Estava escrito

Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

quarta-feira, 07 de fevereiro de 2018

Para pensar:

“Fale a verdade, mesmo que ela esteja contra ti.”

Alcorão

Para refletir:

“Treine enquanto eles dormem, estude enquanto eles se divertem, persista enquanto eles descansam, e então, viva o que eles sonham.”

Provérbio japonês

Estava escrito

A coluna muitas vezes não se permite publicar tudo o que sabe, porque o compromisso com a comunidade é maior do que a preocupação em ser o primeiro a noticiar.

Mas os leitores mais atentos certamente perceberam que havia muitas incertezas quanto à capacidade da empresa vencedora da licitação do carnaval entregar tudo o que dela era esperado pelo valor apresentado.

Vai dar samba? (1)

Pois bem, na noite de segunda-feira, 5, a prefeitura, através de sua Subsecretaria de Comunicação Social, divulgou nota oficial confirmando que a empresa desistiu dos trabalhos na última sexta-feira, 2.

Vai dar samba? (2)

Uma boa medida do tamanho desse abacaxi nos foi dada pelas duas concorrentes seguintes na ordem de classificação, que declinaram do trabalho por entender que não existe tempo suficiente para a execução do contrato.

As esperanças agora recaem sobre a quinta colocada, que apesar de ser radicada em Rio Bonito já organizou o evento por aqui de 2013 a 2015.

Esclarecendo

A coluna fez seu dever de casa e entende que os valores da licitação estão bastante condizentes com os gastos necessários.

Nenhuma dúvida quanto a isso, e é justo destacar que a proposta da empresa vencedora ficou mais de R$ 200 mil abaixo do teto estimado.

O problema não é esse, mas o estresse desnecessário atrelado ao fato de se realizar a licitação tão em cima da hora.

E não é só no carnaval que tais efeitos são sentidos.

Bom entendedor

Em outras vezes a coluna é sutil, e sugere informações por entender que o personagem principal é quem deve escolher a hora de se manifestar publicamente.

Já faz algum tempo, por exemplo, que a coluna fala na saída de um integrante da base governista por falha na administração de expectativas dentro desta mesma base.

Publicamente

Pois bem, nesta terça-feira, 6, o vereador Sérgio Louback (PSC) tornou público seu afastamento da base, embora ninguém que o conheça vá esperar dele uma migração automática para a oposição.

Pré-candidato assumido a uma cadeira na Alerj, Louback possivelmente será o que os americanos chamam de "Maverick", um vereador independente que irá avaliar caso a caso sua postura.

X da questão

Ainda que o anúncio tenha sido feito agora, a verdade é que o governo perdeu Louback ao anunciar a nomeação de Christiano Huguenin como secretário de Saúde, num momento em que Louback já trabalhava na formação de uma equipe para assumir a pasta.

Ecos

O posicionamento de Louback volta os olhares para a condição de Daniel Lage, secretário de Políticas sobre Drogas, indicado pelo PSC.

Ainda que a condição mais importante para se manter um secretário tenha de ser a justa avaliação de seu desempenho, a experiência nos diz que a cultura política há muito os transformou (infelizmente!) em moeda de troca por apoio legislativo.

Falência (1)

Aconteceu nesta terça-feira, 6, por volta das 10h, na caótica esquina da Rua Monte Líbano.

Quando fechou o sinal para quem segue da Praça Dermeval Barbosa Moreira para a Avenida Alberto Braune, dois ônibus e alguns carros fechavam por completo o cruzamento e impediam o fluxo que deveria seguir pela Monte Líbano.

Falência (2)

Quando finalmente o caminho ficou livre, o sinal para estes já havia fechado novamente, e estava aberto apenas para pedestres.

Sentindo-se prejudicados, no entanto, os motoristas seguiram adiante.

Daí, enquanto carros, motos e pedestres disputavam cada metro quadrado num confronto sem regras, o sinal da praça voltou a abrir.

Falência (3)

Quem passava pelo local testemunhou algo como a concretização de uma profecia.

Durante alguns minutos fomos transportados para a Índia. Semáforos ignorados de parte a parte, todo mundo travando todo mundo, emoções guiando o que deveria ser feito pela razão.

E no fim, claro, ninguém ganhou tempo com isso.

Será que alguém aprendeu a lição?

Polêmica necessária (1)

Pertinho de onde a anarquia semafórica se instaurou, horas antes um grande galho de nossos eucaliptos centenários da Praça Getúlio Vargas caiu sobre carros estacionados e bloqueou o fluxo de veículos.

A cena inevitavelmente dialoga com o passado recente de nossa história, e nos impõe algumas considerações.

Polêmica necessária (2)

Falando francamente, e por mais que se discorde dos meios adotados, ninguém em sã consciência pode acreditar que o ex-prefeito Rogério Cabral ordenou o corte dos eucaliptos porque não gostava deles.

É totalmente lícito argumentar que os métodos ou os estudos poderiam ter sido outros, mas não dá para falar em má fé.

Sejamos maduros aqui.

Polêmica necessária (3)

E, ainda que seja possível argumentar que o corte não conseguiu prever o risco de queda deste galho específico, parece justo reconhecer que o ex-prefeito tinha motivos para se preocupar.

Faz sentido?

Uma perguntinha aos leitores: em meio à escalada de casos de febre amarela, faz algum sentido a demissão de um infectologista?

Volte sempre

O tradicional Bloco Máquina Tricolor, que em 2017 deu um verdadeiro show ao trazer para Nova Friburgo o craque Romerito, autor do gol que deu o Campeonato Brasileiro de 1984 ao Fluminense, quase conseguiu repetir a dose neste ano.

Em memória

Ao que parece, Romerito ficou sensibilizado com o carinho dos torcedores serranos.

E não foi para menos, a festa foi mesmo bonita.

O colunista, que não esconde sua paixão pelo Tricolor das Laranjeiras, aguarda a confirmação da vinda do também craque Deley, para participar do desfile que irá prestar homenagens ao eterno "Casal 20", Assis e Washington.

Respostas

Os leitores criticam e sugerem porque conhecem bem a terra que habitam.

Entre respostas citando o "prédio no Parque da Cascata", a Fundação Getúlio Vargas, o Colégio Nova Friburgo, a Uerj, ou o cassino que ali funcionaria, respostas certas para nosso desafio de ontem, 6, foram enviadas por Marcelo Verly, Cláudio Damião, Tony Ventura, Sílvio Poeta, Stênio de Oliveira Soares, José Nilson, Rosemarie Künzel, Antônio Lopes, Márcia Leal Matos, Francisco Lavra da Silva Pinto, Raquel Souza, Manoel Pinto de Faria, Gilberto Éboli, Karin Ruppelt e Tânia Nicolau.

Parabéns a todos!

Publicidade
TAGS:

Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

A Direção do Jornal A Voz da Serra não é solidária, não se responsabiliza e nem endossa os conceitos e opiniões emitidas por seus colunistas em seções ou artigos assinados.