Teleférico de Friburgo volta a subir até a Cruz já no Natal

Justiça desinterdita equipamento, que estava fechado desde a tragédia de 2011
terça-feira, 12 de dezembro de 2017
por Jornal A Voz da Serra
Foto de capa

A Justiça desinterditou o segundo estágio do Teleférico de Nova Friburgo, até o alto do Morro da Cruz. A decisão foi tomada na tarde desta terça-feira, 12, pelo juiz Marcos Vinicius Mattos, da 1ª Vara Cível do município, segundo o advogado da Empresa Friburguense do Teleférico, Sérgio Rosmaninho. Com isso, o teleférico de Friburgo torna-se o maior do Brasil.

O proprietário do Teleférico, Rodolfo Acri, disse que pretende reinaugurar o trecho já no fim de semana antes do Natal. A liberação poderia ser até imediata, segundo ele, mas é necessária a contratação de funcionários, explicou.

Rosmaninho disse que o parecer técnico que faltava, do Grupo de Apoio Técnico (GAT) do Ministério Público estadual, foi dado há poucas semanas. O juiz não só desinterditou o equipamento, fechado desde a tragédia de 2011, como extinguiu a ação que impedia o segundo estágio do Teleférico de funcionar.

Há cerca de um mês, a técnicos e engenheiros da Defesa Civil concluíram a quarta vistoria no Teleférico. A inspeção, que atendeu a uma determinação judicial, teve como objetivo avaliar se os serviços exigidos  para a reabertura do espaço foram efetuados. A ação foi acompanhada pelo secretário municipal de Defesa Civil, coronel João Paulo Mori, o subsecretário Robson Teixeira, o engenheiro Natanael Fonseca e um representante do Teleférico. Segundo Mori, a administração do teleférico cumpriu as cinco exigências de segurança que faltavam para a reativação do equipamento turístico.

“Na nossa última visita ao local, havíamos constatado algumas pequenas irregularidades. Além de alguns galhos que estavam batendo nas cadeiras, havia lixo e entulho na caixa geradora, o para-raio não estava em acordo, o guarda corpo necessitavam de reparos e os extintores tinham que ser trocados. Embora não sejam graves, estas questões eram importantes para a liberação”, explicou Mori na época, acrescentando: “De acordo com o que compete a Defesa Civil, o equipamento está apto para ser utilizado pela população. Cabe ao proprietário, agora, resolver o restante com a Justiça. Este é um ponto turístico muito importante para Nova Friburgo e tê-lo liberado para funcionamento será de grande valia para todos, especialmente com a chegada das férias escolares”, disse.

Ainda de acordo com Rodolfo Acri, os novos reparos custaram em torno de R$ 3 mil. O empresário afirmou também que já desembolsou cerca de R$ 100 mil para repor cabeamentos, motores e outros equipamentos que foram roubados e danificados na época da catástrofe e já havia injetado cerca de R$ 10 mil para cumprir exigências da Defesa Civil.  

O caso

O complexo do teleférico de Nova Friburgo foi interditado depois da tragédia climática em janeiro de 2011. O primeiro estágio do equipamento e o mirante voltaram a funcionar em 2014, após passar por uma série de testes para comprovar sua segurança. O segundo estágio do equipamento, no entanto, continuou interditado, devido a necessidade de obras e melhorias no local.

Em outubro de 2015, o segundo estágio do teleférico chegou a ser liberado pela Defesa Civil. Na época, o órgão municipal fez 15 exigências; todas solucionadas pelo proprietário. A decisão, entretanto, não foi aprovada judicialmente.

LEIA MAIS

Além de cerveja artesanal, gastronomia variada, música ao vivo e concurso de chope a metro fazem parte das atrações

Palestra de ex-prefeito Pedro Bertolucci aborda “case” de Gramado, que virou potência do setor

Quarteto de cordas Niterói Strings e dupla de choro são as atrações deste sábado e domingo

Publicidade
TAGS: Turismo