Operários com salários atrasados e obras paradas no Hospital do Câncer

Inauguração da unidade de oncologia em Nova Friburgo não será mais em dezembro deste ano
sexta-feira, 22 de julho de 2016
por Alerrandre Barros
Foto de capa
As obras estão praticamente paradas no novo Hospital do Câncer (Foto: Lúcio Cesar Pereira)

As obras no imóvel onde será implantado o Hospital Estadual de Oncologia da Região Serrana, em Nova Friburgo, o Hospital do Câncer Francisco Faria, estão praticamente paradas e não serão entregues em dezembro deste ano, conforme previa o governo do estado. O número de funcionários que trabalhavam, em fevereiro, na adaptação e ampliação dos prédios onde funcionará a nova unidade de saúde, no bairro Ponte da Saudade, caiu drasticamente nos últimos meses. Muitos dos 80 operários que iniciaram a obra foram dispensados e não receberam, sequer, o último salário.

“As obras estão quase paradas, e há poucas pessoas trabalhando lá”, disse um ex-funcionário que não quis se identificar. “Vários empregados, como eu, foram demitidos sem muitas explicações da empresa. O comentário na obra é que o governo do estado não estaria pagando a empresa”, contou o pedreiro. 

Por causa disso, pelo menos 11 ex-funcionários entraram na Justiça para receber as verbas rescisórias da Apoio Serviços Temporários Ltda, empresa que foi subcontratada para fornecer mão de obra para a FW Empreendimentos Imobiliários e Construções Ltda, responsável pelas obras do hospital. 

Segundo o advogado do grupo de trabalhadores que processa as duas empresas, Maykon Matias Gomes, o problema começou com a rescisão dos contratos de trabalho antes do prazo prometido.

“Os operários foram informados inicialmente que o contrato de trabalho duraria dois anos. No entanto, após seis meses, um grupo foi dispensado e outra equipe foi contratada pela empresa. A mesma coisa aconteceu com a nova equipe. Eles também reclamam que a empresa que ganhou a licitação contratou outra para terceirizar a mão de obra de serviços temporários. A empresa teria prometido que eles seriam efetivados, mas isso não ocorreu. Como não foi feito o pagamento correto da rescisão, houve a necessidade do ajuizamento dessas demandas trabalhistas. Os últimos ex-funcionários que estiveram aqui no escritório disseram que a obra parou”, disse o advogado. 

As cinco primeiras audiências de conciliação entre os ex-funcionários e as empresas foram marcadas para o início de julho, mas, de acordo com Maykon, nada foi definido porque o representante legal de uma delas teria ficado doente. As próximas audiências estão agendadas ainda para este mês e agosto.  

A VOZ DA SERRA tentou esclarecer a questão com a Apoio e a FW, mas não obteve contato por telefone. A Secretaria estadual de Obras também foi procurada e, em nota, não comentou o suposto atraso nos repasses para a construtora, mas negou que a obra esteja parada. “As obras do hospital estão em andamento”, limitou-se a informar. 

Investimento e reformas

A licitação para a implantação do Hospital de Oncologia em Nova Friburgo foi realizada pelo governo do estado em novembro de 2014. Com investimento total de R$ 93,6 milhões — sendo R$ 10 milhões destinados à desapropriação do imóvel onde funcionou, na década de 1990 — o Centro Adventista de Vida Saudável (Cavs), R$ 45,7 milhões para as obras, e R$ 35 milhões para equipamentos — a empresa vencedora foi a FW Empreendimentos Imobiliários e Construções Ltda. 

As obras começaram em abril de 2015 e o novo hospital seria inaugurado no primeiro semestre deste ano, mas o prazo foi adiado para outubro e, depois, estendido para dezembro. No entanto, ao que tudo indica, quase um ano e meio depois, o cronograma terá que ser reajustado e o prazo de entrega da unidade de oncologia terá que ser ampliado. O governo não informou qual a nova previsão de entrega das obras.

De acordo com o governo do estado, o hospital será referência no tratamento de câncer na Região Serrana. Com serviços de clínica, diagnóstico, cirurgia, radioterapia, medidas de suporte, reabilitação e cuidados paliativos, estima-se que a unidade terá capacidade para atender 500 mil pessoas por ano. O projeto prevê a instalação de 200 leitos, sendo 30 destinados à infância, cerca de 300 consultas por dia e até quatro mil cirurgias por ano.

Além de aproveitar a estrutura já existente, será construído um bloco novo, de quatro pavimentos, para o funcionamento do Centro de Imagem. Ambas as estruturas deverão ter um jardim suspenso e serão interligadas por uma passarela coberta. 

Em fevereiro, algumas adaptações nos prédios estavam avançadas e a casa de máquinas também estava sendo erguida no terreno. A VOZ DA SERRA não conseguiu atualizar com o governo e as empresas o atual estado das obras.

Em visita à Nova Friburgo, em abril do ano passado, o governador Luiz Fernando Pezão esteve no canteiro de obras e comentou que o hospital será a realização de um sonho porque amenizará o sofrimento dos doentes que precisam se deslocar para cidades distantes a fim de receber atendimento médico, como no Rio de Janeiro, por exemplo. 

“Desde a tragédia de 2011, eu ansiava por ajudar a reerguer a Região Serrana, especialmente Nova Friburgo. Entre outras dificuldades, observei o sofrimento das pessoas que moravam aqui e tinham que fazer tratamento de câncer no Rio. Levei esse anseio à presidenta Dilma [Rousseff] e acertamos a parceria dos governos federal e estadual. Este será um hospital moderno e bem equipado e em cerca de um ano e meio já deve estar sendo concluído”, disse Pezão, na época.

 

LEIA MAIS

Iniciativa pode repercutir no futuro do hospital de oncologia, na Ponte da Saudade

Nos hospitais no estado há deficiência de remédios, exames e até médicos

Renato Bravo viajou para Brasília nesta segunda-feira

Publicidade
Agora Faz