Rio Rural adota inovações para o planejamento de ações em microbacias

Apoio de instituições parceiras garante escolha de práticas sustentáveis nas comunidades rurais
quarta-feira, 09 de outubro de 2013
por Jornal A Voz da Serra
Rio Rural adota inovações para o planejamento de ações em microbacias
Rio Rural adota inovações para o planejamento de ações em microbacias

Em Nova Friburgo, o programa Rio Rural, da Secretaria Estadual de Agricultura e Pecuária, adotou um modelo diferenciado para o planejamento das propriedades rurais das quatro microbacias trabalhadas no município. Os planos individuais de desenvolvimento (PID), que descrevem as práticas sustentáveis a serem adotadas pelos agricultores, estão sendo elaborados com base na avaliação de indicadores de sustentabilidade, que analisam a qualidade do solo e a sanidade dos cultivos. 

Trata-se de um planejamento baseado em metodologia proposta pela Embrapa Hortaliças e Embrapa Cerrados, sugerido como ferramenta pelo Núcleo de Pesquisa e Treinamento de Agricultores da Embrapa Agrobiologia, sediado em Nova Friburgo. A atividade consiste no detalhamento das propriedades rurais, onde se verificam, na prática, 11 características do solo, levando em consideração, por exemplo, fatores como profundidade, compactação, erosão, entre outros. Para apurar essas informações, há a participação efetiva do agricultor no diagnóstico, justamente para facilitar o entendimento dos problemas observados e das propostas de solução.

Outra inovação do PID é a participação direta de técnicos agrícolas egressos do Ibelga (Instituto Bélgica–Nova Friburgo), que residem nas microbacias trabalhadas (São Lourenço, Salinas/Santa Cruz, São Pedro da Serra e Barracão dos Mendes) e que foram escolhidos pela própria comunidade. Durante visita ao produtor rural, é feita a coleta de dados pelos técnicos. Posteriormente, é feito um croqui da propriedade e a digitação das informações. Ao final do processo, o PID é encaminhado para o Cogem (Comitê Gestor da Microbacias) para aprovação e coleta de assinaturas dos representantes locais. 

Na microbacia São Pedro da Serra, as técnicas agrícolas Elaine Macário e Érika Freza estão visitando todos os agricultores que participaram do sorteio de projetos, etapa de implementação do Rio Rural que determina a ordem de atendimento e incentivo às boas práticas. Na localidade Bocaina dos Blaudts, um dos contemplados foi o produtor Geraldo Vantoir Neves, que produz, mensalmente, cerca de 5 mil kg de bananas, consorciado com o cultivo de palmeira real australiana. Ao término da visita, concluiu-se a necessidade de implantação de um sistema saneamento individual com fossa séptica, correção e adubação racional do solo, além da aquisição de fertilizantes orgânicos e da proteção de nascente.

Segundo o assessor técnico regional do Rio Rural, Gerson Yunes, esse método de planejamento é de fácil aplicação, possui baixo custo e sensibiliza o beneficiário para a adoção consciente de práticas agroecológicas. "Como Friburgo é o único município da região com quatro microbacias trabalhadas simultaneamente, a participação dos técnicos agrícolas contribui para a agilidade dos trabalhos”, analisou o engenheiro agrônomo. 

No caso da agricultura orgânica, o modelo utilizado na construção do PID é mais completo, com 60 indicadores, e foi desenvolvido pela Rede de Pesquisa, Inovação, Tecnologia e Serviços Sustentáveis em Microbacias Hidrográficas da Região Serrana, fórum que reúne instituições públicas de ensino, pesquisa e extensão rural e associações de produtores.

Planejamento para a cadeia de orgânicos

No Noroeste Fluminense, uma parceria entre a Secretaria Estadual de Agricultura e Pecuária e o Sebrae-RJ vai ampliar o atendimento aos produtores orgânicos e agroecológicos para gestão da propriedade e acesso às tecnologias sustentáveis. Técnicos do projeto Pais (Produção Agroecológica Integrada e Sustentável) somarão forças com os técnicos da Emater-Rio que executam o Rio Rural para suprir a crescente demanda de assistência na agroecologia. Aproximadamente 220 agricultores familiares do Noroeste receberão suporte para o desenvolvimento da cadeia produtiva de alimentos orgânicos e agroecológicos.

Os consultores do Sebrae-RJ foram capacitados para a adoção da metodologia do Rio Rural, utilizando o PID como base para o planejamento da propriedade. José Sávio Murici Vieira é um dos 13 técnicos que passarão a elaborar os PIDs junto aos produtores. Ele participou do treinamento e acredita que este é um meio eficaz de planejar a propriedade. "Independentemente do subprojeto que o produtor venha a receber, o PID em si já é um ganho para o produtor rural. A agroecologia trabalha a propriedade como um todo e o PID agrega conhecimentos específicos de cada propriedade, facilitando o trabalho do técnico”, disse o consultor do Sebrae-RJ, especialista em agroecologia.

LEIA MAIS

Grupo de Salinas é exemplo da força da mulher no campo

Produtores rurais de todo o estado estão sendo incentivados a preservar as fontes de água em suas propriedades. Rio Rural já investiu R$ 190 mil

Iniciativa será dedicada às práticas socioeducacionais para jovens carentes, além de receber voluntários do mundo todo para a aprendizagem de métodos sustentáveis e trocas de conhecimentos

Publicidade