Balanço

Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

sexta-feira, 18 de janeiro de 2019

Para pensar:

“O otimismo é a fé em ação. Nada se pode levar a efeito sem otimismo.”

Helen Keller

Para refletir:

"Quem luta com monstros deve velar para que, ao fazê-lo, não se transforme também em monstro."

Friedrich Nietzsche

Balanço

Estamos em janeiro de 2019, metade dos mandatos municipais, e certamente um bom momento para que façamos um balanço do que foi feito, e do que não foi feito até aqui.

A coluna gostaria de ouvir os leitores a esse respeito, em mensagens devidamente assinadas.

Do que está gostando e do que não está gostando?

O que gostaria que mudasse, por parte da prefeitura ou da Câmara Municipal?

Mensagens representativas dos principais anseios manifestados serão publicadas.

Saldo negativo

De sua parte, o colunista entende que o saldo destes dois primeiros anos está bastante negativo para o Executivo.

Não restam dúvidas de que houve esforços por frustrar processos licitatórios e promover contratos emergenciais, com comprovados prejuízos ao erário.

Da mesma forma, houve constrangimentos em relação a servidores que se posicionaram contra tais procedimentos, um dos quais tendo sido exonerado um dia após denunciar (de forma documentada) práticas abusivas relacionadas à iluminação pública.

Dupla decepção

A relação com o Legislativo tem sido extremamente danosa aos nossos processos democráticos, com dinheiro público sendo usado para aumentar a renda familiar ou a máquina assistencialista de parlamentares, ao custo da fiscalização que estes mesmos vereadores deveriam desempenhar.

Na prática estamos financiando tratativas que nos prejudicam em várias frentes, inclusive expondo a cidade à aprovação de projetos muito mal explicados ou com finalidades suspeitas.

Era mentira?

Também causa muito desconforto ver a naturalidade com que certas promessas de campanha estão sendo jogadas na vala comum do estelionato eleitoral, sem qualquer escrúpulo aparente.

Ninguém fala, por exemplo, a respeito das prometidas UPAs de Olaria e São Geraldo.

Por essas e outras, a coluna entende que promessas de campanha não cumpridas sem a devida justificativa deveriam ser tratadas como crime eleitoral.

Sem proteção

Quanto à Câmara Municipal, a coluna já manifestou muitas vezes seu entendimento de que a cidade seria completamente diferente se todos os vereadores compreendessem a importância de suas funções, e trocassem as práticas de clientelismo e nepotismo por outras de isenção e fiscalização.

Da mesma forma, é urgente ampliar os canais de transparência e dar visibilidade à situação das assessorias, discutindo abertamente questões de interesse populacional, como a possível criação de verba de gabinete.

Vai melhorar

Dito tudo isso, a coluna tem a certeza de que os próximos dois anos serão melhores - ou ao menos mais bonitos - do que estes que passaram.

Até mesmo porque novas eleições se aproximam.

Os recursos reservados à compra do imóvel da fábrica Ypu devem financiar diversas obras de apelo popular, e o passado recente mostra que deixar para fazer tudo no último ano não convence mais ninguém.

Transporte coletivo

A Faol divulgou nota a respeito do novo edital de licitação para o transporte coletivo, na qual afirma que irá estudar a viabilidade das condições estipuladas antes de decidir se irá concorrer.

Aspas

"A NovaFaol (...) vem informar que está submetendo o citado estudo às suas equipes técnicas, para que sejam analisadas detidamente as viabilidades econômico-financeira e técnico-operacional acerca da referida prestação deste indispensável serviço de utilidade pública. Desta forma, entendemos ser precipitado, neste momento, nos manifestarmos sobre as pretensões da concessionária em participar do referido certame, respeitando-se sobretudo as relações transparentes com os poderes constituídos e preservando-se os legítimos interesses da população friburguense."

Fazendo falta

Vamos a algumas notícias rapidinhas.

O vereador Joelson do Pote chama a atenção da coluna para um registro importante.

Após exatos 50 anos de bons serviços prestados, a icônica Churrascaria Barracão, em Conquista, encerrou suas atividades.

Juca, o proprietário, aguardou pela data para fechar as portas, com a sensação de dever cumprido.

Já está fazendo falta, mas a coluna entende que o descanso é mais do que merecido.

Posse de armas

A friburguense Ilona Szabó, autoridade internacional no que se refere à elaboração de políticas públicas de combate à violência, com respaldo informativo, foi convidada pelo jornal Valor Econômico a se manifestar a respeito do recente decreto presidencial que flexibilizou a posse de armas.

Com base em vários estudos e experiências, Ilona - que está de malas prontas para representar o Brasil no Fórum Econômico Mundial em Davos pela terceira vez - defendeu medidas alternativas para a redução dos índices de criminalidade.

Aspas (2)

“Na última terça-feira, 15, a posse de armas em nosso país foi flexibilizada. O alerta que faço em entrevista ao Valor Econômico é que o decreto não faz parte de um plano maior de combate à violência. E esta deve ser a nossa prioridade sempre. Não basta armar a população achando que os casos de violência vão diminuir. O que precisamos ter no Brasil é uma agenda incisiva de combate à violência que inclua, por exemplo, maior uso de inteligência policial.”

TV Câmara

A nova licitação para a TV Câmara, válida por um ano, deve acontecer nos próximos dias.

O entendimento do colunista é que o novo edital foi trabalhado de maneira a incorporar aprimoramentos necessários ao serviço.

Ainda assim, considerando os prazos previstos para recursos, por exemplo, já dá para apostar que as primeiras sessões de 2019 devem contar com transmissão própria, a exemplo do que aconteceu nas últimas reuniões de 2018.

A conferir.

Correção

A assessoria do deputado federal Luiz Lima entrou em contato com a coluna para retificar uma informação a respeito da equipe que está sendo formada.

Os dados mais atuais dão conta de que oito dos 23 assessores serão da Região Serrana, e um será da região noroeste do estado.

Correção feita!

Fala, leitor!

“Gostaria de uma ajuda para tentar descobrir onde foi “parar” a imagem de São Cristóvão que se encontrava na Praça Getúlio Vargas, exatamente atrás da estátua do ex-presidente.

Gostaria muito de poder cuidar daquele pedaço de jardim onde se encontrava a imagem. Tempos atrás havia um vidro na frente, e na lateral um pequeno espaço para colocar moedas. Onde estará São Cristóvão, o padroeiro dos motoristas?

A foto e a mensagem foram enviadas pelo leitor Rougles Rapizo.

Desafio

A maravilhosa Regina Lo Bianco presenteou a coluna com várias fotos para nosso tradicional desafio, propondo uma temática bastante pertinente.

Neste calorão ela convida os leitores a reconhecerem (ou eventualmente conhecerem) paisagens friburguenses marcadas pela abundância de águas refrescantes.

Ou seja: vale enviar a resposta, e praticar um pouco de turismo interno também.

E aí, quem consegue identificar a paisagem em nosso primeiro desafio de 2019?

Boa sorte a todos!

  • Foto da galeria

  • Foto da galeria

Publicidade
TAGS:

Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

A Direção do Jornal A Voz da Serra não é solidária, não se responsabiliza e nem endossa os conceitos e opiniões emitidas por seus colunistas em seções ou artigos assinados.