Região Serrana registra a 1ª morte por febre amarela em 2018

Paciente morava em Teresópolis. Caso foi confirmado por exames laboratoriais
sábado, 13 de janeiro de 2018
por Jornal A Voz da Serra
Foto de capa

 A Secretaria estadual de Saúde anunciou nesta sexta-feira, 12, a primeira morte por febre amarela na Região Serrana este ano. O paciente era um homem de 47 anos, morador da localidade de Canoas, no município vizinho de Teresópolis e foi diagnosticado com a doença após exames laboratoriais realizados pela Fundação Oswaldo Cruz. O caso foi confirmado pela entidade na última quinta-feira, 11.

Além desta vítima, outra pessoa, morador de Valença, no sul do estado, também teve a contaminação da febre amarela confirmada na quinta-feira. Neste caso, entretanto, até o início da tarde de sexta-feira, 12, o paciente seguia internado em uma unidade de saúde do município.

Segundo a Secretaria estadual de Saúde, a cobertura vacinal, tanto em Teresópolis quanto em Valença, é superior a 80%. “A Secretaria já disponibilizou doses suficientes para vacinar 100% da população das duas cidades fluminenses e recomendou às prefeituras que intensifiquem a vacinação, especialmente nas áreas de mata”, informa a nota.

As medidas de prevenção à febre amarela começaram em 2017, quando diversas macacos foram atingidos por um surto da doença no país. A secretaria iniciou a criação de cinturões de bloqueio, recomendando a vacinação contra a febre amarela principalmente em municípios limítrofes aos estados Espírito Santo e Minas Gerais (áreas de risco para a doença). Desde julho do ano passado, todos os 92 municípios do estado do Rio já estão incluídos na área de recomendação da vacina e a campanha de vacinação permanece.

Ainda segundo o governo do estado, os casos registrados até agora são do tipo silvestre, transmitidos pelas espécies de mosquito Haemagogus e Sabeths, presentes em áreas de mata. Não há registro no país da forma urbana da doença, transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, desde 1942. A Secretaria estadual de Saúde reforça a importância das pessoas que ainda não se vacinaram buscarem um posto de saúde próximo de suas residências para serem imunizadas. Para mais informações sobre a doença acesse www.febreamarelarj.com.br.

Vigilância redobrada

Também nesta sexta-feira, 12, a Secretaria estadual de Saúde divulgou nota recomendando às prefeituras de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, Tanguá, na Região Metropolitana do Rio, e Miguel Pereira, no Centro-Sul fluminense, ampliarem a vigilância sanitária e intensificarem a vacinação contra a febre amarela. Nessas três cidades, foram registrados casos de macacos mortos com resultado positivo para a febre amarela. Além dos três municípios, a vacinação também será reforçada em Queimados, Japeri e Xerém, que são áreas de fronteira com a Reserva do Tinguá.

 

LEIA MAIS

Prefeitura intensifica vacinação em áreas rurais do município como ação de bloqueio da doença

Secretaria municipal de Saúde aguarda resultado de exames laboratoriais na Fiocruz

Unidade do Suspiro tem fila de 400 pessoas e mais de duas horas de espera na manhã desta quarta

Publicidade
Agora Faz
TAGS: saúde