Zuenir Ventura e Dorinha da Apae vão receber a Comenda Barão de Nova Friburgo

Solenidade será realizada durante o bicentenário da cidade no Teatro Municipal
quarta-feira, 18 de abril de 2018
por Alerrandre Barros (alerrandre@avozdaserra.com.br)
Foto de capa
Zuenir Ventura em visita recente ao estúdio de A VOZ DA SERRA (Arquivo AVS)

O presidente da Câmara de Nova Friburgo, vereador Alexandre Cruz (PPS), revelou que a entrega da comenda Barão de Nova Friburgo ao jornalista e escritor Zuenir Ventura e a Maria das Dores Mello Pacheco, a Dorinha, fundadora da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae), será realizada em 16 de maio, dia do aniversário de 200 anos da cidade.  

“Zuenir e Dorinha representam muito para Nova Friburgo. De origem humilde, Zuenir se tornou esse grande nome da literatura e do jornalismo brasileiro. Para onde vai, leva o nome da nossa cidade. Dorinha é o exemplo da força da mulher brasileira. Fez a Apae ressurgir das cinzas após várias enchentes. Os dois nos mostram que é possível acreditar nos sonhos”, disse Alexandre, acrescentando que a diretora de A VOZ DA SERRA, Adriana Ventura, intermediou a vinda de Zuenir, que precisou alterar sua agenda de compromissos para receber a honraria.

O premiado jornalista e escritor nasceu em Minas Gerais, mas veio morar em Nova Friburgo com a família na pré-adolescência. Aqui, foi ajudante do pai, que era pintor de paredes, foi contínuo de banco, faxineiro e balconista. Foi estudar Letras, na UFRJ, e iniciou a carreira no jornalismo ao mudar-se, definitivamente para o Rio de Janeiro.

Passou pelas principais redações de jornais e revistas do país. Escreveu seis livros, entre eles, “1968 – O ano que não terminou”, bestseller que inspirou a minissérie “Anos Rebeldes”, da TV Globo. Membro da Academia Brasileira de Letras, foi professor universitário e, aos 86 anos, é colunista do jornal O Globo. É casado com a jornalista Mary Ventura, com quem teve dois filhos, Elisa e Mauro, e dois netos, Alice e Eric. É primo do nosso patrono Laercio Rangel Ventura, diretor de A VOZ DA SERRA por 40 anos.

A luta de Dorinha

Maria das Dores Pacheco, a Dorinha, tornou-se referência na luta por assistência às pessoas portadoras deficiência intelectual e múltipla. Nascida em Duas Barras, veio para Nova Friburgo aos seis anos, onde se casou com Silvio Pacheco e teve quatro filhos: Walter, Flávio, Victor e Rafael, esse último portador de microcefalia.

Após idas e vindas ao Rio de Janeiro, em busca de tratamento para ele, decidiu criar na cidade um grupo específico para crianças especiais. Surgiu assim, a Apae, em 1979.

Aos 76 anos, Dorinha trabalha, incansavelmente, para manter a unidade funcionando, oferecendo atenção integral a cerca de 600 pessoas através de uma equipe multidisciplinar.

Sobre a Comenda

A solenidade de entrega da Comenda - a maior honraria do Legislativo - aos dois ilustres convidados será no Teatro Municipal Laercio Rangel Ventura, na Praça do Suspiro, às 19h, em meio às comemorações do bicentenário da cidade, no mesmo dia em que também será feita a entrega de títulos de cidadania friburguense a personalidades que não nasceram em Friburgo. Cada um dos 21 vereadores indica dois nomes. A lista completa deve ser divulgada pela Câmara na próxima semana.  

Criada em 1993, a Comenda Barão de Nova Friburgo já foi entregue a 31 personalidades. O último título de Comendador foi dado ao ex-prefeito Heródoto Bento de Mello, no ano passado. Entre outros, já receberam também a honraria: sociólogo Hebert de Sousa, o Betinho, em 1996; o cantor Benito di Paula (1998); o fundador da Stam, Francisco Faria (2003); e o governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão (2015).  

 

LEIA MAIS

Programação começa logo cedo. Concurso de trovas que atrai poetas de vários estados do país

Biblioteca Pública Municipal inaugura exposição fotográfica

A hora e a vez de artistas locais tocarem pelo bicentenário da cidade

Publicidade
Agora Faz
TAGS: 200 anos