A verdade sobre a nova adutora d’água da cidade

Há 50 anos

Há 50 anos

Coluna que mostra o que foi notícia em A Voz da Serra 50 anos atrás.

sexta-feira, 15 de março de 2019

Edição de 16 e 17 de março de 1969
Pesquisado por Guilherme Alt

Manchetes:

  • A verdade sobre o momentoso assunto da nova adutora d’água da cidade - O chefe do Executivo Municipal pulveriza as aleivosias do reduzido grupo que tenta desmerecer a profícua, decidida e decisiva atuação do prefeito Amâncio Azevedo relativamente à importantíssima obra que dará aos friburguenses água pura e abundante até o ano 2000.
  • A palavra do dr. Paulo Azevedo - Face à notícia veiculada pelo semanário “A Paz”, desta cidade, que trz a notícia “Paralisada há 25 meses por não ter o senhor prefeito pago a parte correspondente ao município para a construção da adutora”, o sr. Paulo Azevedo, chefe de gabinete do Executivo Municipal prestou à reportagem, na qualidade de presidente da comissão fiscalizadora das obras da nova adutora, os seguintes esclarecimentos: “Quando o prefeito Amâncio Azevedo assumiu o governo do município, o problema da construção do novo sistema de abastecimento de água da cidade estava paralisado. E assim se encontrava por força de imposições da firma fiscalizadora, a qual fora contratada, somente após seis meses aproximadamente, quando, em verdade, segundo os termos contratuais de financiamento, a fiscalização deveria ser efetivada de imediato. Tal irregularidade ensejou, portanto, sérias controvérsias na execução do projeto, obrigando a firma já então contratada, isso em dezembro de 1966, a tomar providências quanto à paralisação das obras, sobretudo pelas inconcruências contidas na referida execução.”
  • Geremias de Mattos Fontes - Nosso governador continua com o firme propósito de substituir vários de seus auxiliares, cuja inoperância está constatada em pesquisas realizadas por pessoas de sua confiança. Depois do bilhete azul ao secretário Luiz Braz, não se pode esperar coisa diiferente para o diretor do D.E.R., o doutor engenheiro ex-prefeito de Friburgo.
  • Elogiado pela opinião pública - Os fluminenses continuam a elogiar a serna atuação do general Cicuto Perlingeiro, em boa hora colocado na Secretaria de Segurança do Estado do Rio, pelo governador Geremias de Mattos Fontes. Homem oriundo de família tradicional da terra de Nilo Peçanha, o distinto militar sempre foi um respeitador da personalidade humana e jamais deixou se envolver pela teias do ilimitado mandonismo.     

Pílulas

  • Falta muito para que com a maior “cara de pau” os mal amados do doutor engenheiro ex-prefeito digam que é ele quem está realizando a maior “obra do século” em Friburgo, ou seja, o novo abastecimento de água da cidade.  A turma tem coragem para muito mais. Coragem para dizer e coragem para escrever disparates.
  • O dito cujo doutor engenheiro ex-prefeito, com aquela fabulosíssima concentração de massa craneana em deterioração, com a sencerimônia que lhe é peculiar e com a constante carga de demagogia que carrega, é aquele mesmo que espalhou canos de ferro pela cidade, contratou serviços com firmas inidôneas “que misturou alhos com bugalhos” em véspera de eleições para efeitos eleitoreiros e que confidenciava aos íntimos: “Preciso ganhar nas urnas custe o que custar, doa quem doer, e quem quiser que se dane.”
  • A palavra oficial sobre o momentosos assunto do novo sistema de água, que dará ao nosso povo o precioso líquido de superior qualidade e em quantidade suficiente até o ano 2000, vai exarada nesta página. O chefe de gabinete do prefeito Amâncio Azevedo, começa a contar, uma história que a maioria desconhece. Neste primeiro capítulo, o principal foi explicado. Mas tem muito mais. E vai ser dito.
  • Comprar e deixar para o sucessor pagar, foi a grande tônica do doutor engenheiro ex-prefeito. Exemplo frisante: frota de veículos que desfilou triunfalmente pelas ruas da cidade, nas vésperas do passado pleito. Tem mais coisas.

Colunas

  • Em “Nova Friburgo na Sociedade”, W Robson assina “Nossos Filhos”. “Quando um jornal carioca que vai às bancas com um assustador noticiário em hemoptise fulminante, tentando denegrir a mocidade friburguense, taxando-a de desvairada amante dos tóxicos, fomos os únicos a defendê-la intransigentemente. E assim não fizemos só um dever jornalístico. Sentimos nossa imperiosa obrigação como pai de dois moços nela integrantes, como arauto de todos os pais atingidos por tão degradante ofensa e principalmente porque, como disse o grande Rui Barbosa: “eu amo a mocidade na plenitude da sua pureza, como firmamento na plenitude do seu azul. Ainda agora, quatro jovens ainda brotados dessa alegra porém equilibrada juventude.”

Sociais:

  • AVS registra os aniversários de: Jocelene Lopes (14); Maria Luiza Coelho Braune, Fernando Vassallo e Lenita Vilarinho (15); Paulo Guilherme Santos (16); Wagner Almeida e Elvira Gandur (17); Victor Eduardo Braune (18); Edésio José Alves, José Bizzotto, Coronel Odilon Humberto (20); Davalcy Rego, Oscar Seixas, Maria José Braga e José Gonçalves (20); Flora Sertã (21); Margarida Ventura (22)

 

Foto da galeria
Publicidade
TAGS:

Há 50 anos

Há 50 anos

Coluna que mostra o que foi notícia em A Voz da Serra 50 anos atrás.

A Direção do Jornal A Voz da Serra não é solidária, não se responsabiliza e nem endossa os conceitos e opiniões emitidas por seus colunistas em seções ou artigos assinados.