Combustíveis caem

Antônio Fernando

Blog do Antônio Fernando

Friburguense, jornalista, 65 anos, taurino e vascaíno. Antônio Fernando atuou em diversos veículos de Nova Friburgo e atualmente é redator das colunas Radar e Impressões onde ele deleita o leitor de A VOZ DA SERRA com suas visões peculiares sobre o mundo.

terça-feira, 09 de janeiro de 2018

Combustíveis caem

A Petrobras reduziu os preços do diesel em 0,2% e os da gasolina em 1,6% nas refinarias a partir de hoje, 9, de acordo com comunicado no site da estatal.

Os reajustes fazem parte da nova sistemática de formação de preços da companhia, em vigor desde julho e que prevê alterações quase que diárias nas cotações dos combustíveis. Na semana passada, a Petrobras reduziu os preços da gasolina em 3,5% e os do diesel em 2% nas refinarias.

Previsões inalteradas

O mercado financeiro reduziu levemente a projeção para a inflação em 2018. A estimativa para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) - a inflação oficial do país - passou de 3,96% na divulgação da semana passada para 3,95% hoje, 9. Há quatro semanas, a expectativa estava em 4,02% para 2018. A projeção consta do boletim Focus, publicação divulgada ontem, 8, pelo Banco Central. A estimativa para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) deste ano também caiu levemente, passou de 2,70% na última divulgação para 2,69%. 

Refis para os pequenos

O presidente Michel Temer vetou integralmente o projeto que instituía o programa de refinanciamento para micro e pequenas empresas – o Refis das micro e pequenas empresas. A justificativa é que a medida fere a Lei de Responsabilidade Fiscal ao não prever a origem dos recursos que cobririam os descontos aplicados a multas e juros com o parcelamento das dívidas.

A decisão foi tomada na última sexta-feira, 5, pelo Palácio do Planalto e comunicada diretamente por Temer ao presidente do Sebrae, Guilherme Afif Domingos, com quem se encontrou em São Paulo, em agenda privada. O objetivo da instituição, porém, é trabalhar para que o Congresso Nacional derrube o veto presidencial enquanto o Ministério da Fazenda estuda uma solução para o impasse econômico da medida.

Mais de 60% estão endividados

O percentual de famílias brasileiras com dívidas terminou 2017 em 62,2%, de acordo com dados da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic) divulgada na última sexta-feira, 5, pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Comércio (CNC). O resultado indica uma alta de 3,2 pontos percentuais em relação ao registrado em dezembro de 2016.

*****

As famílias inadimplentes, isto é, com dívidas ou contas em atraso, representaram 25,7% do total em dezembro, indicando alta de 1,7 ponto percentual em relação a dezembro de 2016. Ao mesmo tempo, o percentual de famílias que declaram não ter condições de pagar suas contas ou dívidas em atraso ficou em 9,7%, índice 0,6 ponto percentual maior na comparação com o mesmo período de 2016. O tempo médio de atraso para que as dívidas sejam pagas foi de 64,3 dias em dezembro de 2017. No mesmo período do ano anterior, o tempo médio para regularização das contas foi de 63,8 dias.

PIS/Pasep para idosos

Começa no próximo dia 24 o pagamento das cotas dos fundos dos programas de Integração Social (PIS) e de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep) para pessoas com mais de 60 anos que trabalharam com carteira assinada antes da Constituição de 1988. A informação foi divulgada ontem, 8, pelo Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão. O crédito em conta automático para os beneficiários com conta corrente ou poupança individual na Caixa Econômica Federal e no Banco do Brasil será feito na noite do próximo dia 22. Segundo o ministério, essa nova etapa de saques beneficia mais de 4,5 milhões de cotistas do PIS e do Pasep, que poderão efetuar o saque de R$ 7,8 bilhões disponíveis nas instituições financeiras.

Interior é o mais satisfeito

O Índice de Satisfação com a Vida, da Confederação Nacional da Indústria (CNI), constatou que a população mais satisfeita com a vida reside nos municípios do interior do país. Foi lá onde se atingiu maior pontuação, 66,9 pontos, de uma escala de 0 a 100. Os menos satisfeitos são os que vivem nas periferias: 62 pontos. A pontuação obtida por residentes nas capitais ficou em 64,7 pontos. Também é no interior onde se tem menos medo de perder o emprego, segundo o Índice de Medo do Desemprego. Lá o índice registrado ficou em 64,5 pontos, enquanto nas capitais e periferias esse índice ficou em 67,5 pontos.

O brasileiro estava com menos medo de perder o emprego em dezembro do que em setembro de 2017. No entanto, segundo o Índice de Medo do Desemprego e o Índice de Satisfação com a Vida, divulgados na sexta-feira, 5, pela CNI, o brasileiro está mais preocupado com essa possibilidade, se comparado a dezembro de 2016.

Publicidade
TAGS:

Antônio Fernando

Blog do Antônio Fernando

Friburguense, jornalista, 65 anos, taurino e vascaíno. Antônio Fernando atuou em diversos veículos de Nova Friburgo e atualmente é redator das colunas Radar e Impressões onde ele deleita o leitor de A VOZ DA SERRA com suas visões peculiares sobre o mundo.

A Direção do Jornal A Voz da Serra não é solidária, não se responsabiliza e nem endossa os conceitos e opiniões emitidas por seus colunistas em seções ou artigos assinados.