Troféu Dois Séculos de Urbanismo homenageia Ariosto

Escultura do artista plástico Felga de Moraes será inaugurada sexta na rua que leva o nome do engenheiro
quarta-feira, 23 de maio de 2018
por Guilherme Alt (guilherme@avozdaserra.com.br)
Foto de capa

 

Nesta sexta-feira, 25, às 11h, o Instituto Felga I Gracias, prestará uma homenagem a um personagem que marcou época em Nova Friburgo: o engenheiro Ariosto Bento de Mello. Morto precocemente em 1980, aos 52 anos, Ariosto foi uma das figuras que mais contribuíram para o desenvolvimento e a modernização de Nova Friburgo. Irmão do engenheiro e ex-prefeito Heródoto Bento de Mello, falecido no último dia 29 de abril, Ariosto é um ícone friburguense.

A criação do artista plástico João Baptista Felga de Moraes, que homenageia Ariosto é uma escultura de 60 centímetros, fundida em metal que terá a forma de um DNA, representando o DNA da família Bento de Mello que muito contribuiu para a modernização urbanística de Nova Friburgo. O troféu “Dois Séculos de Urbanismo” ficará na entrada da rua Ariosto Bento de Mello, próximo a esquina com a Rua José Eugênio Muller, em frente ao Senai. .

Nascido em 21 de abril de 1928, no Rio, Ariosto era irmão de Heródoto e Marilina. Junto a Heródoto, fundou a Sociedade Técnica de Engenharia e Comércio (Sotec), exercendo o cargo de diretor. Posteriormente, os irmãos ingressaram na metalurgia, criando a Empresa Friburguense de Metais (Frimeta). As obras realizadas pela Sotec tinham o objetivo de favorecer o desenvolvimento urbano. Ariosto tinha particular admiração pelo arquiteto suíço Le Corbusier, considerado um dos maiores representantes da arquitetura moderna, junto a Oscar Niemeyer.

Durante sua atuação, foram erguidas mais de 50 obras, entre edifícios comerciais e residenciais, casas, além de colégios e pontes. Ariosto tinha como meta oferecer a todos, sem distinção de nível social, a possibilidade de acesso à casa própria. Segundo Heródoto, “Ariosto foi o grande incentivador dos movimentos culturais de Nova Friburgo e líder no movimento de redescoberta das raízes do povo friburguense ao iniciar a aproximação com a Suíça. Ariosto morreu em 19 de novembro de 1980.

Em 1973, o historiador suíço Martin Nicoulin publicou ‘La Genèse de Nova Friburgo’, a pesquisa sobre a emigração suíça a Nova Friburgo. Três anos depois, Ariosto viajou à Suíça e a partir de um encontro com Nicoulin surgiu a ideia de se fazer a primeira confraternização, como forma de aproximar as duas cidades. O encontro se concretizou em 1977, em Nova Friburgo.Ariosto morreu em 19 de novembro de 1980.

 

Publicidade
TAGS: