Surpresa na volta às aulas: Ciep de Conselheiro fecha

Alunos e professores serão alocados em outras unidades de ensino. Governo não explica motivo
sexta-feira, 02 de fevereiro de 2018
por Karine Knust
Foto de capa

O Centro Integrado de Educação Pública Glauber Rocha, no distrito de Conselheiro Paulino, não abrigará mais turmas da rede estadual de ensino a partir da próxima segunda-feira, 5, quando terá início o ano letivo nas escolas públicas. O ciep encerrou as atividades na quarta-feira, 31 de janeiro. De acordo com um professor da unidade, tanto os alunos, como os professores já estão sendo alocados para novas unidades de ensino, como o Colégio Estadual Vicente de Moraes, que fica a alguns metros do ciep.

Nas redes sociais, muitos professores, alunos e ex-alunos lamentaram o fechamento da unidade. “O coração se enche de tristeza com essa notícia. Quantos amigos fiz nessa instituição. Agradeço a Deus por cada professor. Tudo que sou e conquisto hoje devo a eles”, afirmou um aluno no Facebook.

Com cerca de 30 anos de história, o Ciep Glauber Rocha já abrigou dezenas de turmas do ensino fundamental ao médio. A unidade atendia estudantes do 1º ano do ensino fundamental ao 3º ano do médio. Mas, nos últimos anos, passou a ter apenas turmas a partir do fundamental II (6º ao 9º ano). A mudança resultou numa diminuição considerável no número de alunos.

A VOZ DA SERRA entrou em contato com a Secretaria estadual de Educação (Seeduc) para saber o motivo da desativação da unidade, informações sobre a transferência de alunos e funcionários, além do futuro do amplo espaço, mas até o fechamento desta edição, não obtivemos respostas.

Uma história de luta

Localizado na altura do Jardim Ouro Pedro, no distrito de Conselheiro Paulino, o Ciep Glauber Rocha foi marcado por momentos de luta contra o encerramento de turmas. O último deles aconteceu em 2016, quando o governo estadual anunciou que iria desativar o ensino médio na unidade e terminar com o horário integral.

Na ocasião, estudantes ocuparam a unidade e criticaram a falta de diálogo com a Seeduc. A intenção do governo do estado, na época, era transferir a gestão de todas as turmas do 6º ao 9º ano do ensino fundamental para os municípios, e ficar somente com o ensino médio. Para que isso acontecesse, várias escolas do estado teriam que ser municipalizadas. Por causa da ocupação, as aulas foram suspensas pela direção.

Durante esse período, uma estudante do Ciep Glauber Rocha, Elaine Oliveira Melchiades, acabou se destacando ao criticar a decisão da Seeduc. A fala da jovem, de 16 anos, foi ouvida durante audiência pública, na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) e viralizou nas redes sociais. “Em uma semana soubemos que o ciep ia fechar. Na outra chegou a informação de que seria municipalizado. Foi um absurdo. Em nenhum momento fomos ouvidos. Numa democracia, o povo é ouvido para que a política seja feita, mas não é isso o que está acontecendo na minha comunidade, no Brasil e no mundo”, desabafou a estudante na ocasião.

Apesar da tentativa, a decisão do governo do estado não foi a frente e em 2017 o ciep continuou funcionando, mas agora o fechamento surpreendeu e causou decepção na  comunidade escolar.  

LEIA MAIS

Projeto educacional Pró-Memória Digital disponibilizará todos documentos históricos em ambiente virtual

Mutirão para inscrições acontece neste sábado; aulas começam na próxima semana

Produtos serão utilizados na merenda dos alunos das escolas estaduais. ‬Contrato terá validade até dezembro

Publicidade
Agora Faz
TAGS: Educação