Cobrança institucional

Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

quinta-feira, 08 de novembro de 2018

Para pensar:

"A liderança é uma poderosa combinação de estratégia e caráter. Mas se tiver de passar sem um, que seja a estratégia."

Norman Schwarzkopt

Para refletir:

“Para ser um líder, você tem que fazer as pessoas quererem te seguir, e ninguém quer seguir alguém que não sabe onde está indo.”

Joe Namath

Cobrança institucional (1)

Conforme a coluna registrou ontem, 7, a Câmara Municipal vem se mobilizando para cobrar do governador eleito o compromisso não honrado pela gestão atual (e a anterior) em relação à construção e a gestão do Hospital de Oncologia da Região Serrana, em espaço privilegiado na antiga sede do Centro Adventista de Vida Saudável, na Ponte da Saudade.

Cobrança institucional (2)

Pois bem, na sessão de terça-feira, 6, o plenário aprovou por unanimidade a proposta do vereador Isaque Demani para que um manifesto seja enviado ao governador Pezão e ao eleito, Wilson Witzel, em nome do Legislativo friburguense, cobrando justamente isso.

Ainda tem muita gente que pode e precisa se unir a este esforço.

Mas já é um começo importante.

Vácuo de liderança

Para além do necessário e oportuno posicionamento, no entanto, a sessão ficou mesmo marcada pelo embaraço (previsível) em relação à falta de um líder de governo no momento de fazer a defesa dos dois projetos do Executivo que integravam a ordem do dia.

Um problema, aliás, que este governo vem vivenciando desde sua gênese.

De longe

Os leitores devem se recordar, por exemplo, do esforço que o Palácio Barão de Nova Friburgo articulou e colocou em prática no sentido de trazer de volta ao plenário o ex-vereador Marcelo Verly, atual secretário de Ciência e Tecnologia, quando as muitas incompatibilidades no comportamento do primeiro líder de governo tornaram-se impossíveis de ignorar.

Não fosse pela postura do ex-vereador Francisco de Barros, primeiro suplente que se recusou a renunciar, a situação provavelmente teria se resolvido ali.

Roupa do rei

Todos devem se recordar, no entanto, que os convites feitos pelo governo foram sendo recusados um a um, como se estivéssemos falando de uma batata quente, a ponto da liderança recair sobre um suplente, que poderia deixar o plenário a qualquer momento.

Como, de fato, deixou.

E aí todos nós voltamos a essa situação constrangedora, na qual fica evidente a consciência geral a respeito da popularidade e do destino do atual governo, bem como a natureza das relações que mantêm a base unida.

Termômetro?

Se a dificuldade para estabelecer uma liderança sólida no plenário pode ser compreendida como um termômetro de avaliação do trabalho levado adiante pelo Executivo - e, por conseguinte, permite que se avalie o Legislativo a partir de como reage a tal leitura -, bom, então estamos realmente muito mal servidos.

Faca no pescoço

Às vésperas de nova eleição para a Mesa Diretora da Câmara, contudo, talvez tudo isso seja oportuno para lembrar às pessoas certas o que poderia acontecer caso o plenário estivesse nas mãos de um chantagista, o tipo de parlamentar que vota conforme os favores que recebe.

E olha que esteve perto de acontecer...

Voluntário

Bom, o fato é que o vereador Christiano Huguenin fez a defesa voluntária do projeto 311/2018, que “dispõe sobre o recebimento de patrocínio pela administração direta e indireta para a execução de projetos, ações, eventos, obras e reformas implementadas no território do município de Nova Friburgo”.

Quem freia?

A matéria incorporou emenda apresentada pelo vereador Johnny Maycon, voltada a vedar doações em espécie e a exigir que o comprovante gerado venha a constar no Portal da Transparência, mas foram debatidas em plenário outras possíveis emendas que tornaram evidente a necessidade de retirar o regime de urgência da matéria.

Nesse momento foi lembrado que o vereador Marcio Damazio ainda consta como vice-líder de governo, e coube a ele mudar o regime de tramitação.

Batata quente

Assim, o projeto foi aprovado por unanimidade em primeira discussão, e retornará hoje, 8, ao plenário, já com as emendas coletivas, para ser avaliado em segunda e última votação.

A partir desse momento sabia-se que Marcio Damazio seria a referência quanto à liderança de governo, mas rapidamente ele nomeou Isaque Demani para que fizesse a defesa do projeto 459/2018, que “institui o Programa de Incentivo à Regularização Fiscal junto à Fazenda Pública Municipal, intitulado ‘Refis Nova Friburgo 2018’”.

Refis municipal

A matéria sinaliza a busca do município por arrecadação num período em que, sabemos todos, sai muito mais dinheiro do que entra nos cofres públicos.

Mas, cá entre nós, houve muito dinheiro perdido ao longo do ano, não?

Quantas nomeações de cunho político? Quantos contratos emergenciais com aumentos misteriosos?

Bom, exemplos não faltariam aqui.

O projeto também foi aprovado pelo plenário.

Respostas

Os leitores dão um show.

Mesmo com a imagem mostrando muito pouco, os leitores Marcelo Machado, Lauro Éboli, Igor Santos, Manoel Pinto de Faria, Gilberto Éboli e Alberto Corrêa identificaram corretamente o busto de Ludwik Lejzer Zamenhof, criador do Esperanto, na Praça Getúlio Vargas.

Parabéns a todos, e obrigado mais uma vez pela parceria.

Publicidade
TAGS:

Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

A Direção do Jornal A Voz da Serra não é solidária, não se responsabiliza e nem endossa os conceitos e opiniões emitidas por seus colunistas em seções ou artigos assinados.