Esforço de reeleição

Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

sábado, 07 de dezembro de 2019

Para pensar:
“Ética para mim não é pose, não é bandeira eleitoral, não é construção artificial de imagem para uso externo. Ética para mim é compromisso de vida. Agir eticamente para mim é tão natural quanto o ato de respirar.”
Jefferson Péres

Para refletir:
“Para toda ação (força) sobre um objeto, em resposta à interação com outro objeto, existirá uma reação (força) de mesmo valor e direção, mas com sentido oposto.”
Terceira Lei de Newton

Esforço de reeleição
A prefeitura anunciou nesta sexta-feira, 6, algumas mudanças significativas em cargos de seus primeiro escalão, com detalhes que podem ser vistos na página 4 desta edição.

Para não sermos redundantes, faremos um breve resumo, antes de partimos para alguns comentários necessários.

Dança das cadeiras
Em essência, a jornalista Patrícia Cordeiro, de longa ligação com o grupo político da família Garotinho, assume a subsecretaria de Comunicação no lugar de Fernando Moraes.
Fernando, por sua vez, assume um cargo de assessoria na Secretaria de Governo, onde deverá desenvolver “projetos especiais” e um calendário de visitas a diversas comunidades e unidades da administração, em apoio à nova gestão da Ouvidoria, que agora fica a cargo de Rogério Dias.

Mudanças táticas
A mudança nas peças do tabuleiro, naturalmente, se enquadra nos esforços de reeleição da atual gestão, buscando dar máxima visibilidade ao pacote de obras relacionado aos recursos originalmente levantados para aquisição do imóvel da fábrica Ypu, e também a aproximar a gestão das ruas, reduzir o distanciamento e melhorar o fluxo de informações.
E, cá entre nós, até aí é tudo legítimo.

Reconhecimento
A coluna não pode, todavia, deixar de dedicar umas palavras a Fernando Moraes, que ao longo de quase dois anos realizou um trabalho elogiável junto à competente e atenciosa equipe da Secom.
Parece evidente ao colunista que Fernando efetivamente acredita nas coisas que defende, e se nossa visão é diferente isso não muda o fato de que sua postura é digna de respeito.
É na discordância, afinal de contas, que o respeito se prova.

Respeito
De fato, o tom crítico deste espaço jamais se confundiu com oportunismo, deslealdade ou desonra.
Ao longo dos anos o colunista já trabalhou com diversos secretários de comunicação, e sempre manteve o espaço aberto à divulgação de boas notícias, desde que devidamente fundamentadas.
Nada disso mudou ou vai mudar, da mesma forma como a disposição é sempre para o convívio respeitoso, em nada incompatível com a liberdade editorial.

Qual é a música?
Dito isso, evidentemente a coluna dança conforme a música.
Obviamente o colunista tem olhos e ouvidos em muitos lugares, e não foi preciso muito esforço para cruzar informações e rastrear de onde partiu a recente tentativa de intimidação a este espaço.
Como diz a linguagem popular, portanto, a bola neste momento está na quadra do governo, e os próximos movimentos dirão se continuaremos ou não a ter uma convivência crítica, porém respeitosa e construtiva, como é desejo de qualquer pessoa séria e movida por interesses coletivos.

Inimaginável
Com o devido tempo para analisar, a coluna fez um levantamento detalhado a respeito do projeto de lei complementar 686/2019, que pretende alterar o Código Tributário Municipal, e reforçou todas as suas impressões iniciais.
Paralelamente, o colunista também procurou fontes bastante qualificadas e ouviu em retorno expressões como “de embrulhar o estômago”.
Tem muito ponto questionável dentro da redação, e é inimaginável que a Câmara aprove este texto sem promover um amplo debate, ou sem propor alterações significativas.

Fala, leitor!
“Aproveitando o ‘gancho’ das bexigas da Black Friday, não é hora da Secretaria de Ordem Urbana notificar as lojas que largam essas bexigas pela rua? Os comerciantes ‘enfeitam’ as lojas e quem tem que tirar o lixo da rua é a equipe de limpeza urbana. Sem contar a quantidade que vai parar nos bueiros e as que ficam largadas pelos cantos das calçadas. Vale lembrar, também, das caixas de som no último volume que atormentam a vida de quem passa. Não sei quem teve a ideia ‘magnífica’ de que som alto atrai cliente. Falta fiscalização e punição, a quem couber.”
Assina a mensagem o leitor Marcelo Machado.

Desafio
Para encerrar os trabalhos semanais, nada melhor do que uma foto da querida Regina Lo Bianco para estimular os leitores a demonstrarem seus conhecimentos a respeito de nossa cidade, não é mesmo?
Se bem que, nesse caso específico, ter a oportunidade de noticiar a recuperação deste espaço seria ainda melhor.
E aí, quem reconhece o local fotografado?

Novidades?
E quem tem notícias sobre sua condição atual e futura?
Espaço aberto para dividir com os leitores qualquer novidade a esse respeito.

Foto da galeria
Publicidade
TAGS:

Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

A Direção do Jornal A Voz da Serra não é solidária, não se responsabiliza e nem endossa os conceitos e opiniões emitidas por seus colunistas em seções ou artigos assinados.