São Pedro da Serra faz protesto por Samu na região

Manifestação em frente à prefeitura ocorre quase um mês após morte de turista carioca que visitava o distrito
quarta-feira, 11 de abril de 2018
por Alerrandre Barros (alerrandre@avozdaserra.com.br)
Foto de capa
O protesto em frente ao Palácio Barão de Nova Friburgo (Fotos: Amasps)

Moradores de São Pedro da Serra fizeram uma manifestação em frente à Prefeitura de Nova Friburgo, no Centro, no fim da tarde terça-feira, 10, pela construção de uma base do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) na região, com UTI móvel completa e equipe que faça atendimentos 24 horas por dia, sete dias por semana.

De acordo com o presidente da Associação de Moradores e Amigos de São Pedro da Serra (Amasps), Assis Martins da Costa Júnior, a ambulância disponibilizada pela Secretaria Municipal de Saúde para o distrito não tem a estrutura necessária para socorro de pacientes graves. “É um Fiorino. Um carro com sirene, onde a pessoa não consegue nem ficar deitada”, afirmou.

O veículo fica estacionado no posto de saúde de São Pedro ou com os motoristas que trabalham em regime de sobreaviso. Em caso de emergência, o motorista é acionado e faz o transporte do paciente para a unidade mais próxima, no caso o Hospital Municipal Raul Sertã, localizado a cerca de 40 quilômetros do distrito. A ambulância não conta com equipe de socorro disponível 24 horas por dia.  

A queixa vem desde 2015, quando uma base do Samu chegou a ser anunciada para a RJ-142 (Estrada Serramar), mas o espaço foi desativado antes mesmo de começar a funcionar.

No dia 17 de março, um turista carioca morreu após passar mal na Praça de São Pedro. Não havia no local ambulância para transporte adequado do paciente. Ele teve que ser levado por moradores, em um carro comum, até o Raul Sertã, mas não resistiu e faleceu no meio do caminho. Onze dias depois, a ambulância do distrito voltou a atender a região após intermediação da Defensoria Pública. O veículo havia sido realocado para transportar pacientes em tratamento no Rio de Janeiro e em Paraíba do Sul.

O protesto de moradores nesta quarta-feira, 11, foi pacífico e não afetou o trânsito na Avenida Alberto Braune. Começou por volta das 16h30. Com cartazes e apitos, além de um carro de som, o grupo fez críticas à gestão da saúde no município. Vereadores e outras entidades participaram da manifestação, que terminou uma hora depois. Cartazes foram deixados na porta da prefeitura. Os moradores não foram recebidos por representantes do governo.

A prefeitura informou que não irá se pronunciar.

 

LEIA MAIS

Objetivo é conscientizar pais e responsáveis para aproveitarem o recesso escolar e se prevenir contra esta e outras doenças

Órgão recomenda compra de incubadoras e implantação de leitos obstétricos na maternidade, além de transporte adequado para recém-nascidos de alto risco

Falta de medicamentos, exames, consultas e cirurgias motivam a maior parte dos processos, 80% deles contra a rede pública

Publicidade
TAGS: saúde | Protesto