Tarifa de luz em Friburgo agora tem reajuste anual para baixo

Conta de luz deve vir com redução média de 4,32% nos boletos de agosto
quarta-feira, 14 de junho de 2017
por Alerrandre Barros
Foto de capa

As contas de luz dos 105 mil clientes residenciais e comerciais da Energisa, em Nova Friburgo, ficarão 4,32% mais baratas, em média, a partir deste mês. Nesta terça-feira, 13, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou os novos índices de reajuste tarifário anual da concessionária, que entra em vigor no próximo dia 22.

Os clientes que usam a baixa tensão (residenciais) vão perceber uma redução de 4,38% na conta, enquanto clientes que consomem energia elétrica fornecida por média e alta tensão (indústrias, por exemplo) terão redução de 4,10%. Os consumidores só devem ver o alívio desta medida nos boletos de agosto.

No ano passado, o reajuste aumentou as contas de luz entre 6,69%, para consumidores residenciais, e 17%, para indústrias. O cálculo do reajuste é estabelecido no contrato de concessão e considera os custos de geração, aquisição, transmissão de energia elétrica e encargos setoriais.

“Neste ano houve redução por causa de uma adequação dos encargos setoriais. Destaca-se ainda que o processo tarifário considera um fator de ajuste que visa compartilhar com os consumidores o ganho de eficiência obtido pela empresa e, com isso, diminuir o impacto dos reajustes tarifários”, disse o diretor técnico e comercial da Energisa, Fernando Costalonga.

Em julho, as contas devem vir mais baratas porque desde o início deste mês entrou em vigor no país a bandeira tarifária verde, que indica que não haverá cobrança extra para quem consumir mais de 100 quilowatts-hora (kWh) este mês. Nos últimos dois meses, o vigorou a bandeira vermelha (patamar 1) com cobrança de R$ 3 para quem extrapolou o limite.

"Os fatores que contribuíram para o retorno da bandeira verde foram a maior afluência das vazões (devido às chuvas) que chegaram aos reservatórios das hidrelétricas em maio de 2017 e a perspectiva de redução do consumo de energia elétrica", explicou a Aneel.
 

Desde o início deste ano, o valor da conta de luz dos brasileiros vive num sobe e desce. Em janeiro, a bandeira verde estava em vigor. Em março, mudou para amarela, com adicional de R$ 2 para cada 100kWh. No mês seguinte, entrou a bandeira vermelha patamar 1, quando a Aneel também anunciou desconto de 20% nas faturas devido a uma cobrança irregular praticada no ano passado. Em maio, outro desconto de 10% pelo mesmo motivo.

Ao longo de 2016, os consumidores pagaram R$ 1,8 bilhão a mais nas contas de luz. O valor, entretanto, foi corrigido para R$ 900 milhões. A cobrança extra ocorreu pela inclusão indevida nas contas de luz de um encargo destinado a remunerar a usina nuclear de Angra 3, na Costa Verde fluminense.

O encargo não deveria ter sido cobrado dos clientes pelas concessionárias porque a usina ainda não entrou em operação e, portanto, não produz energia elétrica. As obras estão paradas desde setembro do ano passado e só devem ser entregues em 2022. Noventa distribuidoras de energia do país tiveram que corrigir o erro e devolver o valor aos consumidores por meio de descontos nas contas de luz.

 

LEIA MAIS

Taxa extra de R$ 3 a cada 100 kWh consumidos deixa de ser cobrada. No entanto, tarifa vai aumentar por causa do reajuste anual da Energisa

Consumidores de Nova Friburgo podem receber desconto de 9% na próxima fatura

Condição hidrológica favorável permite manter bandeira tarifária verde

Publicidade
Agora Faz
TAGS: luz | Energia | conta