Presidente da Associação Fribourg-Nova Friburgo feliz de retornar

Raphaël Fessler integra comitiva de 162 conterrâneos que estará na cidade por esses dias
quinta-feira, 10 de maio de 2018
por Ana Borges (ana.borges@avozdaserra.com.br)
Foto de capa
Raphaël Fessler em visita à VOZ DA SERRA (Foto: Henrique Pinheiro)

Em visita ao jornal, o presidente da Associação Fribourg-Nova Friburgo (AFNF), Raphaël Fessler, falou da expectativa da chegada dos suíços neste domingo, 13,  e de sua satisfação em retornar à cidade. Ao longo da gestão de um dos fundadores da entidade, Martin Nicoulin, que durou 28 anos, e desde que assumiu a presidência há 12 anos, Fessler visita Friburgo frequentemente. Desta vez, ao integrar a comitiva de 162 conterrâneos, sente-se gratificado de participar de um evento histórico como a celebração dos 200 anos de Nova Friburgo.   

A AFNF foi fundada pelo historiador Martin Nicoulin, em parceria com o engenheiro friburguense Ariosto Bento de Mello, o banqueiro René-Louis Rossier e o padre Pierre Kaelin, que dá nome ao teatro da Casa Suíça. Fundada em 1978, a AFNF é dirigida por um comitê e tem como objetivos manter e reforçar as relações de amizade entre os dois povos, estabelecida a partir do 1° encontro suíço-brasileiro, em 17 a 20 de novembro de 1977, em Nova Friburgo, e promover as relações humanas, a ajuda mútua e a cooperação na área cultural.

Segundo informou Fessler, a presente comitiva é formada por autoridades como o “primeiro cidadão do país, o presidente da Conselho Nacional, Dominique de Buman, o presidente da Câmara Municipal de Fribourg, Markus Ith”, além de ministros de Estado, prefeitos, conselheiros e figuras proeminentes de vários cantões, além de Fribourg, também de Jura, Chatel-St-Denis, Pont-la Ville e Estavayer-le-lac. Estão confirmadas as presenças de autoridades federais, cantonais e comunais, que correspondem às nossas autoridades das mesmas esferas. Três grupos de jovens artistas vão desfilar com números musicais tradicionais formados por fanfarras, sinos, acordeons.

Um dos intercâmbios na área artística-cultural está acontecendo no Jardim do Nêgo, que hospeda o escultor suíço Eric Sansonnens. Em contrapartida, Nêgo irá à Suíça para criar uma obra em Fribourg. Aqui, o suíço está trabalhando na escultura em madeira, a ser inaugurada na segunda-feira, 14. Na Galeria Usina Cultural, tem a vernissage da exposição Nova Vida, do fotógrafo Thomas Brasey, na próxima terça-feira, 15, às 19h. Para Raphaël Fessler, essa festa que junta suíços e friburguenses vai promover um momento único de congraçamento, no qual serão vividos momentos de emoção, de ambas as partes. “Penso que um dos legados dessa festa serão os encontros e a troca de histórias dos dois povos irmãos”, encerrou. 

 

 

LEIA MAIS

No contexto dos “bicentenários” de Nova Friburgo, um tema que ainda promete atravessar o tempo

Prefeito e comitiva participaram da inauguração; cidade portuária de onde suíços partiram teve festa com queima de fogos

Em entrevista exclusiva, ele fala de intercâmbios, projetos e parcerias na agenda de sua viagem oficial

Publicidade
TAGS: 200 anos