Desdobramentos

Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

quinta-feira, 13 de junho de 2019

Para pensar:

“Nunca é tão fácil perder-se como quando se julga conhecer o caminho.”

Provérbio chinês

Para refletir:

“Se não queres que ninguém saiba, não o faças.”

Provérbio chinês

Desdobramentos

Bom, a coluna de quarta-feira já havia sido fechada quando a ex-secretária de Saúde, Tânia Trilha, se manifestou a respeito do áudio que tornou insustentável sua continuidade na pasta.

A declaração completa pode ser vista na página de A VOZ DA SERRA na internet, mas a coluna faz questão de reproduzir o último parágrafo, porque ele impõe alguns questionamentos.

Aspas

“Entendo que a conduta de divulgar um áudio de um grupo privado de Direção descontextualizada, é um ato criminoso e no mínimo antiético que não merece crédito, pois se vale de um momento político e de julgamento daqueles que desconhecem a minha postura íntegra, profissional e acima de tudo humana. Sendo certo que as medidas judiciais cabíveis serão tomadas.”

Perguntas

Ora, existem algumas coisas bastante delicadas aí, e talvez este colunista tenha perdido alguma coisa.

Houve alguma quebra de sigilo telefônico? Algum grampo ilegal? Alguém hackeou o WhatsApp de alguém?

Alguém colocou palavras na boca de alguém, ou obrigou que se dissesse alguma coisa?

Devemos guardar para o futuro esta declaração de que divulgar áudios é algo criminoso?

Implosão

E mais: será razoável culpar membros de um grupo por alguém (que não se pode precisar) ter mostrado uma mensagem que foi mandada espontaneamente para várias pessoas?

Ora, por favor, a responsabilidade última pelo ocorrido é de quem poderia ter evitado todo este episódio, que agora já estourou em veículos como o jornal O Globo e a TV Bandeirantes, expondo mais uma vez o nome de nossa cidade de forma bastante negativa.

Essa casa, perdoem a sinceridade, caiu de dentro para fora.

Rumo errado

Alguém por acaso já parou para pensar no que sente, ao ouvir este áudio, um familiar de paciente que tenha morrido no Raul Sertã sem ter recebido o melhor atendimento possível?

Pois então, negar o óbvio só ajuda a manter o assunto em pauta, aumentar a indignação, e a deixar confortavelmente nos bastidores quem efetivamente optou pelo egoísmo em detrimento do sofrimento alheio.

Simples

No fim, é muito simples.

Não quer que divulguem?

Então não fale. Não faça. Não compactue. Não finja. Não atue.

Não flexibilize.

Seja, de fato, e o tempo todo, aquilo que quer parecer ser.

Quebra de confiança

Quem se der ao trabalho de pesquisar nos arquivos da coluna irá encontrar muitas referências positivas ligadas à ex-secretária, quer seja por ações na vida pública ou em instituição particular de ensino.

A confiança, contudo, não se quebrou agora, mas em meados de 2018, quando ainda era subsecretária subordinada ao secretário que a antecedeu, mais especificamente na forma como se deram as transferências de processos de licitação da Secretaria de Infraestrutura e Logística para a Saúde, com resultados que todos conhecemos.

X da questão

Vejamos o caso da alimentação hospitalar, por exemplo.

O valor efetivamente gasto em 2018 supera em aproximadamente R$ 800 mil o teto estabelecido para 2019, simplesmente porque passou a haver licitação.

E vejam, estamos falando de apenas uma situação. Existem outras.

E então leitores, digam aí, quanto sofrimento pode ser evitado com R$ 800 mil?

Bastante, não?

Exposição

Até o fechamento desta coluna ainda não havia sido divulgado o nome do(a) novo(a) secretário(a).

Mas o assanhamento de alguns grupos nos bastidores ilustra bem por que a situação chegou ao ponto em que chegou.

Dureza.

A Praça

O Ministério Público Federal promoveu duas reuniões técnicas entre representantes da sociedade civil e o grupo de trabalho responsável pela revisão do projeto de requalificação da Praça Getúlio Vargas.

Os encontros aconteceram na sede da Procuradoria Federal em Nova Friburgo nos dias 6 e 7 deste mês.

O objetivo foi ouvir as contribuições feitas pelos grupos interessados na recuperação do bem tombado pelo patrimônio histórico.

O grupo

O GT, formado por servidores técnicos do município, foi designado para revisão e atualização do projeto de requalificação da praça, elaborado pelo Iphan por meio da empresa Technische em 2015.

Durante os encontros, o GT esclareceu alguns pontos do projeto que estão passando por revisão.

Os recursos do município já estão garantidos, conforme determina o aditivo ao TAC, assinado no último mês de abril.

As reuniões

A primeira reunião foi com representantes da Feira de Artesanato de Nova Friburgo – Friart, enquanto a segunda contou com representantes do grupo SOS Praça Getúlio Vargas – Abraço às Árvores e da Ordem dos Advogados do Brasil, subseção Nova Friburgo.

Nas oportunidades, ambos tiveram suas dúvidas respondidas pelo GT e puderam apresentar sugestões para preservação do espaço, que sofreu interferências paisagísticas graves promovidas pela administração anterior do município, em 2015.

Propostas

Entre as novas ações para propostas pelo GT, estão a revitalização dos canteiros com mais flores, melhoria da iluminação pública, confecção de novo laudo fitossanitário sobre as condições dos eucaliptos, recuperação das árvores centenárias e substituição daquelas com saúde comprometida, recuperação do mobiliário urbano, nivelamento do piso e o início do projeto de educação patrimonial junto à população.

Arqueologia (1)

Quanto à arqueologia, obrigatória pela legislação para recuperação da praça, o grupo relatou que não haverá escavações generalizadas na área.

Apenas três pequenas janelas de prospecção arqueológica serão abertas, cada uma com tamanho de 1 m², localizadas no primeiro eixo entre as ruas Dante Laginestra e Ernesto Brasílio.

Arqueologia (2)

Os locais serão definidos com base em pesquisas históricas e registros comprovados da localização dos espelhos d’água originais do projeto feito para mapear os tanques criados por Glaziou, em 1881.

O grupo assegura que esse trabalho será conduzido por profissionais qualificados, utilizando técnicas de preservação do entorno da praça e das árvores.

Entretanto, o início depende ainda da liberação do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – Iphan.

Quando?

Ainda não há um calendário para execução das ações previstas no TAC da Praça Getúlio Vargas.

A próxima audiência pública sobre o tema está agendada para o dia 28 de junho, às 15h, na sede da Procuradoria da República no Município de Nova Friburgo, que fica na Rua General Osório, nº 46 – Centro.

Já no dia 1º de julho, a Câmara Municipal também promoverá uma audiência aberta ao público a partir das 18h, no Plenário do Legislativo Municipal.

Vamos ler?
Dando continuidade à nossa pequena campanha de incentivo à leitura e à produção literária local, a coluna sorteia nesta semana um exemplar do livro “Sob a Luz de Mercúrio”, que Alan Andrade, editor de vídeos de AVS, publicou pela Editora 7Letras.

Interessados em concorrer devem mandar e-mail para massimo@avozdaserra, até 15h de sexta-feira, 14.

Abaixo, segue a sinopse da obra, disponibilizada pela Livraria da Travessa.

Sinopse

“Envoltos em imaginação e mistério, os contos deste Sob a luz de mercúrio captam a atenção do leitor com máxima intensidade, característica inerente também às narrativas nas páginas desta obra. O leitor poderá se deliciar com a qualidade literária de Alan Andrade, fã confesso da literatura russa, sobretudo de Dostoiévski, e desfrutar de cada faceta presente nestes personagens que se encontram sob a influência enigmática de mercúrio.

Publicidade
TAGS:

Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

A Direção do Jornal A Voz da Serra não é solidária, não se responsabiliza e nem endossa os conceitos e opiniões emitidas por seus colunistas em seções ou artigos assinados.