Trecho do Rio Santo Antônio é obstruído por bambus

Apesar das constantes campanhas, ainda são comuns em Friburgo os atos de total descaso com a natureza
terça-feira, 13 de setembro de 2016
por Jornal A Voz da Serra
Foto de capa
Provavelmente cortados, os bambus estão obstruindo um trecho do Rio Santo Antônio, atrás da Fábrica Ypu. Irregularidade pode facilitar enchentes ao longo do curso em dias de fortes chuvas. Limpeza no trecho é urgente (Foto: Leitor via WhatsApp)

Apesar das constantes campanhas sobre a importância dos cuidados de preservação ambiental, ainda são comuns em Nova Friburgo os atos de total descaso com a natureza e os rios que cortam a cidade. A redação de A VOZ DA SERRA recebe com frequência denúncias de práticas que estão na contramão da conservação das áreas verdes, mananciais e afluentes. A mais recente queixa encaminhada ao jornal é sobre o amontoado de bambus provavelmente cortados que estão obstruindo um trecho do Rio Santo Antônio, atrás da Fábrica Ypu. 

O fato vem preocupando quem costuma passar pelo trecho, já que os bambus estão bloqueando o curso de água do rio. O problema vem somar-se a outros que costumam ser registrados na cidade como o descarte de pneus velhos e todo tipo de lixo nos rios, córregos, cachoeiras e terrenos baldios. 

Recentemente, a concessionária Águas de Nova Friburgo recolheu mais de 60 pneus no leito do Bengalas, comprovando a pouca importância ainda dada à reciclagem. Sem contar que os maus hábitos trazem uma série de prejuízos à biodiversidade e qualidade de vida da população.

Vale destacar que os leitores que entraram em contato com o jornal também denunciaram outra irregularidade ainda comum em algumas áreas da cidade que é a construção às margens dos rios. Alguns apelam para que os órgãos competentes façam uma fiscalização mais rigorosa, a fim de reprimir tal prática ainda tão comum no município, bem como o uso dos rios como lixeira.

LEIA MAIS

Homens detidos estavam limpando área de proteção ambiental perto do parque em Conquista

Ideia é acelerar reflorestamento após queimada. População será convocada a produzir as “bombas”

Confira a coluna semanal de Renata de Rivera, do Meu Bairro Sustentável

Publicidade
Agora Faz