Agora vai?

Giuseppe Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

sábado, 13 de janeiro de 2018

Para pensar:

"Se a liberdade significa alguma coisa, será sobretudo o direito de dizer às outras pessoas o que elas não querem ouvir."

George Orwell

Para refletir:

"Existe um critério quase infalível para determinar se alguém é realmente seu amigo: o modo como refere opiniões hostis ou descorteses a teu respeito."

Theodore Adorno

Agora vai?

Chegou aos ouvidos do colunista que finalmente algo de concreto deve ser feito nos próximos dias com relação à proliferação do comércio informal, cada vez mais à vontade e mais abusado enquanto faz concorrência desleal aos comerciantes locais e atrapalha o ir e vir em nossas calçadas.

Tomara.

Incompatível

Até porque, cá entre nós, não faz o menor sentido planejarmos a festa dos dois séculos sem proteger quem de fato faz a roda da economia girar.

A situação tem se agravado, e - é importante que se saiba - já começa a cristalizar boatos e versões entre quem se sente prejudicado.

Sem ecoar tais elucubrações, o colunista se limita a dizer que está pegando mal.

Enquanto isso...

Enquanto este dia não chega, o Massimo tem o triste dever de testemunhar que o assédio ao livreiro Jorge, que há 23 anos ocupa o quiosque na Avenida Alberto Braune, segue firme e forte, ainda que os atores mudem periodicamente.

O colunista se dispõe a pagar alguns centavos para saber quantos (e quais) livros essa turma leu nos últimos anos...

Será que vai?

Nosso janeiro atípico continua a gerar notícias do meio político, uma após a outra.

Diante do nó provocado pela recusa de Chico Barros a renunciar ao mandato de vereador, algumas vozes começam a considerar, nos bastidores da política, a hipótese de nomeá-lo para comandar a Subprefeitura de Conselheiro Paulino.

Uma proposta que, ao que consta, seria o agrado do parlamentar.

Qual a consistência de tais hipóteses, contudo, só o tempo dirá.

Atualizações (1)

A coluna tem algumas atualizações importantes a fazer em relação a assuntos abordados aqui recentemente.

Começando pelo enorme buraco na esquina entre as ruas Pará e Maranhão, no bairro Bela Vista, o Massimo registra que a prefeitura resolveu o problema dois dias após a queda do veículo, mostrada na edição de sexta-feira, 12.

O reparo poderia ter chegado antes, mas a coluna não deixa de dar os créditos pela boa notícia.

Atualizações (2)

Já a segunda atualização diz respeito ao processo de licitação para compra de medicamentos, que será retomado no próximo dia 15.

Estimulado por testemunhar algo em que o governo está acertando em cheio, o Massimo foi buscar mais informações e pode confirmar que, das quatro fabricantes inscritas na fase inicial, três continuam credenciadas a tomar parte na concorrência.

As perspectivas são muito boas, e cabe informar que as atividades devem começar às 10h, caso alguém deseje acompanhar de perto.

Quem ama, cuida

A leitora Tânia Nicolau entrou na brincadeira e mandou sua opinião a respeito da possibilidade de um teleférico que agregue uma bem-vinda acessibilidade a nosso símbolo maior, o Cão Sentado.

Aspas

"Nascida e criada nesta terra vou dar meu pitaco. Gostaria muito de ver o Parque do Cão Sentado bem limpo e conservado. Lindas plantas floridas para o deleite dos seus visitantes. Gostaria de ver a mesma coisa no teleférico, cuja saga acompanhei. Quanta garra e quanta luta para reabri-lo! Estive lá e fiquei triste com o que vi. Imaginei (como se eu fosse uma turista) que encontraria quiosques com produtos da terra. Mel, queijo, geleias. Artesanato local... Mas, para minha tristeza, encontrei fliperama, boliche, restaurante abandonado, banheiros quebrados e sujos. Concluindo, gostaria de ver as coisas que existem bem conservadas."

Fala, leitor!

"Preciso fazer um questionamento à Prefeitura de Nova Friburgo. Desde agosto/2017 a empresa contratada para fazer a manutenção da iluminação pública das ruas de Nova Friburgo deixou de prestar o serviço. Ou seja, as ruas estão cada vez mais escuras, aumentando os perigos à população, pois a escuridão favorece a ocorrência de furtos e de acidentes, como cair num bueiro ou buraco."

Segue

"Ocorre que em nossas contas de energia a cobrança sobre iluminação pública tem vindo religiosamente todo mês. Fui à Secretaria de Serviços Públicos nesta semana para solicitar esse tipo de serviço para a minha rua, onde temos quatro postes sem iluminação, e fui informada de que não há previsão de quando o serviço será normalizado porque ainda tem que haver licitação. Isso precisa ser resolvido o quanto antes, estamos pagando por isso."

Parênteses

Apesar do "atraso" em função da licitação, o colunista não pode deixar de enfatizar que a falta de um processo padrão de concorrência foi justamente um dos fatores a contribuir para a carência atual do serviço.

Concretizar esta licitação - de forma transparente, como está fazendo com a compra de medicamentos - é um dos desafios que o governo tem pela frente nestes primeiros meses de 2018.

Sempre conosco

Chegando o fim de semana, os leitores certamente notaram que neste início de 2018 a coluna não dedicou palavras a respeito do 11/12 de janeiro.

Não foi esquecimento, nem tampouco qualquer resolução que tenha a pretensão de nos tornar melhores do que quem reagiu de maneira diferente.

Foi simplesmente natural.

Nosso dever

Todos nós perdemos pessoas amadas e parte de nossas próprias vidas naqueles dias.

Nomes, sorrisos, histórias... Tudo isso é inesquecível, e a saudade tem sido uma presença constante desde então.

Por alguma razão, contudo, neste ano o colunista sentiu que deveria prestar sua homenagem assim, tocando o barco lutando o bom combate, tentando honrar e aproveitar bem essa segunda chance que tivemos.

Faz diferença

O colunista também gostaria de agradecer a todos os muitos leitores que se manifestaram em relação à coluna/desabafo publicada na última quinta-feira, 11.

Numa época de muita desilusão e desesperança, aquece o coração ver que ainda existe muita gente politizada e ciente de onde quer ver mudanças.

O Massimo se orgulha de seus leitores, e passa a encarar este ano tão decisivo de maneira mais otimista.

Respostas

Para encerrar os trabalhos da semana, a coluna traz a lista de vencedores do desafio publicado na edição de quinta-feira, 11, mostrando parte da Casa dos Pobres São Vicente de Paulo.

Pontos para Tânia Nicolau, Sílvio Poeta, Stênio de Oliveira Soares, José Nilson, Manoel Pinto de Faria, Gilberto Éboli, Francisco Lavra da Silva e Rosemarie Künzel.

Parabéns a todos!

Pergunta

E, para distrair a mente ao longo do fim de semana, o Massimo pergunta: que bela construção é esta, que teve o privilégio de ser retratada por nossa santa padroeira Regina Lo Bianco?

Um ótimo fim de semana a todos.

Foto da galeria
Publicidade
TAGS:

Giuseppe Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

A Direção do Jornal A Voz da Serra não é solidária, não se responsabiliza e nem endossa os conceitos e opiniões emitidas por seus colunistas em seções ou artigos assinados.