Choque iminente

Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

sábado, 28 de setembro de 2019

Para pensar:

“Aquele que não é capaz de perdoar os outros destrói a ponte pela qual deveria passar.”

George Herbert

Para refletir:

“O tempo não cura tudo. Mas afasta o incurável do foco central.”

Herbert Marcuse

Choque iminente

Quando um trem sai dos trilhos em alta velocidade, a chance de cedo ou tarde vir a se chocar contra algum obstáculo fixo é muito grande.

E essa talvez seja a melhor imagem para ilustrar o que se passa atualmente com nossa gestão municipal em relação ao transporte coletivo, reflexo nítido de como a ação de interesses parasitários pode deformar por completo uma relação entre concessionária e poder concedente.

A composição continua em movimento, sim. Mas está fora de controle e o estrago é iminente.

Ovo da serpente

Ao forçar deliberadamente a prorrogação de um contrato sabidamente improrrogável, e depois ao se recusar a reajustar a tarifa sob alegações cuja veracidade não sobreviveu ao escrutínio do tempo, o Palácio Barão de Nova Friburgo desrespeitou as regras de segurança e saiu dos trilhos, para não mais voltar.

Desde setembro do ano passado o vínculo entre as partes se tornou precário, e essa situação - vergonhosa para o governo - só foi tolerada à época pelo Ministério Público diante da necessidade maior de se manter os ônibus circulando, apesar de tudo.

Relembrando

Como seria de se esperar, tanto mais diante do poder de barganha que passou a ter após o término da vigência do contrato de concessão, a prestadora do serviço recorreu à Justiça ao fim do ano passado a fim de reequilibrar alguns termos do contrato.

E então, já em 2019, as partes firmaram entre si o acordo que resultou no aumento da tarifa para R$ 4,20 e no subsídio mensal de R$ 300 mil, paralisando a ação judicial em curso.

Até aí, nenhuma novidade, correto?

Ciclismo

Formalmente, não haveria qualquer problema em relação ao subsídio, posto que inclusive existe um fundo para esta finalidade.

A maneira com que os recursos foram disponibilizados, no entanto, entra em choque com legislações federais e municipais bastante claras, configurando, na opinião de muita gente, uma “pedalada” orçamentária.

A coluna, dias atrás, chegou a publicar uma nota cifrada a esse respeito.

Materialidade

O fato é que o Ministério Público Estadual, através da 1ª Promotoria de Tutela Coletiva, recomendou que a Justiça não aceite o acordo firmado entre a prefeitura e a empresa Faol.

E mais: em sua manifestação, a promotora fala em “indícios de improbidade administrativa e violação dos princípios da administração pública”.

Indícios estes que - a coluna assim o entende - podem evoluir para certezas muito em breve, a partir da reunião de uma materialidade muito robusta que não deixa margens para grandes dúvidas em relação ao que aconteceu.

Bum!

Ao que parece, depois de muito tempo se arrastando sem governo, o trem descarrilado finalmente encontrou uma resistência ao seu avanço.

Sem sombra de dúvidas, teremos desdobramentos a esse respeito muito em breve.

Bioeconomia

Acontece na próxima quarta-feira, 2 de outubro, o primeiro encontro do ecossistema de bioeconomia da cidade e região, o I BioFriburgo.

A realização é da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação; Sebrae, Acianf, AgeRio e Instituto Pindorama, entre outras instituições.

No evento, especialistas apresentarão palestras com o objetivo de incentivar empreendimentos que contribuam para a mitigação de danos à natureza e a promoção da sustentabilidade.

O I BioFriburgo será o primeiro evento associado à 9ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, que ocorrerá entre os dias 22 e 25 de outubro.

Respostas

Os parceiros Stênio de Oliveira Soares, Raquel Souza, Gilberto Éboli, Igor dos Santos, José Nilson, Rosemarie Künzel, Manoel Corrêa e Roberto Simplício reconheceram corretamente a entrada lateral do prédio onde hoje funciona a Fundação Dom João VI, na Praça Getúlio Vargas. Rosemarie lembrou ainda que ali “antigamente era a entrada da Câmara Municipal e ficavam aí os famosos leões, hoje colocados nas colunas que fazem parte do conjunto arquitetônico”.

Parabéns a todos!

Publicidade
TAGS:

Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

A Direção do Jornal A Voz da Serra não é solidária, não se responsabiliza e nem endossa os conceitos e opiniões emitidas por seus colunistas em seções ou artigos assinados.