Fica como está

Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

quarta-feira, 10 de abril de 2019

Para pensar:

"É pobre de visão o homem que vê somente o que lhe está em frente.”

Francisco dos Santos Madeira

Para refletir:

“Amar também é um ato político."

Lucas Kastrup Rehen

Fica como está

A coluna de terça-feira, 9, já havia sido fechada quando chegou a informação de que a Justiça do Rio de Janeiro havia suspendido a posse de deputados estaduais presos.

Uma informação que, a depender de seu alcance, poderia gerar reflexos sobre a presença dos suplentes no plenário estadual.

De imediato, portanto, Adriana Oliveira, editora da página de AVS na internet, enviou mensagem ao deputado estadual Sérgio Louback, questionando se o novo desdobramento afetaria sua condição.

O que diz Louback

Segue a resposta recebida.

“A princípio não. Na verdade só pode melhorar a nossa posição, ou seja, [favorecer] a efetivação no mandato.

O regimento interno determina o prazo de 60 dias para posse, data que findou no dia 2 de abril.  Agora a decisão é em caráter liminar, sem julgamento do mérito. Cabe à presidência entrar com recurso.”

Transporte coletivo

Paulo Valente, diretor da empresa de ônibus Faol, entrou em contato com a coluna para prestar alguns esclarecimentos a partir do que foi debatido na mais recente audiência pública dedicada ao edital de licitação para o transporte coletivo em nossa cidade.

Quantitativo

“Quando assumimos o serviço a empresa tinha 200 ônibus na garagem, mas apenas 120 efetivamente rodando. Hoje nós temos cerca de 140, todos em condições de rodar. Geralmente operamos com 132 ou 133 nas ruas, além de oito ou nove de reserva, e com esta frota temos atendido bem a toda a demanda, toda a programação. Otimizamos a frota de várias maneiras, entre as quais destaco a manutenção, que passou a ser noturna. Antigamente cada ônibus rodava cerca de 12 horas por dia, e agora eles rodam 16. Ou seja: a cada três ônibus é como se tivéssemos um a mais nas ruas, em relação ao que acontecia antes.”

Segue

“Tudo isso foi feito com logística, técnicas de gestão e aproveitamento de frota, visando reduzir custos, economizar mão de obra, economizar frota, com reflexo na tarifa. Quanto mais ônibus circulando, mais despesas com prestação, mais mão de obra para prestar o mesmo serviço. Outra coisa: linhas não foram extintas, foram somadas. Floresta e Alto do Floresta, por exemplo, havia uma linha para cada. Agora os dois fazem o percurso Centro-Alto do Floresta, via Floresta. A demora que era de uma hora passou a ser de 30 minutos. Antes tínhamos dois mil horários por dia, e cumpria 1.600. Hoje temos 1.800 e cumprimos todos eles.”

Em tempo...

Da mesma forma como a coluna abre espaço para a empresa ou para políticos, também abre para usuários.

Aliás, como se vê, todas as partes acompanham o que se passa por aqui, de modo que temos um bom canal de diálogo a serviço da sociedade.

O retorno por parte dos leitores é sempre bem-vindo.

Olho vivo (1)

A VOZ DA SERRA já noticiou o fato, mas a coluna faz questão de reforçar, até mesmo para que sirva de exemplo.

Pois bem, os leitores devem estar cientes de que o Centro Municipal de Educação Infantil Augusta Hörn (a creche Dona Augusta), no bairro Cônego, foi invadido por vândalos no último fim de semana.

Um absurdo completo.

Olho vivo (2)

O episódio, contudo, reservou ao menos um aspecto positivo: câmeras de segurança do programa Cidade Inteligente, que atualmente cobre boa parte de nosso centro urbano, registraram a invasão, por volta das 23h17 do dia 6, e também o momento em que os invasores deixaram a unidade, pulando o mesmo muro, que fica atrás da creche.

Olho vivo (3)

A coluna torce para que as imagens ajudem a identificar os protagonistas dessa história, e também para que todo este episódio sirva para nos lembrar que não há nada de especial ou interessante nesse tipo de ação.

Justiça

A coluna não sabe dizer se algo foi efetivamente feito ou se foi apenas coincidência, mas por uma questão de justiça é importante registrar que o áudio da transmissão on-line das sessões de nossa Câmara Municipal melhorou sensivelmente desde que tocamos no assunto por aqui.

A gravação da última quinta-feira, 4, ficou bem nítida, e se esta qualidade puder ser mantida, a falta da TV Câmara será um pouco atenuada.

Essencial

O perfil de Ilona Szabó no Twitter foi citado na lista da Revista Bula entre “99 mulheres essenciais” para se seguir em 2019.

“Agradeço aos que me indicaram e ao reconhecimento do meu perfil nessa plataforma, que utilizo para disseminar meu trabalho e conteúdos relevantes para o país sobre Segurança Pública. E para quem não me segue no Twitter: lá sou @IlonaSzaboC. Espero você por lá para conversarmos e virarmos o jogo!”, declarou a friburguense.

Abandonou?

Moradores da Rua Augusto Spinelli têm reclamado a respeito do que parece ser um carro abandonado bem em frente ao número 130, exatamente onde existe uma faixa de pedestres.

A coluna já recebeu vários relatos, dando conta de que o veículo estaria parado ali há várias semanas.

Ausência sentida

Semana passada dedicamos um pouco de espaço para render homenagens a alguns patrimônios de nossa história que nos deixaram recentemente.

E hoje, infelizmente, a coluna volta a registrar o falecimento de um personagem muito conhecido de nossas ruas, o popular Klein, “rei da empada”, cujo nome traz muitas memórias gustativas a este colunista.

A coluna se solidariza a amigos e familiares.

Publicidade
TAGS:

Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

A Direção do Jornal A Voz da Serra não é solidária, não se responsabiliza e nem endossa os conceitos e opiniões emitidas por seus colunistas em seções ou artigos assinados.