Rio Bengalas: casas interditadas em Duas Pedras serão demolidas

Secretário estadual do Meio Ambiente visitou canteiro de obras esta semana
quarta-feira, 19 de abril de 2017
por Karine Knust

Mais 20 casas às margens do Rio Bengalas devem ser demolidas a partir da próxima semana. A informação foi divulgada pelo deputado e secretário estadual de Meio Ambiente, André Corrêa, em visita a Nova Friburgo. O parlamentar esteve na cidade na tarde da última terça-feira, 18, para acompanhar o andamento das obras na localidade. 

De acordo com o secretário, as negociações para a desapropriação das residências localizadas na próxima área a receber obras já começou. Até o momento, três famílias receberam unidades habitacionais e as demais serão indenizadas em breve. Ainda segundo André, após a retirada das casas, o trecho receberá calçadas com grama.

“Vamos trabalhar juntos, envolvendo a sociedade para fazer um projeto de arborização bem bacana. Essa é a única obra que hoje anda no estado. Tenho muito orgulho da gente não ter deixado essa obra parar. Vamos continuar trabalhando em Friburgo junto com a Câmara e com a prefeitura para entregar essa obra. Ela está muito perto de chegar ao final”, afirmou André Corrêa, em vídeo publicado na rede social. 

Em nota, a Secretaria Estadual do Ambiente informou que, atualmente, já foram executadas 92% das obras e que agora executa a canalização de trecho de mais de três quilômetros do Rio Bengalas e enrocamento com grama de 540 metros no Córrego Dantas. A previsão, ainda segundo o governo, é que a obra do rio seja entregue ainda em junho deste ano. 

Além do secretário André Corrêa, também estiveram presentes na visitação o prefeito Renato Bravo, o ex-prefeito Rogério Cabral e representantes do legislativo municipal. Durante a visita, ainda foram apresentadas propostas para revitalização do local. Dentre elas, a construção de uma academia ao ar livre próximo a curva do J.J., em frente ao posto de combustíveis Raça, já em Duas Pedras, de autoria da vereadora Vanderleia Pereira Lima. 

“Farei o possível para realizar a construção da academia ao ar livre, sabemos a situação do Estado hoje, mas sei da importância deste espaço para quem passa por aqui e além disso, pretendemos fazer a ciclofaixa e contamos com a Prefeitura para nos auxiliar nisso”, afirmou André na ocasião. Pensando nos 200 anos da cidade, o Rotary Club de Nova Friburgo também se comprometeu com o projeto e irá doar mudas para serem plantadas na área verde às margens do rio.  

Entenda o caso

Estimadas em R$ 195 milhões, as obras de canalização do Rio Bengalas começaram em março de 2013, pouco mais de dois anos após a tragédia. Se o cronograma inicial tivesse sido seguido, a conclusão das intervenções — de responsabilidade da EIT Engenharia e a Ferreira Guedes, empresas que integram o consórcio Rio Bengalas — teria acontecido em abril do ano passado. O atraso ocorreu, no entanto, de acordo com o Inea, devido à demora no pagamento das indenizações pelo governo do estado às famílias que vivem às margens do rio e precisaram deixar suas casas.

Dentre as obras realizadas está o aumento da calha do rio, dragagem e desassoreamento para ampliar o escoamento das águas e acabar com as históricas inundações no principal eixo rodoviário de Nova Friburgo. O consórcio ainda construiu grandes muros de concreto para garantir a estabilidade das margens do rio e calçadas adaptadas para portadores de necessidades especiais, além de instalar grades de proteção e gramado em alguns trechos.

Até o último balanço divulgado pelo Inea, desde o início das obras, 463 imóveis foram indenizados a um custo de R$ 31.915 milhões em Nova Friburgo. Destas casas, 111 estão localizadas às margens do Rio Bengalas, no distrito de Conselheiro Paulino, e 352 no bairro Córrego Dantas

LEIA MAIS

Intervenção contou com a presença do secretário estadual de Meio Ambiente e representantes políticos de Nova Friburgo

Propostas emergenciais são necessárias para impedir que o estado pare enquanto ajuda federal não é aprovada no Congresso

Dinheiro deveria ter sido depositado em março. Não há prazo para o pagamento do próximo vencimento

Foto da galeria
Durante o encontro com autoridades, foi anunciado que após demolições trecho receberá calçadas com gramado
Publicidade
Agora Faz
URL da notícia: