Viação 1001 altera e até cancela viagens

Em rotas estaduais, passagens podem ser remarcadas gratuitamente em até 30 dias
quinta-feira, 24 de maio de 2018
por Jornal A Voz da Serra
Foto de capa

A empresa 1001 informa que,  devido à greve dos caminhoneiros, que afeta o abastecimento de combustível em todo o Brasil, a frequência de algumas viagens poderão ser alteradas ou canceladas.

A medida está sendo tomada para assegurar que os ônibus da empresa operem até a normalização do fornecimento de combustíveis.

Os passageiros devem se direcionar aos guichês para confirmar possíveis alterações, conforme disponibilidade. Se o cliente optar por não seguir viagem, a remarcação será feita de maneira gratuita, respeitando os seguintes períodos:
Rotas estaduais - 30 dias
Rotas federais - 1 ano

Tão logo a situação seja normalizada, as operações retornarão ao padrão, o mais rápido possível.

Segundo Wanderson Nogueira em sua coluna Obsertório desta quinta, 24, a circulação dos ônibus intermunicipais já opera com redução brutal. Segundo o Controle de Operações da Fetranspor, cerca de 40% da frota de ônibus intermunicipais de todo o estado já não operam por conta da ausência de óleo diesel, combustível do modal, entregue pelos caminhoneiros nas garagens.

A exemplo do que já acontece em Nova Friburgo com os ônibus da Faol, a operação dos intermunicipais com 60% da frota só estaria sendo possível pelos esforços para abastecimentos em postos de gasolina convencionais. Caso o protesto permaneça, a situação pode ser agravar ainda mais, com possibilidade até de impossibilidade total de circulação dos ônibus já a partir de amanhã, 25.  

Agravante ainda maior é o feriadão de Corpus Christi na próxima semana. Quem planejava viajar já deve rever roteiros. Mesmo com a greve se encerrando nas próximas horas, seria necessária pelo menos uma semana para regularizar a situação. Operadores do setor aconselham aguardar o desenrolar dos fatos.  

LEIA MAIS

Defensoria Pública cobra da prefeitura preenchimento de vagas em escolas e creches

Reunião para correção salarial deve definir os rumos da mobilização da categoria e dos profissionais de apoio

Não era só demanda reprimida após a greve não: encher o tanque agora pode custar até R$ 250

Publicidade
TAGS: Greve