de maio de 2019

Para pensar:

“Só são verdadeiramente felizes aqueles que procuram ser úteis aos outros.”

Albert Schweitzer

Para refletir:

“Um cientista, que também é um ser humano, não pode descansar enquanto o conhecimento que pode reduzir o sofrimento repousa em uma estante.”

Isaac Asimov

Noite longa

A noite desta terça-feira, 21, promete ser longa nas dependências de nossa Câmara Municipal.

Afinal, o plenário deverá ler e apreciar o pedido de impeachment do prefeito Renato Bravo que foi recentemente protocolado pelo cidadão Deivison Ramos, consultor de Direito Financeiro, tendo como base o decreto 201/67 e a lei 8.666/93.

Em redes sociais e grupos de WhatsApp circulam mensagens convocando a população, com o objetivo de pressionar o posicionamento dos vereadores diante da matéria.

Maratona

O cenário que se desenha levanta algumas preocupações, quando encarado de maneira racional.

Primeiro porque, como já foi dito em nossa nota inaugural, é importante que a população saiba que a peça precisa ser lida na íntegra, e isso demandará tempo.

Não se trata de manobra, mas de um trâmite que precisa ser cumprido.

Em aberto

Aliás, neste caso, a coluna pode acrescentar que a leitura não será uma mera formalidade.

Há, no plenário, quem ainda não tenha lido a peça integralmente, e a coluna entende que alguns posicionamentos importantes serão definidos ali mesmo, durante a leitura e eventuais discussões.

Tudo isso combinado à ausência da TV Câmara pode acabar, sim, reduzindo a visibilidade da sessão, o que é sempre algo a se lamentar.

Não custa lembrar

A coluna se sente muito à vontade para fazer tais explicações, uma vez que tem se posicionado com total isenção a respeito do governo, desde o início.

Leitores fiéis devem se lembrar, por exemplo, que um dia antes das eleições de 2016, quando ninguém sabia qual seria o próximo governo municipal, este espaço publicou uma carta aberta ao futuro prefeito, não apenas dando um voto de confiança, mas também abrindo espaço para divulgar qualquer informação que pudesse ser útil à cidade.

Ninguém aqui jamais torceu contra.

Razão

Ocorre que a confiança foi quebrada lá atrás, no episódio da (não) esterilização do Raul Sertã, e desde então foram muitas as oportunidades nas quais o Palácio Barão de Nova Friburgo demonstrou a este colunista - sobretudo através das secretarias de Governo, Saúde e Meio Ambiente - que não tem sido digno de confiança.

Portanto, quando a coluna informa que a leitura deve terminar tarde, e lembra que a peça precisa ser analisada de forma racional, ninguém aqui está defendendo o governo, mas a legalidade.

Nem lá...

O acompanhamento popular, presencial ou pela internet, é certamente fundamental.

Tanto mais quando consideramos que existem sim vereadores amarrados ao governo, atuando sem isenção ou independência em troca de favorecimentos diretos ou da influência que alimenta o assistencialismo.

Deixar essa turma atuar no escuro é ter certeza antecipada quanto ao resultado final.

Nem cá

Há, no entanto, que se ater aos fatos.

É certo que muita coisa questionável andou acontecendo por aqui recentemente, mas é preciso ver e analisar estritamente o que diz a peça em questão.

Aceitando ou não a denúncia, há que se analisar de forma desapaixonada os argumentos empregados pelo plenário, cobrando isenção e coerência.

Participação consciente

Em resumo: é preciso que haja participação popular consciente, para que a medida não seja rejeitada de antemão, nem tampouco seja aceita sem que traga em si os argumentos capazes de sustentar, no futuro, os trabalhos de uma comissão processante.

Boa companhia

Alguns dos principais cartões postais do Rio de Janeiro foram iluminados na cor verde na noite do último domingo, 19, em homenagem ao Dia Nacional da Defensoria Pública.

Durante a ação, o prédio de nosso antigo fórum, na Praça Getúlio Vargas, juntou-se à lista que conta com o Museu do Amanhã, o Museu de Arte do Rio, o Museu de Arte Contemporânea e a Alerj.

A campanha nacional da DP em 2019 tem como tema “Em Defesa Delas”, com o objetivo de chamar atenção para o grave problema da violência contra a mulher.

É hoje!

O Fórum Sindical e Popular de Nova Friburgo promove reunião hoje, 21, às 18h, no Sindicato dos Vestuários, para tratar de assuntos como a reforma de Previdência e o contingenciamento das verbas da Educação, campanhas salariais, convênios com clínicas, entre outros.

Praça (1)

O procurador da República em Nova Friburgo, João Felipe Villa do Miu, divulgou nota nesta segunda-feira, 20, para desfazer notícias falsas em redes sociais a respeito das obras de restauração da Praça Getúlio Vargas.

Conforme A VOZ DA SERRA já noticiou, a prefeitura deverá aplicar R$ 4 milhões, decorrentes da venda de ações nas obras.

Praça (2)

Em nota, o procurador informou:

“O segundo aditivo ao Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) celebrado pelo MPF conseguiu assegurar recursos do município para a restauração da Praça Getúlio Vargas, no momento em que surgiram verbas disponíveis para obras e que não seriam destinadas à praça. O foco será a área mais afetada pelos cortes ilegais em 2015. Essa garantia deve ser comemorada pelas pessoas inconformadas com o estado atual de decadência da praça.”

Praça (3)

“O aditivo previu cronograma de ações que poderá ser repactuado na medida da necessidade. Não há pressa, mas há ritmo para as ações. Não há data para início das obras, que depende de uma série de ações prévias. O grupo de trabalho é formado por servidores com perfil técnico, porque a revisão de projeto de restauração e demais ações paralelas previstas demandam expertise nas áreas arquitetônica, ambiental, arqueológica e de engenharia. Há uma servidora de comunicação para atuar na transparência e divulgação das ações, e os trabalhos, que estão em estágio inicial, serão acompanhados pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan)”

Praça (4)

“As contribuições da sociedade civil serão colhidas em uma nova audiência pública, cuja data será divulgada em breve. Na ocasião também serão divulgados canais específicos para o envio de contribuições complementares. A restauração da praça envolve opiniões muito divergentes e até passionais de grupos interessados, como moradores do entorno, comércio, ambientalistas, taxistas, Defesa Civil, usuários do parquinho, turistas, entre outros. Na verdade, a praça é um assunto de todos os friburguenses. Todas as opiniões devem ser ouvidas e consideradas, mas o grupo de trabalho deve procurar se manter equidistante e conciliatório, sem privilegiar um grupo da sociedade civil em detrimento de outros.”

Praça (5)

“O aditivo prevê outras ações importantes, como a estruturação do setor de parques e jardins da prefeitura, a elaboração de um plano de manejo municipal para garantir o cuidado de todas as árvores em área pública, entre outras medidas. Entre as ações paralelas se inclui projeto de educação ambiental e arqueológico que apresentará a estudantes as técnicas de arqueologia e identificação de registros da história de Nova Friburgo colhidos na praça, experiência riquíssima e inovadora.

Por fim, é importante reafirmar que o MPF atua no estrito dever constitucional de preservar o conjunto arquitetônico-paisagístico da Praça Getúlio Vargas, que sofre há décadas um processo de descaracterização, agravado em 2015, e até o momento ressente de medidas concretas para sua restauração. Boatos sobre o corte indiscriminado de árvores, descaracterização da praça e até destombamento são notícias falsas que precisam ser desmentidas por todos os que anseiam uma tão sonhada revitalização desse espaço público.”

Respostas

Os leitores, pelo visto, andavam com saudades de nossos desafios fotográficos, porque a adesão tem sido grande.

Através da foto publicada na última sexta-feira, 17, por exemplo, os parceiros José Nilson, Stênio de Oliveira Soares, Rosemarie Künzel, Gilberto Eboli, Lauro Eboli, Manoel Pinto Faria, Célia Rodrigues, Rogerio Rodrigues, Igor Silva, Marcelle Folly Barbosa e nosso editor-chefe Henrique Amorim reconheceram a Capela de Nossa Senhora do Amparo, no centro do distrito de Amparo, a qual pertence à Paróquia Imaculada Conceição, do Jardim Ouro Preto.

Parabéns e obrigado a todos.

Foto da galeria
Publicidade
TAGS:

Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

A Direção do Jornal A Voz da Serra não é solidária, não se responsabiliza e nem endossa os conceitos e opiniões emitidas por seus colunistas em seções ou artigos assinados.