Fake news

Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

sexta-feira, 08 de novembro de 2019

Para pensar:

“O momento em que o cockpit mais chacoalha é quando se está prestes a romper a barreira do som”

Chuck Yeager

Para refletir:

“É preferível ser dono de uma moeda do que escravo de duas.”

Provérbio grego

Fake news

No dia 14 de outubro do ano passado, logo após a realização do 1º turno das eleições majoritárias, a coligação que apoiou a candidatura de Fernando Haddad à presidência da República deu entrada em uma ação de alcance nacional contra dezenas de casos de notícias falsas que haviam sido difundidas através da internet nos dias anteriores.

Certo, mas o que isso tem a ver com a gente?

Novos tempos

Um dos casos identificados teve origem aqui, em Nova Friburgo, e o responsável direto foi intimado nesta segunda-feira, 4, a apresentar sua defesa.

O prazo para isso se esgotou na quarta-feira, 6, e a perspectiva, dada a materialidade com que as denúncias foram feitas, é de que a ação redunde no pagamento de multa, cujo valor a coluna não tem condições de estimar.

Diante do nível que se desenha para nossas eleições em 2020, a coluna entende que dar publicidade a esse caso pode servir de aviso a quem não se deixa guiar pela ética.

Cá entre nós...

A sociedade deveria se unir com todas as forças em favor da preservação da verdade em período eleitoral, independentemente do lado para o qual se torça ou trabalhe.

Inclusive porque se alguém acredita que precisa recorrer a mentiras para que determinado projeto se torne atraente, ou para que concorrentes não pareçam bons o bastante, então só podemos acreditar que essa pessoa não acredita verdadeiramente na qualidade daquilo que está tentando vender, correto?

Intolerável

Para vencer uma eleição, não pode valer tudo.

Promessas levianas, que jamais se pretendeu cumprir, deveriam há muito ser tratadas como gravíssimo crime contra o sistema democrático, e compreendidas pelos eleitores como atestado último da falta de confiabilidade, da inversão de prioridades, do egoísmo incompatível com quem deveria gerir interesses públicos.

O tipo de coisa, enfim, que deveria expulsar pessoas da vida pública.

Inversão

Já passou da hora de amadurecermos, e de deixarmos de inverter a ordem dos fatores.

Não dá mais para procurar e replicar fontes que digam o que queremos que seja tido como verdade, o que nos agrada, o que nos dá o conforto de termos razão em nossas implicâncias.

Em vez disso, é momento de formar opinião a partir de fatos comprováveis, de evidências, de informações verdadeiras e contextualizadas.

Chega de se deixar manipular à troca da ilusão de ter estado sempre certo.

Mais vale uma verdade feia que uma mentira bonita.

Laboratórios

A coluna tem sido procurada há algum tempo por leitores em busca de apoio para a realização de exames laboratoriais em nossa rede pública de Saúde.

Os principais questionamentos foram repassados à Secretaria Municipal de Saúde, que dividiu com a coluna as seguintes informações.

Aspas (1)

“Foi aberto o processo de chamamento público número 4025/2019, chamada pública 004/2019, para credenciamento de empresas especializadas na prestação de serviços de exames laboratoriais. Trinta dias úteis após a publicação do edital foi marcada a sessão para a abertura de envelopes. Durante a sessão de julgamento de habilitação foi consignado o interesse de alguns laboratórios recorrerem diante de suas inabilitações, o que foi concedido de acordo com a legislação vigente.”

Aspas (2)

“Ultrapassados os prazos recursais, a Procuradoria acatou em parte os recursos, o que restou também acatado pelo secretário: a concessão do prazo de oito dias úteis para a apresentação dos documentos faltantes e vencidos, objeto dos recursos. Assim a comissão, respeitando tal prazo, marcou para o dia 18 de novembro, às 10h30, sessão de prosseguimento.”

Aspas (3)

“No mesmo dia serão abertos os envelopes das propostas financeiras e será dado o resultado de julgamento, cabendo ainda, recursos e contrarrazões contra o resultado. Mediante tal fato, para atender a população, esta gestão abriu nesta data processo emergencial sob o número 27927/2019 para evitar assim, a paralisação dos serviços até a conclusão do chamamento.”

Necessário

O leitor sabe bem que a coluna sempre defende a realização de procedimentos licitatórios efetivos, e já criticou muitas emergências nitidamente fabricadas que andaram ocorrendo por aqui em passado não muito distante.

O quadro em questão, no entanto, certamente demanda medidas urgentes, ainda que a coluna prefira preservar a privacidade dos relatos dramáticos recebidos por parte de alguns leitores.

Dito isso, evidentemente espera-se que a Secretaria de Saúde apure eventuais responsabilidades no contexto que tornou necessário e justificável o procedimento emergencial.

Resultado do sorteio

A coluna recebeu seis e-mails por parte de leitores interessados em ler o livro “Engano Fatal”, da saudosa Tânia Braune.

Seis leitores para cinco exemplares…

Bom, deixar um de fora não pareceu justo ao colunista, que resolveu oferecer seu próprio exemplar, a fim de que todos os interessados sejam contemplados.

Onde e quando

Assim, a partir da tarde desta sexta-feira, 8, os leitores José Nilson, Raquel Souza, Nelson Vassalo, Walter Neto, Rogério da Silva e Luiz Henrique Faria podem retirar seus exemplares diretamente na sede de A VOZ DA SERRA.

Parabéns a todos, e obrigado pela parceria de sempre.

Publicidade
TAGS:

Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

A Direção do Jornal A Voz da Serra não é solidária, não se responsabiliza e nem endossa os conceitos e opiniões emitidas por seus colunistas em seções ou artigos assinados.