Sistema Firjan reúne prefeitos para defender reforma da Previdência

Políticos e empresários se reúnem na tentativa de mobilizar parlamentares
quinta-feira, 14 de dezembro de 2017
por Jornal A Voz da Serra
Foto de capa
O prefeito de Cachoeiras, Mauro Soares; o presidente do SindMetal, Claudio Tangari; o deputado Comte Bittencourt; o presidente regional da Firjan, Carlos Eduardo Lima; a subsecretária de Desenvolvimento do estado, Dulce Angela; e o prefeito Renato Bravo (Divulgação)

O presidente do Sistema Firjan, Eduardo Eugenio Gouvêea Vieira, reuniu nesta sexta-feira, 15, prefeitos fluminenses e empresários para defender a reforma da Previdência. Durante o evento, que reuniu mais de 60 prefeitos, o economista-chefe da Firjan, Guilherme Mercês, fez a apresentação "Previdência, ajuste fiscal e crescimento econômico" e mostrou aos representantes municipais os possíveis impactos negativos nas contas públicas da União, estados e municípios caso a reforma não seja aprovada no próximo ano.

O evento marcou os 20 anos do movimento “Reformas Já”, lançado pela Firjan em 1997 e que já defendia mudanças na Previdência. Desde então, a Firjan vem pedindo que o governo federal e o Congresso promovam as reformas estruturais necessárias para o país. 

Em sua apresentação, Mercês afirmou que o déficit  na Seguridade Social chega a R$ 166 bilhões. Ele lembrou que cerca de mil municípios brasileiros estão muito próximos do limite prudencial de gastos públicos e que quase 600 cidades já ultrapassaram esse limite. “No caso do Rio de Janeiro, o orçamento aprovado pela Assembleia Legislativa é voltado para despesas com pessoal. Se houver um colapso nas contas públicas do estado, os municípios são os primeiros a sofrer restrições”, acrescentou.

O prefeito de Nova Friburgo, Renato Bravo, disse que a ação da Firjan é essencial. “Nosso compromisso é fazer com que a reforma seja efetiva para trazer os benefícios, principalmente para os municípios que estão bastantes prejudicados nesse momento de recessão”. 

O deputado federal Julio Lopes (PP-RJ) defendeu a mobilização promovida pela Firjan como forma de pressionar os parlamentares a aprovarem a reforma da Previdência o mais breve possível. “Precisamos do apoio dos prefeitos e dos empresários e essa mobilização pode fazer a diferença”, disse o político.

 

Publicidade
Agora Faz
TAGS: