Robério Canto

Escrevivendo

No estilo “caminhando contra o vento”, o professor Robério Canto vai “vivendo e Escrevivendo” causos cotidianos, com uma generosa pitada de bom humor. Membro da Academia Friburguense de Letras, imortal desde criancinha.

21/08/2019

Dentro de quatro horas você voltará a ser um daqueles clientes que fazem o gerente de banco se levantar da cadeira e abrir um sorriso

Leia mais
07/08/2019

Receitas para salvar o corpo, orações para salvar a alma

Leia mais
24/07/2019

A importância do berço na formação do caráter do ser humano ainda não foi devidamente estudada pela ciência

Não é que eu seja a favor do roubo, muito pelo contrário. Ainda no berço já ouvia minha mãe ensinando que roubar era coisa feia. Bastava eu esticar a mãozinha na direção da chupeta do meu irmão mais velho para que ela reprimisse esse que é um dos mais antigos costumes da humanidade: apossar-se do que é do outro. Quando esse outro é o povo brasileiro, aí mesmo é que fica fácil meter a mão, como se tem visto ao longo da nossa história.

Leia mais
10/07/2019

Tirando o peso da consciência, posso subir na balança sem ficar vermelho de raiva ou de vergonha

Sendo vasta a minha ignorância no assunto, como de resto em quase todo o resto, fiquei espantado ao saber que um quilo não estava mais pesando um quilo. Aliás, a própria palavra já não é mais a mesma, visto que quase todos os nossos restaurantes servem comida a kilo, quando não à kilo,  metendo a colher na gramática e errando duas vezes no mesmo prato. Mas, contanto que a comida seja boa e o preço razoável, quem vai ligar para a gramática?

Leia mais
26/06/2019

Ele disse que sim, mas que não era hora de falar nisso. Ela quis saber quando seria a hora, já estavam naquilo há dois anos, quase três. Então ele afrouxou um pouco o abraço, não tanto que ela pudesse fugir, e disse que jurava.

— Por sua mãe?

—Também assim não, mãe é uma só. Juro por Deus.

— Deus também é um só.

— Mas nele nada pega.

— Então é quando?

— Bom, pode decidir você.

— Maio... Adoro maio.

— Puxa, mas já é janeiro, seis de janeiro, maio vem daqui a pouquinho. Tá bom... Vá lá que seja: maio. Que dia?

Leia mais
12/06/2019

 

Parece que o tempo da delicadeza se perdeu no tempo

Leia mais
29/05/2019

Mesmo estando fora do páreo há algum tempo, ainda balançava os corações femininos

Leia mais
15/05/2019

Já estou até pensando em fazer delação premiada

Leia mais
01/05/2019

O que mais aquela menina podia querer na vida?

Era uma predestinada, tanto que lhe deram o nome de Maria das Dores.  Mas da maternidade já saiu reduzida a Das Dores. E Das Dores foi pela vida afora, vida curta, posto que antes dos quinze despencou da laje onde soltava pipa e morreu. A mãe, ao receber a notícia, montou na velha bicicleta e pedalou num fôlego só, do centro da cidade até a subida do morro. Mas só lhe restou chorar, no que foi furtivamente acompanhada pelo pai e por algumas vizinhas.

Leia mais
17/04/2019

Ninguém irá perguntar ao vencedor se ele disse a verdade

Leia mais