Contas de 2017

Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

terça-feira, 20 de agosto de 2019

Para pensar:

“A mente humana é um órgão em busca de ordem. Não se sente à vontade no caos, e, se esta for a única maneira de se satisfazer, é capaz de refugiar-se num mundo de fantasias.“

Max Gunther

Para refletir:

“Ninguém cresce na comodidade. O crescimento vem com a adversidade.“

Helena Tannure

Contas de 2017

Após uma sessão bastante tumultuada na última quinta-feira, 15, o plenário de nossa Câmara Municipal deve ter uma noite mais tranquila hoje, 20, para a avaliação das contas da prefeitura relativas a 2017.

Apropriadamente uma pauta exclusiva, a apreciação não deve reservar surpresas.

Ainda que muita coisa errada tenha acontecido por aqui em 2017, a maioria do plenário não deve encontrar dificuldades para justificar a aprovação dos números.

Erário

Não custa lembrar, no entanto, do enorme dano ao erário causado naquele ano pela adesão à ata de preços de Duque de Caxias, em desfavor de processo licitatório que se encontrava já maduro, bem como do esforço com que tal medida foi imposta de cima para baixo, surpreendentemente desde o processo de transição.

Com direito, inclusive, a assédio público direcionado a servidor que insistiu em fazer a coisa certa e tentou salvar a licitação.

Em breve, por sinal, haverá novidades sobre esse assunto.

Vidas (1)

Da mesma forma, a coluna jamais esquecerá a forma como médicos foram orientados a continuar operando quando era evidente que a Central de Materiais e Esterilização (CME) do Hospital Raul Sertã não estava dando conta de evitar contaminações.

Ou como pacientes foram orientados a processar os médicos que se recusassem a levar adiante seus atos cirúrgicos, diante daquele contexto absurdo.

Vidas (2)

Ou ainda a forma como tudo isso foi posteriormente admitido diante da assinatura de um contrato emergencial extremamente danoso aos cofres públicos, a partir do qual uma empresa iria receber, por seis meses de um serviço que jamais prestou de maneira satisfatória, o equivalente a 30 vezes o valor necessário à recuperação funcional da CME.

Ao longo de todos esses anos cobrindo política, esse foi provavelmente o enredo mais baixo que este colunista já teve de registrar.

Escuridão

Também seria possível lembrar, entre muitas outras coisas, a forma como se desenhou um contexto para a iluminação pública absolutamente análogo - e com os mesmos protagonistas - ao que redundou num escândalo milionário em São Gonçalo, e que só não chegou a se concretizar plenamente por aqui justamente porque o caso na região metropolitana se tornou público antes que o primeiro pagamento fosse efetuado pelo Palácio Barão de Nova Friburgo.

Não muda

Em resumo: a iminente aprovação das contas não pode mudar o fato de que 2017 foi um ano mais do que reprovável para a administração municipal em Nova Friburgo.

Caso sério

Após alguns anos nessa profissão, a gente já sabe que quando o telefone toca insistentemente numa manhã de domingo é porque algo de mais sério aconteceu.

E se as ligações vêm do presidente da Comissão de Saúde na Câmara Municipal, então é melhor atender o quanto antes.

Pois bem, pouco antes da hora do almoço, neste dia 18, o vereador Wellington Moreira entrou em contato com o colunista para informar que grande parte do Hospital Municipal Raul Sertã estava às escuras havia quase dez horas.

Curto-circuito

De acordo com o vereador - e como detalha reportagem na página 7 desta edição - a coluna tratou de confirmar estas informações dentro do próprio governo. Um curto-circuito ocorrido na cozinha durante a madrugada de domingo (algumas fontes falam que foi pouco depois das 3h, outras que foi perto de 4h30) causou um apagão em aproximadamente 80% do hospital. 

Pacientes e funcionários também relataram vários “estouros” no momento em que o problema aconteceu.

Danos

Wellington chegou a manifestar, ainda dentro do hospital, o entendimento de que diversos equipamentos teriam sido prejudicados pelo curto.

A prefeitura, todavia, não confirma essa informação.

“A maior parte dos danos se deu na forma de lâmpadas queimadas. Nenhum aparelho de suma importância foi danificado, ‘um ou outro’ computador sofreu pane.”

Segue

A prefeitura também informou que o hospital retornou à normalidade por volta das 17h, com a reposição das lâmpadas.

Ao longo do período de reparos, exames de laboratório foram realizados no Hospital Maternidade Mário Dutra.

Ofício

Porém, ainda que os danos não tenham sido maiores, é evidente que a situação trouxe muitos riscos, e não pode se repetir.

Através de um ofício protocolado nesta segunda-feira, 19, e direcionado ao gabinete do prefeito Renato Bravo, Wellington cobrou medidas por parte do Executivo justamente no sentido de reforçar esse tipo específico de segurança.

Aspas

“É inconcebível e irresponsável que o curto circuito que gerou um apagão de 80% do prédio tenha ocorrido na recém-reformada cozinha. (...) Tal desleixo colocou, e ainda coloca, o hospital em situação de risco grave. (...) Requeiro que o governo execute uma inspeção imediata nas instalações do hospital, assim como em toda a rede elétrica do prédio, a fim de prevenir uma tragédia anunciada.”

Referência nacional

Ver a friburguense Ilona Szabó dando entrevista no Fantástico deste domingo, 18, reconhecida como principal referência acadêmica no Brasil a respeito de segurança pública, só não chega a ser motivo de alegria porque tristemente isso se dá num contexto de violência e inimaginável sofrimento para muitas famílias, mergulhadas em realidades absolutamente diferentes da nossa, apesar de estarmos separados por pouco mais de duas horas de carro.

Formação contínua

E já que falamos em Ilona, ela dará continuidade à sua formação com uma curta temporada na Universidade Columbia, em Nova York, onde irá aprofundar estudos como, por exemplo, as possíveis formas de atuação das organizações da sociedade civil organizada, visando salvaguardar os bens públicos globais, especialmente em tempos desafiadores e marcados pelo acirramento da polarização.

Uma pauta de enorme pertinência, portanto

Publicidade
TAGS:

Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

A Direção do Jornal A Voz da Serra não é solidária, não se responsabiliza e nem endossa os conceitos e opiniões emitidas por seus colunistas em seções ou artigos assinados.