Novas tendências

quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

Novas tendências

Divulgada pela primeira vez pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad Contínua 2016) mostra que o acesso à internet e à televisão e a posse de telefone móvel celular para uso pessoal confirmam o que foi sinalizado por outros estudos do órgão. O acesso à internet, a substituição de TVs de tubo e a posse de celulares são tendências crescentes no país. A pesquisa abrangeu 211.344 domicílios particulares permanentes em 3,5 mil municípios.

*****

A sondagem apurou que de 69,3 milhões de domicílios particulares permanentes no Brasil apenas 2,8%, ou 1,9 milhão, não tinham televisão. Por outro lado, no total de 67,373 milhões de domicílios com televisão no Brasil, existiam 102.633 milhões de televisores. E 63,4% eram de tela fina e 36,6% de tubo, com o primeiro tipo em 66,8% dos domicílios e o segundo, em 46,2%.

Padrão de compra

A Intenção de Consumo das Famílias, medida pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), teve alta de 4,2% de janeiro para fevereiro. O crescimento chegou a 13% na comparação com fevereiro de 2017.

*****
Segundo a CNC, a alta é provocada pela melhora do poder de compra das famílias. A confederação considera que a trajetória de queda da inflação e das taxas de juros (ainda que suave) e as linhas de crédito permitiram menor comprometimento da renda e, consequentemente, o aumento da intenção de consumo. Apesar disso, a CNC considera que a recuperação é lenta, distante dos níveis registrados entre 2010 e 2012.

PIB cresce

O Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro, a soma de todos os bens e serviços produzidos no país, cresceu 1% em 2017 e atingiu o valor de R$ 6,51 trilhões, segundo o Monitor do PIB da Fundação Getulio Vargas. O indicador não é um dado oficial, já que o PIB é calculado oficialmente pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e será divulgado no dia 1º de março.

*****

Segundo a FGV, o indicador cresceu depois de dois anos de retração, com resultados positivos na agropecuária (12,8%), indústria (0,1%) e no setor de serviços (0,3%). Entre os segmentos da indústria, a principal alta ficou com a extrativa mineral (4,5%). A construção teve a única queda dentro da indústria (-5%).

Abono do PIS

Começa hoje, 22, o pagamento do abono salarial PIS (Programa de Integração Social) do calendário 2017/2018, ano-base 2016, para os trabalhadores nascidos nos meses de março e abril. Segundo a Caixa Econômica Federal, os valores variam de R$ 80 a R$ 954 conforme o tempo de trabalho em 2016. Os titulares de conta individual na Caixa com saldo acima de R$ 1 e movimentação receberam o crédito automaticamente na terça-feira 20.

Os recursos de todos beneficiários ficam disponíveis até 29 de junho de 2018.

Resultado expressivo

O Indicador Antecedente Composto da Economia (Iace) para o Brasil voltou a subir em janeiro, com alta de 1,3%, alcançando 116,5 pontos. O resultado é mais expressivo do que o de dezembro, quando o índice foi de 0,9% e 114,5 pontos. Dois oito indicadores que formam o índice, sete ajudaram na elevação, principalmente o Ibovespa, que apresentou alta de 11,1%.

*****

O indicador é apurado pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (Ibre/ FGV) em conjunto com a instituição norte-americana The Conference Board e permite comparar a situação econômica do Brasil com a registrada em outros 11 países e regiões, onde é feito esse tipo de pesquisa.

Telefonia domina

Em uma época de smartphones e aplicativos de mensagens, o telefone fixo está presente em somente um terço dos lares brasileiros. É o que consta de estudo do IBGE. A Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua 2016) mostra também o que já tem se observado há alguns anos: o celular ocupa o espaço do telefone fixo. Em 60,9% dos domicílios, havia somente o celular como serviço de telefonia. 

Publicidade
TAGS:

A Direção do Jornal A Voz da Serra não é solidária, não se responsabiliza e nem endossa os conceitos e opiniões emitidas por seus colunistas em seções ou artigos assinados.