Dito e feito

Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

sexta-feira, 15 de março de 2019

Para pensar:

“Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem.”

Jesus Cristo

Para refletir:

“Somos o que pensamos. Tudo o que somos surge com nossos pensamentos. Com nossos pensamentos, fazemos o nosso mundo.”

Buda

Dito e feito

A coluna antecipou ontem, e o Ministério Público do Trabalho (MPT) confirmou em seguida: agentes do órgão estiveram no posto de vistoria do Detran de Nova Friburgo na tarde de terça-feira, 12, para averiguar denúncia de assédio moral vitimando funcionários terceirizados daquele órgão como destaca a reportagem na página 3 desta edição.

Os funcionários estariam sendo coagidos, por empresas que prestam serviço para o Detran, a pedirem demissão ao final dos contratos, ao invés de serem demitidos, de forma a desobrigar as empresas do pagamento de algumas verbas rescisórias.

Coisa grande

Após a diligência, foi autuada a Notícia de Fato 000076.2019.01.002/8, com o objetivo de investigar a prática irregular nas empresas Probid Consultoria e Serviços, Itplan Integração Tecnologia e Planejamento e Planejar Terceirização e Serviços.

De acordo com a nota assinada pelo procurador Jefferson Luiz Maciel Rodrigues, estima-se que existam cerca de 40 trabalhadores atingidos em Nova Friburgo e cerca de 1.700 em todo o Estado do Rio de Janeiro.

Opinião

Um passeio pelas redes sociais mostra que a primeira emenda à nossa nova Lei Orgânica gerou bastante controvérsia.

E os argumentos, em sua maioria contrários ao posicionamento manifestado ontem pela coluna, são bastante compreensíveis e válidos.

Estelionato

A esse respeito, o entendimento do colunista é o seguinte: abandonar um mandato pela metade para concorrer a outro cargo não é uma atitude ética.

Fica evidenciado o peso que o candidato dá a interesses pessoais, e também a predisposição ao estelionato eleitoral, uma vez que ninguém pede votos dizendo que pretende cumprir apenas metade do mandato.

Muita gente faz, mas não significa que seja algo normal ou inofensivo.

Resquício

Por outro lado, mandatos só são obtidos através de votos.

Se casos assim ainda acontecem é porque a população lhes dá respaldo.

Ainda que não concorde com a prática, o colunista entende que preservar a titularidade do mandato de vereador em casos de suplência em esferas superiores significa um resquício de respeito à vontade popular, em meio a uma ciranda essencialmente desrespeitosa a ela.

Mas, claro, essa é uma opinião pessoal.

CEA (1)

Dias atrás, Jorge de Carvalho, ex-presidente da Câmara Municipal, enviou mensagem levantando questionamentos a respeito do Centro de Educação Ambiental (CEA), “que deveria funcionar junto ao CTR da EBMA e continua fechado desde a tragédia de 2011. Preservação do meio ambiente passa pela educação. Uma pergunta simples: o que foi feito com os recursos provenientes do faturamento da empresa, na ordem de 3% mensalmente por força contratual, durante esse período?”


CEA (2)

Já faz algum tempo que a coluna vem levantando informações a este respeito, e ainda que não seja momento de aprofundar o tema, já dá para dizer que algumas pegadas encontradas coincidem com marcas anteriores deixadas pela abominável criatura das vilas marginais.

Qualquer hora a gente volta a falar disso.

Empolgado

Poucos meses após publicar seu primeiro romance, intitulado “Terapia de um Sequestro”, o popular Manoel Carlos de Carvalho - que é pai de Ilona Szabó - se prepara para lançar seu segundo livro: “Os Segredos de Cida”.

O lançamento aqui em Nova Friburgo acontece no próximo dia 29, a partir das 18h, na Livraria Sabor de Leitura (Rua Monsenhor José Antônio Teixeira, 25 A).

Assim como o livro anterior, este também é inspirado em fatos reais.

Geni Nader

Nesta mesma livraria, amanhã, 16, às 18h, a socióloga Geni Nader e Fábio Renato Pereira Robles lançam a obra “Perplexidades, devaneios e provocações” que visa a promoção de debates e reflexões sobre o cenário contemporâneo e a formação do profissional do cuidado. A publicação é da editora In Media Res.     

Fenf 2019

Após o sucesso da edição 2018, o ator, diretor (e um monte de etcéteras) Lincoln Vargas confirma ao colunista que o Festival de Esquetes de Nova Friburgo (Fenf) será reeditado em julho deste ano.

O artista friburguense deve subir a serra na próxima semana para dar início a reuniões com possíveis apoiadores, e como o material de divulgação deve começar a ser preparado em breve, a hora de se associar ao evento é agora.

De volta

Conforme a coluna havia registrado, Rodrigo Neves, prefeito de Niterói, teve sua situação avaliada pelo 3º Grupo de Câmaras Criminais do Tribunal de Justiça do Rio (TJ-RJ) na última terça-feira, 12.

Por maioria de votos os desembargadores aceitaram recurso da defesa do prefeito de Niterói e também de outros quatro acusados.

Assim, Rodrigo teve a prisão revogada e poderá retomar o cargo.

Fala, leitor!

“Carrego comigo um profundo desalento. Por inúmeras vezes estive na prefeitura reclamando do abandono a que foi relegado o Bairro Varginha, no trecho que vai da escola pública até o ponto final do ônibus. Além de estar a iluminação pública totalmente falida, estamos há mais de um ano com a pavimentação absurdamente intransitável. Repleta de enormes crateras, torna a passagem por esse trecho um risco para carros, ônibus e pedestres.”

Segue

“A Secretaria de Obras alega não dispor de asfalto para o reparo. A minha pergunta é: e nós com isso, já que pagamos um polpudo IPTU? Se pelo menos fizessem aquele  tapa-buracos de sempre, já seria uma meia-sola que não resolve, mas alivia. Além de ir várias vezes à prefeitura e ter postado uma reclamação em maio de 2018 neste jornal, vejo que nada adianta.”

Assina a mensagem o leitor Paulo Martins.

Respostas

Pouco após o fechamento da edição de quinta-feira, 14, a coluna recebeu novas respostas para o desafio de São Pedro da Serra, enviadas por Walter Neto, Gilberto Eboli, Lauro Eboli e Igor Santos.

Parabéns a todos!

Publicidade
TAGS:

Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

A Direção do Jornal A Voz da Serra não é solidária, não se responsabiliza e nem endossa os conceitos e opiniões emitidas por seus colunistas em seções ou artigos assinados.