Praça das Colônias deve ser reinaugurada ainda em maio

Espaço foi visitado nesta quinta pelo embaixador da Hungria no Brasil, Norbert Konkoly
sexta-feira, 18 de maio de 2018
por Karine Knust (karine@avozdaserra.com.br)
Foto de capa
O embaixador Norbert Konkoly e a presidente da Colônia Húngara em Friburgo, Eva Bito, mostram o brasão que será instalado no local (Foto: Henrique Pinheiro)

A Praça das Colônias, no Suspiro, deve enfim ser reinaugurada. Apesar de não ter sido entregue até o bicentenário, conforme a última previsão da Secretaria de Obras do município, a obra já está em fase final. De acordo com nota enviada ao A VOZ DA SERRA  nesta quinta-feira, 17 de maio, a prefeitura afirmou que o local será reaberto na última semana deste mês de aniversário da cidade.

Segundo a pasta, “a obra está em fase de finalização da instalação elétrica e retoques na pintura”. Sobre como cada uma das 10 colônias voltará a utilizar as salas disponíveis no local, a prefeitura informou que “o Município vai iniciar, juntamente com a Associação das Colônias de Nova Friburgo (Ascofri), a fase de estudos para definir a utilização do espaço”.

Para o presidente da Ascofri e representante da Colônia Espanhola, Alex Alfaya, a ideia é fazer novamente do espaço um disseminador da multiculturalidade do município e um fomento para o turismo. “O ponto fundamental da Praça das Colônias é exatamente a cultura. Nova Friburgo tem uma referência única no que diz respeito a isso. A intenção não é fazer do espaço um local com fins lucrativos, mas utilizarmos de forma que além de disseminar a cultura de cada país, possa fomentar o turismo da cidade. Nós temos um leque muito grande de opções de atividades para que isso aconteça, aulas de idiomas, dança, artesanato, são algumas delas. Cada colônia tem sua diversidade cultural e a ideia é que essa diversidade seja explorada em cada uma das salas”, afirma Alex.

“Cada uma dessas colônias é uma grande ferramenta de mudança para a cidade, desde o início de sua história. Partiu das colônias o fomento da economia e acredito que seja através delas que haverá o desenvolvimento da cadeia de turismo e, consequentemente, o desenvolvimento de toda a economia novamente. Esse espaço não é importante apenas para as colônias e sim para a toda a cidade”, defende o presidente da associação.

Paralisadas várias vezes por conta da falta de repasses do governo federal, as obras para revitalização e ampliação da Praça das Colônias, inclui uma série de melhorias no local, entre elas, a construção de um novo telhado. Orçado em R$ 497.370,29, o projeto prevê ainda a reforma da cozinha, do restaurante e reparos nos banheiros, que terão adaptações para portadores de necessidades especiais. Está prevista também a construção de um depósito para uso do restaurante e a instalação de um sistema de captação de águas das chuvas nos telhados, inclusive na nova cobertura central. A água recolhida será reaproveitada para manutenção de jardins e limpeza.

A reforma faz parte de um convênio firmado entre o município e o Ministério do Turismo,‭ ‬intermediado pela Caixa Econômica Federal. As obras de reparo do local, realizadas pela Caledônia Construtora Ltda,‭ ‬empresa vencedora da licitação‭, começaram no início de junho de‭ ‬2015,‭ ‬mas foram interrompidas pela primeira vez três meses depois.‭ ‬O ponto turístico deveria ter sido reaberto no início de 2016.

Visita ilustre

Na manhã desta quinta-feira, 17, inclusive, a Praça das Colônias recebeu uma visita ilustre. Em passagem por Nova Friburgo para acompanhar os festejos do bicentenário, o embaixador da Hungria no Brasil, Norbert Konkoly, esteve no local para conhecer as dependências da Colônia Húngara e demais espaços da praça. Pela terceira vez em Nova Friburgo e primeira na Praça das Colônias, Norbert agradeceu pela oportunidade de participar das comemorações e pela valorização das diferentes culturas .

“É uma honra para mim visitar Nova Friburgo pela terceira vez e estar aqui participando das comemorações pelos 200 anos da cidade. Gostaria de parabenizar a cidade pelo esforço fantástico em cuidar das raízes, cuidar das nações colonizadoras, lembrar e valorizar a história das pessoas que começaram ou contribuíram para o desenvolvimento da cidade”, afirmou o embaixador.

Norbert esteve na Praça das Colônias acompanhado pela presidente da Colônia Húngara em Nova Friburgo, Eva Bito, e da consulesa do país, Zsuzsanna László. Durante a visita, o embaixador se mostrou bastante otimista com o trabalho que será desenvolvido no local. “No Brasil, há uma grande comunidade húngara. A maioria vive em São Paulo, cerca de 80 a 100 mil pessoas. Por isso nós temos, além da Embaixada da Hungria, o Consulado Geral, em São Paulo, e consulados honorários em nove cidades brasileiras onde temos comunidades. Ainda assim, posso dizer que esse espaço será a primeira embaixada cultural no Brasil para a Hungria. É muito bem localizado, acessível e irá apresentar a nossa cultura. Eu, como embaixador, prometo trazer aqui exposições, materiais e imagens para que todos possam conhecer a nossa nação. Tenho toda a certeza que a Praça vai atrair muitos estrangeiros e turistas para Nova Friburgo. Essa é uma iniciativa muito boa”, disse.  

Opinião também apresentada por Zsuzsanna László. “Essa é a primeira vez que vejo em uma cidade brasileira um espaço reunindo cada nação colonizadora. Em São Paulo temos o museu da imigração, mas aqui temos um espaço que reúne diversas culturas e ao mesmo tempo preserva para cada uma delas um local exclusivo de disseminação de suas histórias. É muito lindo”, afirmou a consulesa.   

“É preciso haver esse intercâmbio com o país de origem e nós somos esse elo. Nossa expectativa é de que visitas como essas de hoje se tornem cada vez mais frequentes”, acrescentou a presidente da Colônia Húngara em Nova Friburgo, Eva Bito.

Sobre o ponto turístico

A Praça das Colônias foi um dos pontos de Nova Friburgo duramente afetados pela tragédia climática de janeiro de 2011. Na ocasião, um deslizamento de uma encosta do morro do teleférico atingiu o espaço. Situada entre o Teatro Municipal Laercio Ventura e a capela de Santo Antônio, o local foi ‬criado para a divulgação da cultura das nações que participaram da colonização de Nova Friburgo e ainda seguem participando ativamente da história no município‭.‭ ‬

O local já foi palco de diversas celebrações típicas dos povos colonizadores, destacando costumes e tradições valorizados pelas colônias alemã,‭ ‬espanhola,‭ ‬portuguesa,‭ ‬suíça,‭ ‬húngara,‭ ‬austríaca,‭ ‬italiana,‭ ‬japonesa,‭ libanesa e pan-africana.

 

LEIA MAIS

Mulher teria tropeçado e caído na frente de carro em movimento

Largo João Baptista Bussinger foi restaurado através de uma parceria público-privada.

Governador inaugura obra e anuncia investimentos de R$ 22 milhões. Terceira etapa da canalização custará R$ 135 milhões

Publicidade
TAGS: obra