Projeto de lei que veda terceirização na Saúde chega à Câmara esta semana

Mudança na Lei Orgânica acontece após acordo com o Ministério Público do Trabalho
terça-feira, 21 de novembro de 2017
por Alerrandre Barros
Foto de capa

O prefeito de Nova Friburgo, Renato Bravo, tem até esta semana para enviar à Câmara Municipal a proposta que altera a Lei Orgânica do município para proibir, de forma ampla, a terceirização de serviços de saúde na cidade. Nesta quinta-feira, 23, a prefeitura vai apresentar a comprovação de envio do projeto de lei ao Ministério Público do Trabalho (MPT).

Essa mudança consta do acordo firmado entre o governo e o órgão, em julho, quando foi definido ainda que a prefeitura vai assumir a gestão da Unidade de Pronto Atendimento (UPA), no distrito de Conselheiro Paulino, a partir de 3 de fevereiro de 2018. O contrato com a organização social Instituto Unir Saúde, que administra a unidade desde 2013, vai ser encerrado.

O texto deveria ter sido encaminhado à Câmara até outubro, mas o prazo foi ampliado pelo MPT, durante audiências realizadas com o governo para definir a melhor redação para o projeto de lei, de forma a atender ao estipulado no acordo. O descumprimento desse item prevê multa de R$ 50 mil para o governo.

O acordo estabelece vários prazos para encerrar a gestão terceirizada da UPA. Entre eles, do dia 3 de fevereiro até 4 de julho de 2018, funcionários temporários, contratados através de processo seletivo simplificado, irão atender os pacientes na unidade 24 horas. Nesse meio tempo, o governo vai ter que realizar concurso público para substituir os temporários. A nomeação dos novos servidores terá que ser feita até 5 de julho de 2018. O pedido para realização do certame já estava tramitando na Câmara desde o ano passado.

Termina este mês o prazo para o município apresentar ao MPT projetos de compensação social que atendam à população de Nova Friburgo, como forma de pagar a multa de quase R$ 24.455.211,78 milhões por ter descumprido o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), assinado em 2014, com o MPT que estabelece o fim da gestão terceirizada na UPA. O primeiro projeto deve ser a contratação e capacitação de jovens carentes ou infratores.

Mais recursos

Como A VOZ DA SERRA noticiou esta semana, a UPA de Conselheiro vai receber R$ 2 milhões em emendas da bancada de deputados federais do Rio de Janeiro no Congresso. O anúncio foi feito na última quarta-feira, 14, pelo governador Luiz Fernando Pezão. Ao todo, serão destinados R$ 55 milhões para as unidades de saúde do estado. O Hospital Geral de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, vai receber a maior parte do montante - R$ 15 milhões.

O financiamento da unidade 24 horas de Nova Friburgo é tripartite, mas há pelo menos dois anos, a Prefeitura de Nova Friburgo paga a parte do governo estadual para manter o funcionamento da UPA, por conta da crise no estado, que deve regularizar os salários atrasados de servidores este mês. Todo mês, são gastos aproximadamente R$ 1,4 milhão com a UPA: R$ 500 mil pago pela União, R$ 498 mil pelo município e R$ 400 mil, que deveriam ser pagos pelo estado.

 

LEIA MAIS

Além do diagnóstico preciso, equipamento oferece rapidez, conforto e mais segurança aos pacientes

Foram realizadas gratuitamente 231 consultas, com 36 procedimentos cirúrgicos, sábado no posto do Suspiro

Mutirão de dermatologistas do movimento Dezembro Laranja dará consultas gratuitas no posto do Suspiro

Publicidade
Agora Faz
TAGS: saúde