Saiba como fazer compostagem, a reciclagem da natureza

Técnica transforma resíduos orgânicos de casa em adubo para a sua horta, gerando saúde e economia
sábado, 07 de outubro de 2017
por Renata de Rivera

Recentemente, o projeto de impacto social Meu Bairro Sustentável (meubairrosustentavel@outlook.com) integrou a compostagem na sua linha de atuação através de parcerias que culminam em ações conjuntas entre os ambientalistas Guilherme Campos (Organokits) e Ramon Porto (Compostonautas), através de palestras e oficinas em empresas, associações e escolas.

Organokits e Compostonautas incentivam juntos a compostagem e a agricultura urbana, promovem o reaproveitamento de baldes plásticos industriais muito utilizados no ramo alimentício, além de outras técnicas adequadas para aproveitamento produtivo de pequenos espaços. 

Foi de fato marcante a participação dos representantes dessas duas iniciativas, juntamente com o projeto Meu Bairro Sustentável, no último Festival da Sustentabilidade. Entraram na programação oficial do evento com oficinas diárias, ofertaram kits de compostagem com minhocas e teve até o sorteio de um kit completo no último dia do evento.

Interessados no empreendedorismo social e responsável, Ramonzito e Guilherme reconhecem a composteira como uma tecnologia social e por isso nunca se negam a ensinar como fazer uma. Apesar disso, são procurados por pessoas que desejam adquirir os kits prontos e decorados.

Entre as opções de decoração estão, para os mais ecológicos, a pintura utilizando tintas à base de água e/ou revestimento com lona reaproveitada de banners. Para os já contentes com a própria função ecológica da composteira, porém preocupados com a composição estética do equipamento, eles também oferecem revestimento em vinil com estampas variadas ou customizadas.

Para aprender um pouco mais sobre a compostagem, o conceito e a prática, vamos conversar com o Guilherme e com o Ramon para conhecer melhor sobre essa maravilhosa reciclagem da natureza.

ORGANOKITS

Guilherme, o que é compostagem?

É o processo de transformação da matéria orgânica em adubo (composto orgânico) através da relação nitrogênio-carbono-oxigênio. É considerada uma espécie de reciclagem do lixo orgânico, pois o adubo gerado pode ser usado na agricultura industrial, hortas domésticas, jardins etc.

Quais os benefícios da compostagem?

Em primeiro lugar, redirecionar a matéria orgânica produzida: do aterro sanitário para o canteiro ou vaso de plantas. Em segundo, evitar a contaminação dos recicláveis, que, limpos, têm sua capacidade de reciclagem potencializada. Outro fator é a dignidade do trabalhador que fará a coleta e a separação.

Como fazer a compostagem doméstica?

Através da composteira com o uso de minhocas, nossas heroínas. A Eisenia fétida, ou minhoca californiana, acelera o processo da compostagem, transformando rapidamente a matéria orgânica em húmus.

Como funciona a composteira?

É muito simples. Pode ser feita artesanalmente, adquirida no mercado ou em iniciativas como a Organokits, em Friburgo. Consiste em três estágios, e podem ser feitas com baldes ou caixas. O uso de baldes plásticos é a forma mais econômica, fácil de arranjar em padarias. A composteira necessita de três baldes, um para cada estágio. Os dois primeiros servem como depositários da matéria orgânica e o terceiro, para coleta de chorume (o líquido residual). Neste último será necessária a instalação de uma torneirinha para facilitar a coleta do chorume, usado também como fertilizante. Em 40 dias obtém-se, a partir da matéria orgânica (que possivelmente seria descartada para um aterro sanitário, poluindo o meio ambiente), um excelente composto orgânico (adubo) para a nutrição de plantas, seja de uma horta ou ornamentais. Além, é claro, de transformar três baldes plásticos em eficientes colaboradores da natureza.

Por que a compostagem é sustentável?

Porque forma-se um ciclo permanente de transformação dos restos de alimentos em nutrientes para o cultivo de novos alimentos, diminuindo o desperdício, potencializando a produção, mitigando o uso de fertilizantes químicos e, como consequência, levando produtos mais saudáveis à nossa mesa.

OS COMPOSTONAUTAS

Um grupo de entusiastas da compostagem da internet vem compartilhando experiências nas redes sociais acompanhadas da hashtag #compostonautas. Na metáfora proposta pelo técnico ambiental e idealizador do projeto, Ramon Porto, a cabeça do compostonauta costuma estar na nuvem (cloud computing), os dedos no mouse ou na tela e seus pés, na terra (de preferência cheia de minhocas).

Ramonzito, como você iniciou esse projeto?

O projeto começou reunindo num grupo do WhatsApp praticantes da compostagem entre meu círculo de amigos a partir da doação de seis composteiras no fim do ano passado, durante a edição de natal do Mercado Central. Na ocasião, o requisito para receber a composteira era o compromisso de publicar na rede o equipamento funcionando, com a hashtag #compostonautas. A partir dali o projeto agregou outros interessados em começar a compostar seus resíduos em casa e também a atrair parceiros motivados a apoiar e dar nova dimensão à iniciativa. Instituto Pindorama, Trilhas do Araçari, Meu Bairro Sustentável, Chácara da Harmonia, Mercado Central, o Minhocário Cardinot, Agenda 21 de Nova Friburgo, Elas Ecomodas e Organokits são nossos principais parceiros. 

Quais resíduos podem ser colocados na composteira, quais devem ser evitados e quais não devem ser colocados de jeito nenhum?

Você pode colocar na composteira cascas e restos de frutas e ovos, legumes e verduras, borra e filtro de café, lembrando que toda vez que você colocar na composteira o resíduo orgânico (nitrogênio), você deve colocar uma mesma quantidade de carbono (serragem ou podas de grama, por exemplo), para ativar o processo correto de decomposição e, assim, também controlar a umidade e evitar mau cheiro. Deve-se evitar colocar na composteira cítricos (casca de laranja, por exemplo), alimentos cozidos e saladas temperadas. E nunca colocar na composteira carnes e alimentos gordurosos, que podem ser convertidos em alimentos para animais.

Então, nem todos os resíduos da cozinha podem ser compostados?

Sim e não. Quando falamos de compostagem acelerada com as minhocas, devemos lembrar dessas restrições básicas. Basicamente porque as minhocas são sensíveis ao ambiente ácido decorrente da compostagem desses alimentos “proibidos”. A regra maior é que todo alimento que se decompõe pode ser compostado. O que vai variar é o processo adequado para os vários grupos de alimentos. Para se ter uma ideia, da maneira adequada, pode-se compostar inclusive a borra de óleos e gorduras residuais.

Por que usar minhocas na compostagem?

A compostagem com as minhocas é popular por ser realmente efetiva em acelerar o processo e entregar um composto que é em geral de ótima qualidade (o famoso húmus). Ela se adapta muito bem ao sistema fechado das composteiras mais comuns e é, portanto, campeã em popularidade quando falamos de compostagem doméstica. No entanto, a compostagem pode ocorrer de forma natural sem a adição dos agentes aceleradores, obviamente levando mais tempo.  Mas existem outros agentes aceleradores, como os mix de enzimas e bactérias  disponíveis no mercado e, minhas preferidas, as larvas da mosca soldado negra (Hermetia illucens). A grande vantagem desses dois últimos é a decomposição daqueles alimentos proibidos para as minhocas. Então, a escolha do agente acelerador varia também de acordo com a gama de resíduos que a pessoa pretende colocar na composteira.

O que fazer com o chorume?

Pode ser utilizado como um excelente biofertilizante, diluído na proporção 1/10 de água e borrifado nas plantas ou jogado diretamente na raiz.

E se a composteira der mau cheiro?

Mau cheiro é sinal de que algo está errado. Você deve então corrigir o processo com um pouco mais de carbono (serragem e podas de grama) ou se certificando de não adicionar alimentos inadequados ao seu tipo de composteira.

 

LEIA MAIS

Evento gratuito, que acontece na próxima segunda-feira em Friburgo, já está com inscrições abertas

Ação civil pública ainda não teve mérito julgado, mas escritório pode fechar as portas já em dezembro

Friburguense planeja finalizar sozinho, ainda neste sábado, coleta de todas as garrafas de vidro deixadas no local

Publicidade
Agora Faz