Desmoronando

Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

quinta-feira, 03 de outubro de 2019

Para pensar:

“A lei da atração é assim: semelhante atrai semelhante. Diga - me com quem andas, e eu te direi quem és.”

Andrea Taiyoo

Para refletir:

“As más companhias são como um mercado de peixe; acabamos por nos acostumar ao mau cheiro.”

Provérbio chinês

Desmoronando

O mês de outubro começou muito quente nos bastidores de nossa política.

Na tarde de terça-feira, 1º, o Partido Cidadania - antigo PPS - deixou formalmente o governo Renato Bravo.

Cargos foram devolvidos e o Palácio Barão de Nova Friburgo deixa de contar de vez com o suporte político de Comte Bittencourt, que foi bastante importante em oportunidades passadas.

Isolamento

Mais que isso: o presidente da Câmara Municipal, vereador Alexandre Cruz, passa a ser agora, formalmente, um vereador de oposição.

E não foi sozinho.

Marcio Damazio, cuja ida para o Cidadania parece iminente, também deixou a base de governo.

Terremoto

Ou seja: numa só tacada, presidente e vice-presidente do Legislativo Municipal - os dois homens que comandaram o plenário nos últimos sete anos - passaram para o campo oposto, conferindo à Mesa Diretora da Câmara um perfil fortemente oposicionista.

Ora, isso não é uma chacoalhada, mas um terremoto político.

Não apenas pelas perspectivas abertas em termos de votações ou propostas, mas sobretudo pelo enfraquecimento da convicção de quem ainda permanece no barco, mas já houve ao fundo a voz de Céline Dion entoando o tema de “Titanic”.

Tarde demais?

A essa altura alguém poderia argumentar que já é tarde demais para que alguém possa descolar a imagem do atual governo, e de tudo a que ele em breve estará atrelado.

E, cá entre nós, em condições normais essa é a mais pura verdade, porque todo mundo sabe muito bem o que vem acontecendo por aqui, e tem muita gente se omitindo.

Questão de justiça

Mas não devemos nos esquecer que Alexandre Cruz, na condição de presidente da Câmara, adotou postura de independência em relação ao Executivo, e Damazio foi o principal responsável pela aprovação do relatório da CPI que investigou os seguidos e custosos contratos emergenciais para fornecimento de alimentação hospitalar, tendo seguido a própria consciência na contramão dos interesses do governo.

Quem sai e quem entra

E já que falamos na CPI, a terça-feira reservou também uma imagem de grande simbolismo.

Afinal, a mesma porta pela qual saiu Alexandre Cruz, levando consigo os apoios de Marcio Damazio e Comte Bittencourt, continuou aberta para a entrada, logo a seguir, do deputado federal Leonardo Picciani e do vereador Christiano Huguenin, a quem recentemente foi entregue o comando do MDB por aqui…

Cá entre nós... Que troca, hein?

Ventania

Na prática, a nova composição do plenário fecha ainda mais o cerco para o Palácio Barão de Nova Friburgo.

Afinal, mesmo que não sejamos confrontados com uma intervenção externa, parece quase impossível, a essa altura, frear as forças internas que já se colocaram em movimento, amparadas por uma materialidade muito sólida.

Não se deixe enganar pelo calendário, o ano ainda não acabou não.

Ainda tem muita água para rolar até o Natal.

Emendas de bancada

Também na terça-feira, 1º, foi realizada uma reunião de bancada dos deputados federais pelo Rio de Janeiro, justamente a fim de que fossem debatidas as destinações para as emendas parlamentares de bancada.

Estamos falando aí de algo como R$ 5,6 milhões para cada um dos 46 parlamentares, o que reúne um montante considerável.

Silêncio

E, apesar disso, os parlamentares consultados pela coluna deram todos o mesmo depoimento: nenhum pedido de emenda, nenhum projeto robusto que pudesse ser apresentado à bancada, nenhuma indicação, nenhum ofício nascido em Nova Friburgo.

E isso, justamente no momento em que nossos laços com Brasília são mais numerosos e estreitos…

Não deu para ouvir todos os deputados, mas entre os mais próximos a sensação que fica é a de desperdício de oportunidades.

Boas notícias

Coluna pesada, não é? Pois falemos de boas notícias.

A coluna faz questão de elogiar o governo pelo anúncio da iminente implantação da Sala Lilás, um espaço diferenciado para o atendimento à mulher no Instituto Médico Legal (IML), onde as vítimas de violência doméstica, sexual, por homofobia e interpessoal, terão um atendimento reservado e humanizado para avaliação pericial dos protocolos de saúde exigidos por lei.

O que é bom merece ser reconhecido.

Voltou

A coluna já estava sendo fechada quando foi confirmado o retorno do nosso querido Frizão à elite do futebol Fluminense.

A coluna parabeniza a equipe técnica, os apoiadores e a torcida pela importante e difícil conquista, desejando que todos tenham o necessário suporte para que seja dada continuidade ao bom trabalho.

Afinal, nosso lugar é entre os grandes.

Publicidade
TAGS:

Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

A Direção do Jornal A Voz da Serra não é solidária, não se responsabiliza e nem endossa os conceitos e opiniões emitidas por seus colunistas em seções ou artigos assinados.