Seis meses depois, Friburgo tem nova empresa de iluminação

Lâmpadas queimadas de 3 mil postes devem começar a ser trocadas em março. Serviço vai começar em Olaria e Conselheiro
quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018
por Alerrandre Barros
Foto de capa

A empresa que venceu a licitação para a manutenção da iluminação pública em Nova Friburgo deve começar os serviços em meados de março. Das sete que foram convidadas para a tomada de preço, só o representante da Fulltec Engenharia, de Niterói, compareceu à prefeitura na manhã desta quarta-feira, 21, e entregou proposta com os requisitos previstos.

Além dos documentos necessários, a Fulltec apresentou proposta de R$ 1.978.800 milhões, valor 10% abaixo do inicialmente estimado pela Secretaria de Serviços Públicos e que gerou economia de R$ 200 mil aos cofres do município. O contrato terá duração de seis meses de duração e, antes de ser assinado, precisa passar pelo aval da Secretaria de Finanças, a Controladoria e a Procuradoria.

Jander Melo, representante da Fulltec, disse assim que o contrato for firmado, a empresa começa a operar na cidade em 15 dias. Ele comentou que tem uma equipe experiente e vai colocar toda a estrutura da empresa à disposição da prefeitura para que as lâmpadas queimadas nos postes sem iluminação sejam substituídas o mais rápido possível.

“Entendemos que a iluminação precisa de uma ação emergencial e é isto o que pretendemos fazer na cidade. A empresa atua há 20 anos no mercado e temos um corpo técnico formado por profissionais que trabalharam na Light (concessionária de energia elétrica do Rio) e têm experiência em iluminação pública”, declarou.

A substituição das lâmpadas queimadas será feito por ordem de urgência, com prioridade para as regiões de Olaria e Conselheiro Paulino, onde há maior concentração de moradores e de pontos sem iluminação, disse a secretária interina de Serviços Públicos, Patrícia Marques. Friburgo tem aproximadamente três mil postes sem iluminação.

“A Secretaria vem se esforçando, assim como fez no Carnaval, para substituir as lâmpadas em alguns destes pontos. Sabemos que a falta de iluminação vem trazendo muitos transtornos à população, mas, agora, poderemos sanar o problema”, disse Patrícia.

Nova Friburgo está sem empresa de iluminação pública há seis meses. Moradores de todas as regiões vêm reclamando da escuridão. Em agosto do ano passado, o prefeito Renato Bravo suspendeu o pagamento à Compillar, que prestava o serviço, por orientação da Controladoria, depois que Ministério Público Estadual prendeu representantes da empresa por fraudar uma licitação semelhante em São Gonçalo.

A Compillar assumiu o serviço por pouco mais de R$ 2 milhões em abril, em caráter emergencial e por seis meses. A empresa substituiu a Hashimoto Manutenção Elétrica, cujo contrato, também de seis meses, com a prefeitura, terminou em março.

O município vem firmando contratos por pouco tempo com as empresas porque segue suspensa, desde o fim de 2016, por ordem do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ), licitação para contratação de uma empresa para realização do serviço por período maior. Orçada em R$ 9.261.292,54, o edital teve que passar por reajustes. O governo disse que encaminhou a documentação ao tribunal e aguarda o parecer.

 

LEIA MAIS

Full Tec Engenharia foi a única a apresentar proposta. Prefeitura diz que preço ficou 10% abaixo do estimado

Conta de luz deve vir com redução média de 4,32% nos boletos de agosto

Taxa extra de R$ 3 a cada 100 kWh consumidos deixa de ser cobrada. No entanto, tarifa vai aumentar por causa do reajuste anual da Energisa

Publicidade
TAGS: luz