RJ-150: moradores fazem mutirão para capina de estrada sem manutenção

Além de placas encobertas pela vegetação, via sofre com buracos e falta de sinalização em diversos trechos
sexta-feira, 10 de março de 2017
por Dayane Emrich
Foto de capa
Placa que alerta para o risco de acidentes na área encoberta pela vegetação (Foto: Henrique Pinheiro)

Neste domingo, 12, a partir das 7h, os moradores do distrito de Amparo realizarão um mutirão para a limpeza e capina de diversos trechos da rodovia RJ-150. A iniciativa foi tomada durante uma reunião realizada na última semana entre moradores integrantes do movimento comunitário Coletivo Vozes do Tiradentes e representantes da Associação de Moradores de Amparo (Assamam).

O trabalho voluntário tem como objetivo solucionar parte dos problemas enfrentados pelos motoristas da via, já que diversos pontos da estrada — que liga Nova Friburgo a São José do Ribeirão, distrito de Bom Jardim — foram tomados pela vegetação.

De acordo com o presidente da Assamam, Guido Moraes, os voluntários vão roçar os pontos mais críticos, como curvas, por exemplo, onde a visibilidade dos motoristas fica comprometida pelo mato. “O mutirão é uma medida preventiva e comunitária que terá como objetivo evitar possíveis acidentes automobilísticos, atropelamentos e, desta forma, preservar vidas”, disse ele.

Na manhã desta sexta-feira, 10, A VOZ DA SERRA foi ao local e registrou diversos problemas. O que mais chama a atenção refere-se a sinalização. Enquanto em alguns trechos a estrada não possui placas informando sobre curvas, velocidade e a altura do quilômetro, em outros, onde há sinalização, as placas estão completamente encobertas. “Atenção: Trecho com alto índice de acidentes”, diz uma delas, que só pode ser vista pela nossa equipe a menos de um metro de distância. Há trechos, inclusive, em que o mato já invade a pista.

“É um absurdo, um perigo. Só dá para ver a placa quando o carro já está em cima. Eu sempre passo por aqui e já conheço. Mas, para quem não tem o costume de dirigir por aqui pode ser perigoso, especialmente em dias de chuva ou neblina”, disse o motorista Arnaldo Costa de Moura, de 45 anos, acrescentando que a estrada possui diversas curvas acentuadas e sem sinalização.

Todos os dias o vendedor Renato Teixeira sai de Amparo, onde mora, para trabalhar no Centro. “A estrada está muito precária, o problema com a vegetação é neste trecho final, enquanto que, próximo já ao acesso à Avenida Rui Barbosa, o asfalto está em péssimas condições, todo esburacado”, detalha.

Renato é mais um que reclama também da falta de capina às margens da via. “Tem muito mato invadindo a pista. Por ser uma estrada estreita, a vegetação que está muito próximo das laterais torna a estrada mais estreita, porque os motoristas aproximam os carros do centro da via para evitar que sejam arranhados pela vegetação e isso pode causar acidentes”, conta.

Se para os motoristas circular pela via é sinônimo de perigo, para os pedestres o risco também é grande. A empregada doméstica Marly Vellozo mora na Chácara do Paraíso e trabalha em uma casa no bairro Vila Nova. Para economizar o dinheiro da passagem ela realiza o percurso a pé, todos os dias, e está ciente dos perigos. “Tenho muito medo de caminhar por essa estrada. Os ônibus e carros passam correndo e sempre tenho que me jogar no mato para não levar um esbarrão ou ser atropelada. Outro dia, meu sobrinho foi atingido no braço pelo espelho retrovisor de um carro que passou correndo”, relata a mulher, lembrando que não há calçadas e/ ou acostamento em diversos trechos da RJ-150.

Ironia do destino

Não há nada tão ruim que não possa piorar. Se o asfalto esburacado é um problema da RJ-150, a falta de pavimento no trecho que liga a localidade do Loteamento Barroso, em Amparo, a São José do Ribeirão é também alvo de críticas dos motoristas. Neste percurso a situação é tão delicada que em dias de chuva é impossível transitar pela estrada.

É o que conta o empresário Paulo Oliveira. “Moro em Bom Jardim, mas estou sempre viajando para a Região dos Lagos. Às vezes opto por passar por essa estrada mas, infelizmente, em dias de chuva é impossível, pois a situação que já é ruim, fica ainda pior”, disse ele, lembrando que o ex-prefeito de Bom Jardim, Paulo Barros, asfaltou o trecho entre São José e o limite com Nova Friburgo por iniciativa do próprio Município, embora a responsabilidade pelo serviço deveria ter sido do Departamento de Estradas de Rodagem (DER - RJ). O trecho restante, em território friburguense, permanece sem pavimentação.

Vale destacar ainda que na RJ-150 situam-se no trecho entre o Barroso e São José diversas pedreiras que produzem paralelepípedos para o calçamento de tantas outras vias. Ainda por ironia do destino, e na própria RJ-150 que encontra-se também a Usina de Asfalto de Nova Friburgo.   

A equipe de reportagem de A VOZ DA SERRA entrou em contato com o DER, responsável pela via, para saber se há previsão, dentro do cronograma do órgão, para realização de reparos na estrada, mas até o fechamento desta edição não obteve resposta.

Publicidade
Agora Faz
TAGS: