Selecionada para estudar na Suécia, universitária vai à luta por viagem

Raíssa Moreira, de 20 anos, faz quitutes, vaquinha e almoço para conquistar o sonho de fazer intercâmbio no exterior
quinta-feira, 08 de março de 2018
por Karine Knust (karine@avozdaserra.com.br)
Foto de capa

Ganhar uma bolsa para estudar no exterior é o desejo de muitos jovens brasileiros, mas, nem sempre ter essa chance significa oportunidade garantida. Em Nova Friburgo, uma universitária tem arregaçado as mangas para tornar o sonho real. Raíssa Moreira, de 20 anos, está no 5º período de Biomedicina da UFF. No ano passado, a jovem chegou a ser tema de reportagem de A VOZ DA SERRA por ganhar notoriedade na cidade ao fazer campanha nas redes sociais a fim de arrecadar fundos para participar de um congresso estudantil na Colômbia, para qual foi selecionada.

Este ano, o desafio de Raíssa é ainda maior. Após ter feito sua primeira viagem internacional para participar do intercâmbio de quatro dias no país latino, a jovem universitária agora busca voos mais altos. O destino? Suécia. “Em 2017 eu concorri a bolsas de estudo no mundo todo com mais de 700 outros estudantes através do Edital do Mobilidade UFF Internacional. Cada candidato tinha o direito de escolher duas opções de universidades para concorrer. Fui selecionada para minha primeira escolha, a Uppsala University, a primeira faculdade fundada na Suécia. Fui a única do meu campus a ser escolhida no edital, e a primeira estudante de Biomedicina do campus de Nova Friburgo a participar de um intercâmbio”, conta Raíssa.

A questão, entretanto, é que para garantir a viagem a jovem ainda precisa juntar uma boa quantia em dinheiro. “Fui selecionada para receber a bolsa e não precisarei pagar a universidade em si, o que de fato já é uma grande vitória, mas não fui contemplada com o auxílio financeiro oferecido pelo edital do processo seletivo. Com isso, terei que arcar com despesas de alimentação, alojamento, transporte e documentação”, afirma a estudante acrescentando que “Apenas para comprovar para o Consulado Sueco no Brasil que tenho renda suficiente para permanecer na Suécia legalmente e poder estudar por durante seis meses eu devo ter em minha conta bancária por volta de R$ 20 mil, além de uma reserva para eventuais despesas, gerando uma estimativa de valor de aproximadamente R$ 25 mil”, explica Raíssa.

Colocando a mão na massa

Filha da merendeira Simone da Silva e do servidor público Ricardo Aurélio, Raíssa não tem condições de custear as despesas de uma viagem desse porte. Mas, para ela, esse nunca seria um motivo capaz de fazê-la desistir. “Estudar em Uppsala seria de extremo crescimento profissional, uma vez que a universidade oferece estrutura e ensino de ponta na área biomédica. Além disso, todo conhecimento adquirido poderia ser aplicado em pesquisas importantes na área de saúde que acontecem em minha universidade no Brasil. Não posso perder essa chance”, diz.

Para conseguir realizar esse sonho, desde janeiro a universitária e os pais têm colocado, literalmente, a mão na massa. Raíssa, Simone e Ricardo têm feito doces e salgados para vender (foto). “Eu e meus pais nos juntamos e estamos vendendo lanches. Temos feito hambúrguer e kibe de forno, sanduíche natural e docinhos, como brigadeiro e beijinho”, conta. E a jovem não dispensa mais trabalho. Durante as férias da faculdade, Raíssa aproveitou o tempo livre para se dividir entre a venda de quitutes e o emprego de balconista em um comércio da cidade.

Até agora, já foram arrecadados cerca de R$ 4 mil. Ainda longe de alcançar os mais de R$ 20 mil necessários para a viagem, Raíssa tem investido em outras ideias. “Já fizemos algumas rifas (foto) e tivemos a ideia do almoço beneficente, para tentar arrecadar mais dinheiro. Também acabei criando uma vaquinha online, para facilitar quem quer ajudar mesmo morando longe”, conta.

O almoço para arrecadar fundos para o intercâmbio na Suécia está marcado para este domingo, 11, das 12h às 15h, no Espaço de Convivência da Pessoa Idosa, anexo ao Clube do Xadrez. No prato principal, estrogonofe de frango. Os ingressos, a R$ 12, serão vendidos na hora do evento, mas quem quiser obter mais informações pode ligar para os telefones (22) 9 9806-2722 (Raíssa), (22) 9 9748-6229 (Simone) ou (22) 9 9105-6855 (Nívea). Sobremesas e bebidas serão vendidas à parte.

Para quem quiser colaborar de forma online, basta acessar o site Vakinha e buscar a paǵina do financiamento coletivo “Projeto UFF na Suécia - Me ajude a estudar”(https://www.vakinha.com.br/vaquinha/projeto-uff-na-suecia-me-ajude-a-estudar). Mais informações sobre o projeto na página UFF na Suécia, no Facebook.

A universidade

Referência em educação na Europa, a universidade nórdica possui nove antigos alunos e professores que foram laureados com o Prêmio Nobel, e todos os anos recebe destaque pela sua produção de científica. Os critérios de avaliação para ser aprovado para um intercâmbio em uma universidade desse porte são bastante rigorosos, entre eles: Comprovação de nível intermediário na língua inglesa; pontuação dada a uma carta de interesse onde se deve destacar as principais atividades extracurriculares que o aluno exerceu dentro da faculdade de origem; currículo e coeficiente de rendimento acadêmico.

 

 

LEIA MAIS

Sineida Berbert foi homenageada pela Associação Comercial e Empresarial de Maringá por trajetória inspiradora

Mulheres têm assumido mais cargos importantes, mas sempre em produções de baixo orçamento

Mostras estarão em cartaz no Cadima Shopping e no Planetário de Nova Friburgo até o fim de março

Publicidade
TAGS: mulheres