Temporal alaga ruas e Bengalas quase transborda

Segundo a Defesa Civil, em Mury e Debossan foram registrados 106,02 milímetros de chuva
quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018
por Dayane Emrich
Foto de capa
O Rio Santo Antônio, cheio e caudaloso, na altura do Bairro Ypu (Reprodução da internet)

As fortes chuvas de verão voltaram a causar transtornos e apreensão aos friburguenses na madrugada desta quinta-feira, 22. De acordo com a Defesa Civil, o período mais intenso de chuva foi entre 3h30 e 5h, e a média de precipitação pluviométrica registrada na cidade chegou a 51 milímetros em 24 horas. O maior índice pluviométrico foi registrado no distrito de Mury e na localidade de Debossan. Por lá, foram computados 106 milímetros de chuva.

Com a tempestade, o Rio Bengalas, que corta o município ficou perto de transbordar em diversos pontos, principalmente em Conselheiro Paulino. Os outros dois principais curso hídricos do município, o Rio Santo Antônio e o Rio Cônego, também tiveram aumento do seu volume, mas não chegaram a transbordar.

Por causa da chuva, algumas ruas da cidade também ficaram alagadas. Entre elas a Rua García de Queiroz, próximo ao Colégio Rui Barbosa, no Prado, e a Rua Lafayette Filho, ambas em Conselheiro Paulino. Nas redes sociais, houve registros de alagamentos em ruas do bairro Stucky, em Mury.  

Apesar dos transtornos, segundo a Defesa Civil, até a manhã da quinta-feira não foram registradas ocorrências e não há desalojados nem desabrigados. O órgão informou ainda que o município continua em estado de atenção.

Previsão do tempo

Conforme vem sendo anunciado pelas autoridades municipais e estaduais, o maior volume de chuva está previsto para a noite desta quinta-feira e madrugada de amanhã, sexta, 23.

De acordo com o Centro de Monitoramento Climático Fluminense, a passagem de uma nova frente nesta sexta-feira associada ao calor e alta umidade do ar no estado do Rio de Janeiro, vai favorecer a formação de nuvens muito carregadas de chuva. “A risco de tempo severo com chuvas volumosas pelo estado”, alertou o órgão. Ainda de acordo com o centro de monitoramento, dentre as áreas com maior probabilidade de chuvas intensas está a Região Serrana. “Chuvas volumosas com potencial para transtornos”, frisou.

A notícia boa é que, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a chuva deve dar uma trégua no fim de semana. No sábado, 24, e no domingo, 25, o tempo fica encoberto, mas não há previsão de chuva. A temperatura deve ficar entre 15 e 25 graus.

Abastecimento de água

Se por um lado o excesso de água da chuva está causando transtornos, por outro, por conta dos temporais, muitas famílias estão com o abastecimento comprometido. A Voz da Serra voltou a receber relatos de falta de água em diversos pontos da cidade. Entre eles: as ruas São Paulo, em Olaria, e a Maracanã, em Mury.

Transtornos e prejuízos

Na última terça-feira, 20, uma tempestade atingiu a localidade rural de Salinas, no distrito de Campo do Coelho. Na ocasião, 16 imóveis foram alagados. A Escola Municipal Alcides Francisco Brantes, que atende mais de 150 alunos da comunidade, também foi atingida. Isso sem mencionar o prejuízo dos agricultores da região -- uma das maiores produtoras de hortifrutigranjeiros do município e um dos principais fornecedores do setor no estado -- que perderam praticamente todas as plantações. A localidade já havia sofrido com o temporal de domingo, 18.

LEIA MAIS

Segundo prognóstico de meteorologista, frio mais intenso vai de agora até meados de julho, apenas

Agasalhos beneficiam assistidos pela Casa dos Pobres, pelo Lar Abrigo de Amor a Jesus, Lar para Idosos Frederico Meyer e pela Casa de Passagem

Diferença entre mínimas e máximas deve aumentar ao longo da semana, com manhãs cada vez mais geladas

Publicidade
TAGS: Clima | Chuva