Prefeitura diz que Faol vai trazer 30 novos ônibus para Friburgo

Quinze devem ser entregues em 45 dias e o restante, em 60 dias
segunda-feira, 05 de junho de 2017
por Alerrandre Barros
Foto de capa
Um ônibus da Faol circula pela cidade (Foto: Arquivo AVS)

Depois de uma reunião com a nova diretoria da Friburgo Auto Ônibus Ltda (Faol), o prefeito Renato Bravo disse que a empresa assumiu o compromisso de comprar 30 novos ônibus para a cidade. Quinze devem ser entregues em 45 dias e o restante, em 60 dias. Os coletivos virão com sistema de climatização (aquecedor para o inverno e ar-condicionado para o verão).

A reunião de Bravo com a direção da Faol foi a segunda realizada para negociar o retorno para o munícipio de dez ônibus com ar-condicionado que foram retirados da frota no último fim de semana. Como A VOZ DA SERRA noticiou, os coletivos teriam sido levados para uma garagem no Rio de Janeiro, onde o novo consórcio que administra a companhia também atua.

No sábado, 27 de maio, Renato divulgou nota em que considerou a medida da nova gestão “descabida”, porque contraria o contrato de concessão. O prefeito determinou que os ônibus voltassem para a cidade em 24 horas, a partir da notificação da empresa. Mas a Faol não cumpriu a decisão do chefe do executivo. A concessionária foi procurada pelo jornal, mas não comentou o assunto.

"Trata-se de uma grave violação contratual, que de modo nenhum terá o aval da gestão municipal. Os ônibus só sairão daqui mediante a chegada dos novos, em condições superiores aos existentes", disse Bravo na ocasião.

Os dez ônibus seminovos estavam em Friburgo desde março, quando a tarifa foi reajustada de R$ 3,70 para R$ 3,95. Segundo a prefeitura, os coletivos foram adquiridos numa contrapartida da empresa ao aumento da passagem. Eles seriam trocados, em breve, por outros 15 ônibus novos e também com ar-condicionado, conforme previa o contrato de concessão.

Em maio do ano passado, a Faol, ainda sob comando do grupo Real, foram adquiridos dez novos ônibus com ar-condicionado, conforme previa o acordo firmado com o governo anterior para reajuste da passagem para R$ 3,70, em março. A empresa, porém, não conseguiu comprar os outros dez coletivos, que deveriam ter sido entregues em setembro daquele ano.  

A Faol ainda não notificou a prefeitura da mudança no comando da empresa. A companhia foi vendida pela Real para um consórcio formado pelas empresas Coesa, Pavunense e Expresso Recreio. A Faol informou, no início deste mês, que aguarda o fim das negociações para fazer a notificação, como previsto em lei.

A companhia é gerida pelos novos donos desde o dia 15 de maio. Uma fonte da empresa disse que o controle foi transferido para o consórcio porque vinha dando prejuízos à Real. A venda teria passado dos R$ 50 milhões. O grupo assumiu também dívidas da empresa e o risco de renovação do contrato de concessão que vence em setembro 2018.

 

LEIA MAIS

Passageiros já podem se cadastrar para receber informações sobre horários de partida dos ônibus

Anúncio foi feito em audiência pública, informa Massimo. Concessão termina este ano

Aberta ao público, audiência às 18h desta segunda deve contar com representantes da prefeitura e da Faol

Publicidade
Agora Faz
TAGS: Onibus | faol | Prefeitura