Ah, Friburgo...

Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

terça-feira, 11 de dezembro de 2018

Para pensar:

“O mundo tornou-se perigoso, porque os homens aprenderam a dominar a natureza antes de se dominarem a si mesmos.”

Albert Schweitzer

Para refletir:

“E um dia os homens descobrirão que esses discos voadores estavam apenas estudando a vidas dos insetos...”

Mario Quintana

Ah, Friburgo...

Pleno mês de dezembro e todo mundo agasalhado pelas ruas, com direito a registro de apenas 6º na madrugada do último domingo, 9, em Salinas.

Tem que respeitar essa serra.

O colunista sabe que muita gente vai discordar, mas, para os amantes do frio, como este que vos escreve, este fim de primavera só tem reforçado a sensação de ser privilegiado por viver nessa terra abençoada.

Autoestima

Uma sensação, por sinal, que também foi muito compartilhada por todos que puderam acompanhar, neste fim de semana, as apresentações realizadas por nossas preciosas bandas centenárias.

Que experiência maravilhosa é essa de sentir que estamos em um lugar especial, testemunhando algo de grande valor, sem precisar viajar para ter acesso a nada disso.

Como é bom estimular essa maltratada (e muito necessária) autoestima friburguense!

Bom caminho

Ao fim dessas apresentações era notório que todos os envolvidos apreciam muito essas oportunidades.

Os músicos querem se apresentar, e a população, por sua vez, quer prestigiar, quer se sentir privilegiada por estar aqui.

Parece evidente, portanto, que a cidade só tem a ganhar se as forças sociais vierem a se unir com o objetivo de proporcionar apresentações nesses moldes com maior frequência.

Enquanto isso...

Frio em Friburgo, calor em Niterói.

Por lá, na terra de Arariboia, o prefeito Rodrigo Neves (PDT) foi preso na manhã desta segunda-feira, 10, por ação de uma força-tarefa do Ministério Público Estadual e da Polícia Civil.

Neves foi denunciado por desvio de mais de R$ 10 milhões da verba de transporte do município entre 2014 e 2018.

Gratuidade cara

As investigações apontam que o pagamento de propinas se dava numa espécie de contrapartida pelo ressarcimento das gratuidades praticadas pelas empresas de ônibus de Niterói.

As empresas deveriam ser compensadas mensalmente pelas passagens que deixam de cobrar. Mas, de acordo com a promotora Talita Harduin, o prefeito vinha atrasando esses pagamentos como forma de constranger os empresários para que devolvessem 20% desse montante em forma de propina.

Corrupção municipal

“As investigações nos demonstram que a base dos sistemas políticos está também corroída. É preciso quebrar esse ovo da serpente que é a corrupção municipal, que é base de todo o arcabouço do sistema político”, afirmou o promotor Túlio Caiban.

Além de Rodrigo Neves, também foram presos Domício Mascarenhas de Andrade, ex-secretário municipal; João Carlos Félix Teixeira, presidente do consórcio TransOceânico e sócio da Viação Pendotiba; e João dos Anjos Silva Soares, presidente do consórcio Transnit e sócio da empresa de ônibus Ingá.

Semelhanças

De novo, como tem acontecido em relação a diversas operações realizadas nas redondezas, não é difícil encontrar semelhanças com a realidade friburguense.

De imediato, há a constatação de que o Palácio Barão de Nova Friburgo também já priorizou pagamentos para alguns fornecedores ou prestadores de serviços em detrimento de outros, quebrando a ordem cronológica da lista de espera.

Da mesma forma, tanto lá como cá, há concessionário operando o transporte coletivo com autorização precária.

Pertinente

A principal semelhança, todavia, diz respeito à recente proposta de aditivo de contrato segundo a qual nossa prefeitura também deverá subsidiar as gratuidades praticadas pela concessionária, em valor a ser reconhecido como dívida que pode ultrapassar R$ 7 milhões ao ano, segundo a coluna apurou.

Um tema, por sinal, que tem tudo a ver com a sessão de hoje, 11, na Câmara Municipal.

Sessão especial

“A Câmara Municipal de Nova Friburgo informa que a sessão ordinária desta terça-feira, 11, será realizada às 14h, com a pauta exclusiva para votação da Lei Orçamentária Anual (LOA) e apresentação do relatório da vistoria realizada pelos vereadores nas dependências do Hospital Municipal Raul Sertã, em outubro.”

A Câmara informa, ainda, que a sessão ordinária da próxima quinta-feira, 13, será realizada às 9h.

Em cima da hora

Quando foi anunciada a licitação para as árvores de natal, marcada para esta segunda-feira, 10, não foram poucas as vozes que disseram ser tarde demais para a realização de um pregão eficiente.

De fato, é difícil justificar um prazo tão apertado, embora não seja possível afirmar que foi esse o motivo de apenas uma empresa ter participado do processo.

Podia ser diferente

No fim a decoração, que prevê a montagem de seis árvores de Natal em espaços públicos, saiu a R$ 273 mil, baixando apenas algo próximo a R$ 12.500 em relação à estimativa inicial.

A coluna obviamente apoia que a cidade seja enfeitada, mas lamenta que tenhamos chegado - de maneira absolutamente evitável - ao ponto em que este empenho tenha de ser contrastado a tantas carências em nossa rede pública de saúde, e termine por ofender a tantos profissionais que aguardam há meses pelo pagamento de serviços que já prestaram.

Lastro

Tal como a moeda que precisa ter lastro para conservar seu valor, os enfeites também precisam estar conjugados a uma gestão responsável e humanitária dos recursos para que possam simbolizar apenas o espírito natalino.

Quem sabe no ano que vem…

Novo centenário

O mestre Eloir Perdigão entrou em contato para lembrar que o tradicional Colégio Modelo completa 100 anos de existência no dia 19 de março de 2019.

Por isso, alunos, pais e ex-alunos se reúnem nesta terça-feira, 11, a partir das 19h na biblioteca do colégio, preparando as comemorações do centenário.

Atividades religiosas, sociais e recreativas devem ser realizadas para marcar a data.

Publicidade
TAGS:

Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

A Direção do Jornal A Voz da Serra não é solidária, não se responsabiliza e nem endossa os conceitos e opiniões emitidas por seus colunistas em seções ou artigos assinados.