Excelente notícia

Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

sábado, 31 de agosto de 2019

Para pensar:

“Cada um que varra a sua porta. Se o mundo não ficar limpo, pelo menos ficará menos sujo.”

Otto Lara Resende

Para refletir:

“E uma vez lançada, a palavra voa, irrevogável.”

Horácio

Excelente notícia

Já faz tempo que o fisioterapeuta friburguense Fellipe Abinasse, especializado pelo Inca em tratamento oncológico, vem prestando um serviço muito bonito e humano em nossa cidade.

Por isso mesmo, foi uma notícia muito festejada quando ele começou a dar aulas a estudantes de fisioterapia, passando adiante não apenas o precioso conhecimento que acumulou, mas também um pouco de sua paixão pela profissão e pelo privilégio que é cuidar.

A melhor notícia, no entanto, acaba de acontecer.

Convênio (1)

A Secretaria Municipal de Saúde e a Universidade Estácio de Sá iniciaram uma parceria que vai oferecer a fisioterapia para pacientes oncológicos do SUS.

A seleção dos pacientes que serão encaminhados para este programa está sendo conduzida pela equipe do TFD, o Tratamento Fora de Domicílio. 

Convênio (2)

O atendimento será feito dentro do campus da Estácio em Nova Friburgo, na Clínica Escola, tendo o próprio Fellipe como responsável.

A partir de suas avaliações e do tratamento que indicar para cada caso, estagiários terão oportunidade de ajudar na execução dos processos, que incluem terapia respiratória, e reabilitação pós-cirúrgica, entre outros.

E, claro, todo este conhecimento adquirido pelos alunos terá profundos reflexos de longo prazo sobre a já destacada fisioterapia friburguense.

Para ser atendido

De acordo com Fellipe, os atendimentos são às terças e quintas-feiras, das 13h às 17h30.

O tratamento é gratuito, mas é necessário que o paciente tenha encaminhamento do SUS, do Inca ou da Associação das Mulheres Mastectomizadas (Ama).

“Só não podemos aceitar, por enquanto, pacientes particulares ou que possuam plano de saúde. A ação é mesmo voltada para a população carente”, explica.

Aspas

De acordo com Viviane Medeiros, coordenadora do serviço de fisioterapia da atenção básica de Nova Friburgo, "essa parceria permite que a universidade abra as portas da sua clínica para atender aos pacientes de oncologia, neurologia ou de atraso desenvolvimento neuropsicomotor infantil e da parte respiratória, que são assistidos pelo SUS. Os profissionais da clínica estão atendendo à essa demanda do município."

Eficiência humanitária

A forma como essa parceria se mostra capaz de combinar simplicidade e efeitos muito positivos inevitavelmente nos leva a refletir a respeito da busca por eficiência no enfrentamento a alguns de nossos problemas mais sérios.

Por exemplo: todos nós aqui sonhamos com um hospital de oncologia de referência, no belo espaço existente na Ponte da Saudade.

Mas a verdade é que, até hoje, essa unidade só existiu sob a forma de indústria de votos e estelionato eleitoral.

Cenário ideal

Ora, todos sabemos que existiria verba mais do que suficiente para a manutenção deste e outros hospitais caso a gestão do SUS - um projeto lindo, e que esta coluna defenderá sempre - não fosse tão comprometida pela combinação de falta de conhecimento e poderosos interesses infiltrados.

Dentro do contexto que se apresenta, contudo, o funcionamento do hospital dependerá de amarrações junto a esferas superiores que soam, no momento atual, bastante complicadas.

Pode acontecer - tomara que aconteça -, mas não é fácil.

Bom começo

Todavia, talvez não fosse tão difícil concentrar esforços pela criação de uma unidade de quimio e radioterapia em um dos hospitais já existentes.

Talvez não resolvesse o problema por completo, mas ao menos nos casos mais graves, para os quais o tratamento fora de domicílio é demasiadamente penoso, o alívio seria enorme.

Estrutura de apoio

Além disso, existem muitas outras frentes de apoio ao paciente em tratamento que podem ser aprimoradas a baixo custo.

Uma dessas pacientes, por exemplo, relatou recentemente ao colunista a carência que sentiu de apoio nutricional específico para o tratamento oncológico aqui em Nova Friburgo, considerando que um dos efeitos mais pesados da quimioterapia pode ser o contínuo gosto ruim na boca e a falta de apetite.

Sem parar

Enfim, a coluna jamais desistirá de estimular ou cobrar avanços em relação a tudo o que já nos foi prometido, e que certamente poderia ser cumprido com um pouco mais de comprometimento.

Todavia, enquanto o cenário ideal não se concretiza, parece haver um leque de possibilidades de baixo custo e alto impacto que talvez mereçam ser consideradas com mais carinho e profundidade.

Faol responde

Como tem acontecido, a direção da empresa de ônibus Faol soube das reclamações apresentadas por leitores publicadas pela coluna e enviou resposta.

Aspas

“Respondendo sobre os pleitos da região de Riograndina, Terra Nova, Maria Teresa e Maringá, a empresa reitera que ao longo dos últimos 24 meses já foram colocados mais ônibus na operação dessas linhas, todos novos no caso das duas primeiras, e que o trânsito realmente tem atrapalhado, especialmente nos horários citados, e que está estudando a possibilidade de promover ajustes que amenizem os problemas relatados. A questão da mobilidade tem que ser debatida com urgência!”

A mensagem é assinada por Paulo Valente, diretor da Faol.

BRS

Em conversa recente com um profissional que possui longa experiência no transporte coletivo do Rio de Janeiro, o colunista ouviu a seguinte avaliação.

“Nova Friburgo precisa, ao menos no trecho entre o Centro e Conselheiro Paulino, de uma faixa exclusiva para ônibus. Como já existe um bom acostamento, esse seria um projeto possível. Ficando livre dos congestionamentos, cada coletivo poderia fazer ao menos uma viagem a mais no mesmo período de tempo. Os custos praticamente não aumentariam para a empresa, e a qualidade do serviço melhoraria demais.”

Fica aí a ideia, para avaliação geral.

Por pouco

A Câmara Municipal de Cantagalo negou, por cinco votos a três, o pedido de abertura do processo de cassação do prefeito Guga de Paula (PP).

Em sessão descrita como “tranquila”, acompanhada por munícipes e autoridades do município, a admissibilidade da representação do pedido de cassação foi negada.

Decoro

O pedido de cassação do prefeito foi apresentado pelo vereador Ciro Fernandes Pinto (PHS) na última terça-feira, 27, sob acusação de quebra de decoro, após o gestor municipal ter proferido um xingamento (alegadamente em tom de brincadeira) direcionado a um amigo pessoal durante o evento “Saudade não tem idade”, realizado pela Prefeitura de Cantagalo no distrito de Santa Rita da Floresta.

Foto da galeria
Publicidade
TAGS:

Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

A Direção do Jornal A Voz da Serra não é solidária, não se responsabiliza e nem endossa os conceitos e opiniões emitidas por seus colunistas em seções ou artigos assinados.