Resposta rápida

sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018
por Jornal A Voz da Serra

UM DOS PRINCIPAIS problemas – senão o maior - enfrentados pela Prefeitura de Nova Friburgo é gerir a saúde pública. Com uma infraestrutura deficiente e um quadro insuficiente de funcionários, o setor é o mais criticado pela população e que precisa, portanto, de uma resposta mais rápida e eficaz.

UM DOS bairros mais afetados com a falta de atendimento é o populoso Olaria, que, juntamente com outras localidades próximas, até hoje vive o drama do atendimento ineficiente, deixando a população daquela região de 70 mil habitantes dependente do Hospital Raul Sertã, no Centro, e da UPA, em Conselheiro Paulino, para socorro médico. Ambas as unidades, distantes de suas residências.

É SABIDO POR todos os friburguenses as dificuldades enfrentadas pela saúde pública do município, numa eterna luta em busca de verbas para suprir as necessidades da rede de atendimento à população. Nesta luta quase inglória, os anos vão se sucedendo sem que os administradores consigam minimizar estes problemas, embora reconheça-se o valor e as intenções dos titulares da Secretaria Municipal de Saúde.

A CENTRALIZAÇÃO do atendimento da população do centro da cidade no Hospital Raul Sertã tem provocado uma série de inconvenientes, diferentemente de Conselheiro Paulino, que conta com uma UPA. O hospital está permanentemente cheio, com dificuldades na marcação de consultas, aliada à ausência de mobilidade urbana para a locomoção capaz de agilizar a vinda de pacientes às suas instalações.

O CRESCIMENTO populacional da cidade obriga o governo a tomar providências no sentido de alocar serviços junto aos bairros evitando assim a saturação do hospital, permitindo aos moradores um acesso mais rápido e facilitado próximo às suas residências. Mas isto não está acontecendo, infelizmente.

A POPULAÇÃO quer mais facilidades e o bairro de Olaria carece de serviços públicos que respondam a estas necessidades. A instalação de uma unidade de saúde abrangente seria bem vinda para todos os moradores. Ao invés de concentrar os serviços no Raul Sertã, melhor seria adotar uma política descentralizadora, atendendo, assim a comunidade com mais qualidade e conforto. Cabe ao governo dar uma resposta convincente a esta crítica situação.

Publicidade
TAGS: