A voz dos leitores: banco cercado de mato e sinalização mal planejada

"Sentar ali, só se for para ser picado por cobra", diz morador indignado com falta de capina
quarta-feira, 10 de janeiro de 2018
por Jornal A Voz da Serra
Foto de capa
O banco cercado de mato fotografado pelo leitor Vinícius Marchon

Morador do Bairro Suíço, Vinicius Marchon ficou impressionado com o banco, cercado de mato, na margem do Rio Bengalas, na Avenida Presidente Costa e Silva, próximo à Frivel. 

"É inacreditável o tamanho do mato. Sentar ali, só se for para ser picado por alguma cobra", disse ele em mensagem ao A VOZ DA SERRA. 

Já Mario Campos reclama das cenas que vê todos os dias na Avenida Galdino do Valle Filho, no Centro de Nova Friburgo: veículos em alta velocidade convivendo com caminhões de gás parados abastecendo os prédios, alcoólatras dormindo na ciclovia, barulho ensurdecedor de motos, caminhões.

Ele também faz críticas à sinalização da cidade e dá sugestões para a melhoria do sistema.

Segundo ele, a nova sinalização do trânsito não adiantará nada se não consertar o posicionamento e o sincronismo dos sinais. "Se não colocar um semáforo para pedestres e veículos na esquina da Rua Sete de Setembro com a antiga rodoviária urbana na Praça Getúlio Vargas, não adianta substituir o semáforo na outra esquina da Rua Sete de Setembro em frente ao Cavalo Preto", exemplificou.

Outro absurdo nos semáforos é o instalado em frente à casa do dr. Galdino do Vale Filho. A faixa de retenção está a 40 metros da faixa de pedestres, segundo ele. E, durante a noite, a grande maioria dos veículos não para nesse sinal. A máquina dele tem que ser mudada para semáforo inteligente/programável. Das 22h às 6h deveria permanecer na função amarelo piscante.

Envie suas queixas e sugestões para o nosso WhatasApp: (22) 99913-9995 ou para o email redacao@avozdaserra.com.br

Publicidade
TAGS: