Porta de entrada de Nova Friburgo, Theodoro amarga com a qualidade dos serviços básicos

quinta-feira, 30 de outubro de 2014
por Jornal A Voz da Serra
Porta de entrada de Nova Friburgo, Theodoro amarga com a qualidade dos serviços básicos
Porta de entrada de Nova Friburgo, Theodoro amarga com a qualidade dos serviços básicos

Vindo pela serra de Cachoeiras de Macacu, Theodoro de Oliveira é a porta de entrada de Nova Friburgo. E para quem apenas passa pelo lugar, talvez não seja possível tomar conhecimento da precariedade dos serviços prestados aos moradores do bairro.  

Salvo a tranquilidade e o policiamento do bairro, uma unanimidade entre os entrevistados — é quase inexistente o número de crimes cometidos no local, disseram; por outro lado, não faltam reclamações a respeito do calçamento, da água e esgoto, correios, escolas, capina, iluminação, etc. Não sobrou nem para a coleta de lixo — que costuma ser elogiada em todos os bairros visitados por nossa equipe.

Darly Tobias, comerciante que possui um restaurante na Avenida Walter Machado Thedin, acredita que os grandes problemas do bairro são as estradas esburacadas, a falta de serviço de água e esgoto — os moradores precisam utilizar água proveniente de nascentes — e o serviço de coleta de lixo. "Muitas vezes, na hora da coleta, eles deixam sacos de lixo para trás, o que é errado”, comentou Darly.

Na mesma via, as moradoras Débora Oliveira, que está no Theodoro há 18 anos, e Cleide Retondário — que mora no lugar há cerca de 20 anos — desaprovaram alguns serviços no bairro. "Aqui a gente não tem sinalização, faixa de pedestres, nada disso. É um bairro tranquilo, mas com muitos problemas. A gente não tem esgoto, o serviço de entrega dos Correios é muito difícil, e sempre ocorrem acidentes aqui nessa avenida”, comentou Débora. "Aqui tem muitos outros problemas. Não tem lugar de lazer para as crianças, o transporte público sempre atrasa, e nós não temos nem um CEP próprio. Sem contar que para colocar filhos nas escolas, o lugar mais perto é Mury”, disse Cleide.

UM OUTRO LADO DO BAIRRO

Apesar de todos os problemas citados, a parte do bairro onde se encontra a Avenida Walter Machado Thedin não é a pior. Outras ruas sofrem de grandes problemas, como é o caso da Rua Lisboa e da complicadíssima João Roque de Oliveira.

Marinete Magaldi, de 46 anos, mora em Theodoro de Oliveira desde que nasceu e reclamou de muitas dificuldades encontradas por ele no local. "O asfaltamento do bairro precisa muito melhorar. Sem contar que aqui não tem tratamento de água. Quando uma lâmpada da iluminação pública queima a companhia sempre demora a trocar e os próprios funcionários da coleta de lixo não preservam as lixeiras do bairro”, comentou a comerciante, que trabalha na Rua Lisboa e que também disse ser insatisfatória a falta de um posto de saúde e instituições de ensino no bairro, além dos problemas com o serviço de correios.

A Rua João Roque de Oliveira é um dos pontos mais críticos do bairro. Além de ser extremamente estreita — característica de muitas vias do bairro — o local aparenta não ser, há muito tempo, capinado e o estado do calçamento está péssimo. Fábio Kunpp, morador do local há quatro anos, comentou como é morar naquela via. "É muito complicado. A caminhada até onde moro é grande e essa estrada danifica muito o carro se ele for baixo. Essa rua sofre de um abandono total e, além de tudo, ainda pagamos impostos altíssimos morando aqui, onde nem o caminhão da limpeza urbana nem os correios chegam”, comentou o morador, que também disse ser obrigado a carregar o lixo até a pista principal, parte onde a coleta atende.

EBMA E ÁGUAS DE NOVA FRIBURGO RESPONDEM

Após serem perguntados sobre a situação de seus serviços em Theodoro, a EBMA, responsável pela coleta de lixo, e a concessionária Águas de Nova Friburgo responderam, através de email, ao jornal A VOZ DA SERRA.

Sobre o serviço de esgoto e abastecimento de água, a concessionária respondeu: "A concessionária Águas de Nova Friburgo informa que não atende a localidade porque o contrato de concessão abrange os perímetros urbanos do município.”

Já a EBMA respondeu sobre a qualidade de seu trabalho dizendo: "Informamos que identificamos junto com administrador de bairro (Sr. Mauricio), a precariedade de duas cestas, que foram substituídas no início dessa semana. Pedimos que seja feito contato com o próprio administrador do bairro para solicitar substituições, através de um agendamento programado para trocas futuras de outras que existirem. Informamos ainda que possuímos um Serviço de SAC — Serviço de Atendimento ao Consumidor — realizado através do telefone 2529-3000. Dessa forma, pedimos que qualquer eventualidade quanto o serviço prestados pelos nossos colaboradores seja informado através do referido SAC, para que possamos tomar providências”.

Publicidade
Agora Faz
URL da notícia:
TAGS: