Dia cheio

Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

quinta-feira, 31 de outubro de 2019

Para pensar:
“Frequentemente a prova da coragem não é morrer, mas viver.”
Vittorio Alfieri

Para refletir:
“Estar sempre com pressa não impede a morte.”
Provérbio de Ibo

Dia cheio
Por alguma conjunção astral que escapa aos conhecimentos deste colunista, diversos fatos de interesse geral estão previstos para ocorrer hoje, 31.
Vamos a eles, portanto.

Circulando
Na manhã desta quarta-feira, 30, conforme a coluna havia antecipado, a Nova Faol convidou a imprensa, os poderes municipais e diversas representações da sociedade civil para apresentar os 27 novos ônibus, dar detalhes sobre suas configurações, e também expor informações gerais a respeito do transporte coletivo, e outras bastante específicas a respeito da operação do serviço dentro da realidade friburguense.

Os detalhes deste evento podem ser lidos em matéria específica que A VOZ DA SERRA publica nesta edição.

Registros (1)
Dois registros, no entanto, nos permitimos fazer por aqui mesmo.
O primeiro é de que os novos ônibus começam hoje, 31, a substituir os 27 mais antigos da frota.
A substituição se fará de forma paulatina, uma vez que nem todos os coletivos estão devidamente emplacados.
A expectativa é de que três coletivos sejam substituídos por dia, até o fim da próxima semana.
Os nove ônibus seminovos também adquiridos recentemente já estão em circulação.

Registros (2)
Já o segundo registro diz respeito à contabilidade da Nova Faol apresentada pela coluna na edição de ontem, 30.
Afinal, quando registramos o aumento de receita em R$ 575 mil ao mês, e as despesas alegadamente vinculadas ao aumento de tarifa e ao subsídio em R$ 589 mil, faltou incluir nessa equação o valor (que a coluna desconhece) a ser levantado com a venda dos 27 ônibus mais antigos.
A renovação não altera o tamanho da frota, que continuará com 140 ônibus.

No azul
Quer seja abatendo nas despesas ou somando nas receitas, portanto, a conta passa a fechar no positivo, ainda que por margem apertada.
Isso, claro, se o subsídio vier a ser mantido.
Algo que, até o fechamento desta edição, ainda não havia sido esclarecido.

No ar
Também hoje, 31, passa a valer o novo contrato da TV Câmara, a tempo de garantir a transmissão da última sessão ordinária de outubro.
Demorou, mas aconteceu.
E veio em boa hora.
O leitor deverá perceber em breve que muita coisa andou ficando represada em função da falta de visibilidade.

Estacionamento rotativo
Também está prevista para hoje a abertura do edital para o estacionamento rotativo, sonho antigo do governo municipal.
A esse respeito, o leitor conhece bem a opinião do colunista.
Evidentemente há que se buscar formas de estimular o uso do transporte coletivo e de bicicletas, entre outros modais possíveis, de modo a esvaziar nossos aglomeramentos urbanos do excesso de veículos que há tempos obstrui nossa capacidade de ir e vir.
A cobrança pelo estacionamento, no entanto, não pode se dar antes de outras medidas.

Cobrança prematura
O colunista considera um grave equívoco implantar o rotativo antes que a cidade tenha em mãos - e aplique - um bom plano de mobilidade que assegure efetivamente ao cidadão opções eficientes de deslocamento que não passem pelo transporte individual.
Do contrário, no entendimento deste que vos escreve, o que temos é o cidadão sendo duplamente penalizado, ao ser obrigado a pagar por algo que muitas vezes se vê obrigado a fazer não por opção, mas por ineficiência justamente de quem autorizou a cobrança do estacionamento.
Não parece justo, ou mesmo razoável.

Orçamento
Por fim, também nesta quinta-feira, 31, a Câmara Municipal realizará audiência pública para debater a Lei Orçamentária Anual (LOA) para o ano de 2020, cumprindo seu papel de avaliar e ajustar a proposta orçamentária do Poder Executivo.
Entre os temas da pauta estará o orçamento da Saúde para o próximo ano.
O evento, que acontece das 15h às 18h, é aberto ao público e busca ouvir demandas da população, debater as necessidades do município e definir os objetivos e metas a serem cumpridos pelo poder Executivo no próximo ano.

Subsídio
Falamos muito, nos últimos dias, a respeito do subsídio municipal à tarifa do transporte coletivo, e a forma controversa - para usar um termo brando - com que isso está se dando por aqui desde setembro.
Pois bem, a coluna entende que o governo municipal estuda meios de aumentar esse subsídio no futuro próximo.

Ampliando a base
Até onde a coluna foi capaz de apurar, a ideia seria criar uma espécie de taxa de mobilidade urbana, que faria com que o custeio das gratuidades fosse dividido com toda a sociedade, e não apenas com a base de usuários.
Em tese, a medida daria margem a reduções na tarifa praticada, embora, no fim das contas, o dinheiro continue a sair do bolso do contribuinte.
Esse tipo de modelo é aplicado em várias cidades do mundo, e a coluna convida leitores a opinarem sobre o tema.

Intervenção necessária
A RJ-150, que liga o centro de Nova Friburgo ao distrito bonjardinense de São José do Ribeirão, deve passar por um (muito necessário) processo de recuperação asfáltica em seus dois sentidos.
A medida foi solicitada pelo deputado estadual Alexandre Knoploch (PSL/RJ) através de Indicação ao Governo do Estado do Rio de Janeiro apresentada na Alerj.

Aspas
“A precariedade da via tem colocado em risco os motoristas que passam pela área. Garantir a mobilidade de forma segura na rodovia é uma responsabilidade do Estado e tenho certeza que o Departamento de Estradas de Rodagens do Estado do Rio de Janeiro (DER/RJ) realizará as intervenções necessárias com a maior brevidade possível”, declarou o deputado.

Respostas
Até o fechamento desta edição, haviam reconhecido corretamente a foto de nosso antigo fórum, publicada na edição do último fim de semana, os parceiros Marcelo Machado, Rosemarie Künzel, Guto Soares, Raquel Souza, Stenio de Oliveira Soares, Manoel Pinto Faria, Gilberto Éboli, Manoel Corrêa, além de Gerson e Gilberto, turma boa da banca de jornal Rua General Osório.

 

 

Publicidade
TAGS:

Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

A Direção do Jornal A Voz da Serra não é solidária, não se responsabiliza e nem endossa os conceitos e opiniões emitidas por seus colunistas em seções ou artigos assinados.