Pente-fino do INSS corta 34 mil benefícios irregulares no estado

Revisão de aposentadorias por invalidez e auxílio-doença continua sendo feita até o fim do ano
quinta-feira, 19 de julho de 2018
por Jornal A Voz da Serra
Foto de capa

O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) cancelou 27.624 auxílios-doença e 7.033 aposentadorias por invalidez no estado do Rio de Janeiro. Desde o início do pente-fino no segundo semestre de 2016 e até junho passado, 65.434 beneficiários passaram pelo processo. A Previdência Social não divulgou quantos benefícios foram suspensos em Nova Friburgo.

De acordo com o Ministério do Desenvolvimento Social, as perícias realizadas nesses benefícios geraram uma economia de R$ 1,1 bilhão nas revisões de auxílio-doença. Até o fim do ano, o governo federal espera revisar mais 43.470 auxílios-doença e 88.754 de aposentadorias por invalidez no estado.

Em todo o país, foram realizadas 791.471 perícias (431.582 de auxílios-doença e 359.889 de aposentadorias por invalidez). Entre os benefícios analisados, 341.746 auxílios e 108.512 aposentadorias também foram interrompidos por irregularidades nas concessões. Isso representa R$ 9,6 bilhões de economia.  

Na primeira fase da revisão feita pelo INSS, que durou até fevereiro de 2017, foram cancelados 82% dos auxílios-doença e 17% das aposentadorias por invalidez que passaram pelo pente-fino. Entre os casos mais emblemáticos de fraude nos benefícios, o INSS encontrou, por exemplo, 30 mil pessoas aposentadas por invalidez que estavam trabalhando com carteira assinada, além de beneficiários que recebiam auxílio-doença, mas exerciam sua função no trabalho normalmente.

Aposentadoria por invalidez

O pente-fino nas aposentadorias por invalidez é realizado em quem tem menos de 60 anos e está há dois anos ou mais sem passar por perícia no INSS. Já a revisão nos auxílios acontece para os segurados que estão há mais de dois anos sem fazer exame ou em benefícios concedidos judicialmente.

De acordo com o órgão, os beneficiários que não concordarem com o resultado da perícia podem recorrer no Conselho de Recursos do Seguro Social (CRSS) ou solicitar um novo benefício.

 

Publicidade
TAGS: