Suspeito de constranger sexualmente mulher em ônibus é investigado

Delegada da Deam convida outras possíveis vítimas em Friburgo a prestarem queixa. Vídeo postado em rede social mostra homem molestando passageira
sexta-feira, 06 de outubro de 2017
por Karine Knust
Foto de capa
O suspeito na foto divulgada pela passageira no Facebook (Reprodução)

A Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam) está investigando o caso de um homem suspeito de constranger sexualmente mulheres dentro dos ônibus em Nova Friburgo. O assunto ganhou repercussão na internet, após a publicação do post de uma jovem de 18 anos no Facebook, grávida de 4 meses. Em seu perfil na rede social, a friburguense fez um desabafo sobre a situação constrangedora que passou na tarde da sexta-feira, 29 de setembro, dentro de um coletivo da linha que faz o percurso Centro-Riograndina.

JUnto com o texto, postado no domingo, 1º de outubro, a jovem divulgou fotos e um vídeo que mostra a ação do suspeito. Nas imagens, gravadas pelo próprio celular, a moça aparece sentada em um dos assentos, enquanto o homem, em pé no corredor, parece esfregar seu órgão sexual no braço dela.

Em entrevista à VOZ DA SERRA, a jovem - que terá seu nome preservado nesta reportagem - afirmou que resolveu gravar a ação em um ato de desespero. “Era por volta de cinco e meia da tarde. Tinha ido levar meu irmão ao médico, e ele estava dormindo no banco ao meu lado. Quando percebi o que estava acontecendo, fiquei completamente paralisada. Não conseguia agir nem falar. Entrei em pânico. Nunca tinha visto aquele homem, nem tinha ouvido relatos desse tipo de coisa por aqui. Mas meu celular estava na minha mão, então a única coisa que consegui pensar foi em gravar o que estava acontecendo. Coloquei para gravar com a câmera traseira e virei o celular para baixo, tapando a tela com a mochila. As fotos que publiquei são prints do início do vídeo. Sabia que gravar só o ato não seria o suficiente, então, no início, eu filmei o rosto. Fiquei com medo de ele ver, mas precisava fazer alguma coisa”, relatou ela À VOZ DA SERRA.

Ainda de acordo com a jovem, o coletivo não estava tão cheio como normalmente fica naquele horário, o que pode reforçar o fato de que o ato tenha sido intencional. Com as imagens nas mãos, a friburguense afirmou que chegou a ir à Deam, mas não conseguiu registrar ocorrência por não ter nenhum dado sobre o suspeito. “O atendente afirmou que, como eu não sabia quem era e onde morava, seria difícil identificar”, explica ela.

Por isso ela resolveu divulgar o caso na web. “Não queria que isso fosse só mais um caso não denunciado. Então, fiz o post para servir de alerta para outras mulheres. Para que não aconteça com elas o que aconteceu comigo. Até porque, se ele fez isso em um ônibus, com diversas pessoas ao redor, o que ele não seria capaz de fazer com uma mulher em um lugar pouco movimentado?”, desabafa a passageira.

Uma ação com muitas reações

Não demorou muito para que a atitude da jovem chamasse a atenção dos internautas. Em menos de 48 horas, o post já contava com mais de 350 comentários, 500 compartilhamentos e 700 reações de pessoas indignadas com a situação.

“Você fez bem em filmar e tirar foto da cara desse sujeito! Esperamos que ele seja pego”, declarou uma mulher nos comentários. “Que miserável! Não se cale, não se omita. Agora esse infeliz está com o rosto estampado pra todos verem quem ele é, a justiça irá tratar disso, tenho certeza”, exclamou um homem.

O que também chamou a atenção das autoridades e de quem viu a publicação, entretanto, foi o suposto reconhecimento do suspeito por outras pessoas. Pelo menos quatro mulheres relataram ter presenciado ou sofrido atos parecidos supostamente realizados pelo mesmo homem.

“Esse cara já fez a mesma coisa comigo duas vezes e em nenhuma delas, infelizmente, tive coragem de fazer escândalo. O máximo que consegui foi dar uma cotovelada meio discreta e tentar me proteger com a minha bolsa. Você foi muito corajosa de ter feito esse post. Espero muito que alguma coisa possa ser feita”, afirmou uma delas.

“Eu também passei pela mesma situação, embora o ônibus não estivesse tão cheio, custei a me dar conta do que estava acontecendo. Quando percebi, perguntei a ele se precisava de ajuda, se estava acontecendo alguma coisa e de imediato ele saiu cabisbaixo falando que não precisava de ajuda e se desculpando. Em outra situação, eu estava com meu namorado e ele tentou fazer a mesma coisa, só que eu troquei de lugar e ele saiu de perto da gente. Isso já é do feitio dele e já o vi fazendo o mesmo com outra menina”, descreveu outra.

 “Já o vi nos ônibus de Olaria também, fazendo os mesmos atos com inúmeras mulheres. E tentou comigo também, minha única reação foi me deslocar para outro lugar e ficar bem longe”, relatou mais uma internauta. “Pegando um ônibus para Olaria esse mesmo cara fez isso comigo e, detalhe, eu estava com meu filho de 1 ano no colo. Quando percebi o que ele estava fazendo, dei uma joelhada nele e chamei meu marido. Ele saiu rápido de perto e eu fiquei em choque, nem consegui falar com meu marido o que tinha acontecido”, acrescentou outra.  

 Além das mobilizações a favor da vítima, a polêmica publicação também gerou transtornos. De acordo com a delegada da Deam de Nova Friburgo, Danielle de Barros, assim que soube da divulgação de suas imagens na rede social, o homem que aparece na foto publicada foi a 151º DP para registrar um boletim de ocorrência contra a jovem, por difamação.

Reviravolta

Com a exposição do suspeito e o registro de ocorrência de difamação contra a jovem, este poderia ser mais um caso em que a possível vítima se torna ré. Mas, segundo Danielle de Barros, esse evento pode ter outro futuro.

 “O que essa moça vez, de expor o rosto do homem nas redes sociais, na maioria dos casos acaba gerando problemas para a própria vítima. Neste caso, entretanto, as coisas parecem estar se encaminhando para outro lado. Apesar de ser possível perceber na imagem que o homem, de fato, está excitado e que está encostando seu genital na moça, só com as imagens ficaria muito mais difícil identificá-lo. Até a última segunda-feira, 2, ele era mais um na multidão. Agora, a partir do momento que houve a denúncia contra ela, o suspeito foi identificado”, explica Danielle.

Para dar continuidade à investigação, a delegada está convocando todas as mulheres que tenham sofrido transtornos parecidos. “Queremos ouvir todas as que relataram casos parecidos na publicação. Com o relato dessas outras mulheres, a denúncia contra ele ganha peso”, revela Danielle, acrescentando que existe uma linha tênue entre a importunação ofensiva ao pudor e a tentativa de estupro. A diferença de uma situação para a outra vai depender de como e o que aconteceu. A importunação não chega a ser considerada um crime, e sim uma contravenção penal, em que o réu recebe uma pena alternativa. No caso dessa moça, tecnicamente, foi aberto um termo circunstanciado, que pode virar um inquérito policial se a capitulação mudar de importunação ofensiva ao pudor para tentativa de estupro”, explica a delegada.

Apesar de ter sido positiva para a vítima, a exposição do autor, de acordo com Danielle, é sempre uma questão delicada. “O ideal é que, antes de tomar qualquer decisão, a vítima procure as autoridades. Mesmo sem dados da pessoa, nós faremos o possível para identificar o suspeito”, orienta.

Outros casos

Casos parecidos com o da jovem friburguense vêm sendo denunciados com frequência em todo o país. Na última quarta-feira, 4, um homem foi detido em Niterói após acusação de uma passageira de que ele estaria se masturbando dentro de um ônibus da linha 45 (Cubango-Centro). De acordo com a Polícia Militar, o suspeito foi cercado por pessoas que o impediram de deixar o coletivo, até a chegada dos agentes. Na véspera, Um homem foi preso em flagrante após se masturbar e ejacular sobre o braço de uma passageira dentro de um trem na Zona Norte do Rio. No fim de setembro, um mesmo homem foi detido duas vezes, em São Paulo, por se masturbar em ônibus. Também no fim de setembro, um homem foi detido por se masturbar e ejacular na perna de uma mulher dentro de um ônibus do sistema BRT, na Zona Oeste da cidade. O caso foi registrado como importunação ofensiva ao pudor, e Vitor Ribeiro Barbosa foi liberado em seguida.

 

LEIA MAIS

Homem acusado de abusar de menina de 4 anos foi encontrado trabalhando em sítio após denúncia anônima

Laudo confirmou violência, segundo delegada. Suspeito morava de favor com avó da criança, em Conselheiro

Morador foi esfaqueado nas costas no corredor de um dos prédios

Publicidade
Agora Faz
TAGS: crime